A comédia trágica dos aplicativos de encontro

 

Solteiro com um celular smartphone: você com certeza usa – ou já usou – algum aplicativo de relacionamento. Quando este é o assunto, os sentimentos são muitos e variados; primeiro você tem vergonha em admitir que está procurando algo ou alguém pela internet até encontrar um conhecido por aí “será que esta pessoa também me viu? o que vai pensar de mim?”. Depois dessa fase, a gente supera a vergonha e passa a aceitar que está à procura.

Curte, comenta, puxa papo e torce para que aquela pessoa que você curtiu, te curta também. O momento do match é ótimo: aquele entusiasmo de expectativas correspondidas e a chance de conhecer pessoas legais (acredite, nem todo mundo está nesses aplicativos apenas atrás de encontros casuais. Eu mesma conheço alguns casos de sucesso que saíram dos aplicativos e se tornaram relacionamentos de verdade!). Mas e quando a gente curte alguém, torce pra pessoa curtir de volta e isso nunca acontece? Vem a raiva, o desânimo e o sentimento de “nossa tô feio mesmo”.

E a vida segue. A gente continua procurando pessoas, baixando mais aplicativos e tentando. Confesso que muitas vezes também é engraçado. Cada coisa que você encontra por aí – e agradeço por existir a função print no celular para mandar para as amigas – que só rindo mesmo. É rir de si mesmo quando você deixa a conversa virtual e passa a encontrar aquele match na vida real. Pode dar certo mas também pode ser um desastre…… eu nunca tive sucesso nas minhas histórias, só tragédias {que hoje são engraçadas} pra um dia contar pros meus netos, porque as amigas já cansaram de dar risada disso.

Depois de tantos fracassos, comédias e até a sua mãe já conhecer suas histórias, a etapa seguinte é o desapego. Já que nada deu certo mesmo, melhor deletar estes aplicativos e sumir por um tempo, afinal não tem nada de bom por lá mesmo. E você se liberta pra vida, como alguém descobriu a liberdade agora, em busca de pessoas interessantes na fila do pão, no mercado, na balada e até no shopping. Mas, depois de um tempo descobre que infelizmente as coisas não são assim até ouvir novas histórias de quem está se aventurando e curtindo novas pessoas através dos aplicativos. E você baixa de novo. E descobre que nesse tempo que ficou ausente surgiram ferramentas ainda mais divertidas e complexas pra procurar pessoas que estão cruzando seu caminho, atendem seus requisitos de beleza ou têm a mesma idade que você.

Eu sei que pode dar errado. Mas talvez possa dar certo. Enquanto isso, a gente aproveita para se divertir e compartilhar experiências. E você, já deu algum like hoje?

Os-melhores-aplicativos-de-paquera-e-namoro-para-2015

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    2 thoughts on “A comédia trágica dos aplicativos de encontro

    1. Larissa

      Acho super válido Caubi!

      Conheci meu namorado no Badoo e próxima semana vamos comemorar 2 anos juntos <3
      Vale tudo para encontrar o amor!!

      Beijo

      [Reply]

      caubi Reply:

      Oi Larissa! Obrigada pela visita 🙂
      Adoro conhecer histórias que deram certo… ainda existe muita gente boa por aí <3
      Espero encontrar alguém bacana por aí tb!
      Bjooss

      [Reply]

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *