Algumas vezes o barato realmente sai caro

Por Peu.

“No mês passado a família da minha namorada marcou um churrasco e eu fiquei incumbido de levar o meu pão de alho (se você ainda não conhece a receita clique aqui). Acontece que de última hora apareceu uma viagem do trabalho, no mesmo final de semana e com urgência. Logo, tive que resolver todos os assuntos casa/trabalho de uma semana em apenas um dia e ainda arrumar a mala (nem roupa limpa tinha direito). Para ilustrar e resumir a historia imagina um furacão, agora imagina ele passando dentro de uma casa, esse era eu falando no celular, respondendo email enquanto arrumava a mala e tentava adiantar algumas tarefas.

Mesmo não podendo ir ao churrasco e com toda essa loucura decidi que deveria fazer os pães de alho para o pessoal. O problema era que não tinha um liquidificador/mixer, nem um espremedor de alho e não ia dar tempo de ir a nenhum lugar para fazer os pães ou comprar um dos utensílios (mesmo que desse tempo não iria comprar, sou mão de vaca e iria preferir esperar uma promoção rsrsrs).

Mas em alguns segundos minha vida mudou, em uma passagem rápida pelo mercado perto de casa eis que me deparo com ele, a minha salvação, um belo e barato e porcaria espremedor de alho. Como era super barato não pensei duas vezes, já peguei o espremedor, comprei o resto que faltava para a receita e fui correndo para casa. Do mercado até em casa foram alguns minutos de glória, eu havia resolvido o meu problema com uns poucos reais (não lembro quanto foi, mas foi muito barato). Aquele objeto comprovava minhas teorias de que não precisamos gastar uma fortuna em objetos que vamos usar uma vez na vida e outra na morte, com apenas um objeto (eu já disse que foi barato???) eu faria minha receita, que ficaria ótima e todos comeriam felizes para sempre.

Eis que pouco depois, um dos ditados populares mais miseráveis prova mais uma vez ser verídico: “Felicidade de pobre dura pouco”. Quando fui espremer o segundo dente de alho o meu novíssimo espremedor quebra (eu já disse que foi muito barato mesmo???). E lógico que a Lei de Murphy não ia ficar de fora da festa, com tantas partes da peça para quebrar a única que quebrou foi exatamente a que não poderia quebrar. O espremedor ficou inutilizável e ainda só não foi para o lixo porque temos uma ligação sentimental muito forte por tudo que passamos juntos (ou só por eu esquecer mesmo).

1

Quem me conhece deve imaginar como eu fiquei contente com essa situação. Além de jogar meu dinheiro fora (eu já disse que essa porcaria foi uma fortuna???) ainda tive que fazer o pão de alho na faca (o que levou horas), acabei perdendo o ponto da manteiga e no final nem ficou tão bom. O pessoal foi enganado com um “eu mudei a receita para deixar mais suave” e teve gente que achou que ficou até melhor. Ainda bem que não tive que olhar para a cara daqueles pães, já tinha criado um ódio por eles que era capaz até de queimar todos apenas com o um olhar fulminante.

Bem pessoal, por hoje é apenas esse meu relato triste. Me dói dar o braço a torcer e falar, mas algumas vezes o barato realmente sai caro.

Grande Abraço e até a próxima, fuuui!!!”

    Uma rapaz “de família”, nascido no interior e que veio ainda pequeno pra São Paulo, mas que não deixou o jeito bruto, rústico e sistemático de ser para trás. Trabalho com tecnologia e gosto muito de criar; aliás acho que exercitar a criatividade e botar a mão na massa são a minha praia. Não gosto de fórmulas, receitas, regras e ordens. Acredito que essas coisas limitam nossa capacidade de criar e ir além do que já fizeram. Dizem que sou chato, louco e do contra, mas eu discordo de tudo isso rsrsrs… Sou muito prático. Sou uma tentativa de conciliação entre ser empresário, amigo, dono de casa, cozinheiro, apreciador de cerveja, bom filho e bom vizinho. Mas no final das contas sou apenas mais um cara que gosta muito de estar entre amigos, de musica, cerveja e churrasco.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *