À mesa: simplicidade, cor e camarão

Que tal começar a semana com as melhores energias à mesa? Por aqui, comecei o dia inspirada com uma mesa super alegre e com elementos bem simples de fazer para receber um prato elegante e delicioso: camarão à provençal.

A partir da receita escolhi uma mesa que pudesse combinar e contrastar com o camarão. Com uma toalha no tom jeans e os pratos Flint Le Creuset, coloquei guardanapos amarelos para acompanhar junto com uma jarra e astromélias na mesma cor. Ao invés de porta guardanapo, dei um nó em cada um deles e coloquei sobre o prato: um jeito diferente de servir.

Para dar aquele charme à mesa e à receita, alguns dos temperos usados ficaram por ali mesmo junto com limões sicilianos, dando uma informalidade e certo humor para a composição.

E este foi o resultado: elegância e simplicidade. Para acompanhar o camarão, vinho e muito amor.

E veja como é fácil fazer esta receita por aí:

Ingredientes:
20 camarões grandes limpos (ou camarão rosa médio)
Sal e pimenta do reino a gosto
1/2 xícara de chá de manteiga
1/4 xícaras de chá de azeite
4 dentes de alho bem picados ou amassados
3 colheres de sopa de ervas frescas (tomilho, alecrim, manjericão)
3 colheres de sopa de salsinha crespa picada
3 colheres de sopa de ciboulette ou cebolinha francesa picada

Modo de fazer:
Tempere os camarões com sal e pimenta e reserve.
Leve uma frigideira ao fogo, quando estiver quente, derreta a manteiga junto com o azeite.  Jogue os camarões e deixe-os dourar em fogo médio, por cerca de três minutos de cada lado (cuidado para não passar do ponto). Acrescente o alho. Junte as ervas e deixe de no máximo mais três minutos no fogo.

Por último, polvilhe a salsinha e a ciboulette sobre os camarões e sirva imediatamente. Bom apetite!

E aí, o que achou da receita para começar a semana? Conta aqui! 🙂

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *