Aproveitando os alimentos: receita de risoto

 

Faaaaaala galera, tudo tranquilo? A receita de hoje veio de alguns testes que eu tenho feito na cozinha para reaproveitar ou aproveitar de formas diferentes alguns alimentos.

A receita é um “risoto” de talos de couve com parmesão. Como a receita tinha grandes chances de dar errado, que por incrível que pareça não deu, eu não usei um arroz especial, usei o nosso arroz  de cada dia. Mas aplicando todo o processo de se fazer um risoto nem parece arroz normal com talos de couve: esta é uma boa receita para impressionar em tempos de crise. 🙂

foto1

Ingredientes:
2  xícaras de chá de arroz
2 xícaras de chá de talos de couve (aproximadamente dois maços)
150g queijo parmesão
1 cebola média
100ml de vinho branco seco
1 litro de caldo de legumes
3 colheres de sopa de manteiga
Pimenta biquinho a gosto
Sal e pimenta a gosto

Preparo:
O primeiro passo é picar a cebola e os talos de couve; eu piquei redondinho para facilitar o cozimento. Depois de picado é só refogar com uma colher de manteiga até as cebolas começarem a dourar e, logo após, acrescente o arroz.

foto2

Deixe o arroz refogar por alguns segundos e acrescente 300ml do caldo e o vinho branco. Fique mexendo enquanto o arroz cozinha, assim que estiver quase seco adicione mais 300 ml do caldo e continue mexendo até quase secar novamente. Nesse momento acrescente o restante do caldo e quando estiver quase secando acrescente o parmesão. Prove e conserte o sal e a pimenta.
Antes de servir acrescente o restante da manteiga e mexa bem, use as pimentas biquinho para enfeitar e se quiser pode jogar um pouco mais de parmesão por cima queijo nunca é demais 🙂

foto3

Rápida e rasteira essa receita além de ser gostosa ainda aproveita alimentos que talvez fossem para o lixo.Você tem alguma receita de reaproveitamento de alimentos? Ou aproveitamento diferente do convencional? Divide com a gente!

Esperam que tenham gostado.

Grande Abraço e até a próxima, fuuuuuuii!!!!

6 total views, 3 views today

    Uma rapaz “de família”, nascido no interior e que veio ainda pequeno pra São Paulo, mas que não deixou o jeito bruto, rústico e sistemático de ser para trás. Trabalho com tecnologia e gosto muito de criar; aliás acho que exercitar a criatividade e botar a mão na massa são a minha praia. Não gosto de fórmulas, receitas, regras e ordens. Acredito que essas coisas limitam nossa capacidade de criar e ir além do que já fizeram. Dizem que sou chato, louco e do contra, mas eu discordo de tudo isso rsrsrs… Sou muito prático. Sou uma tentativa de conciliação entre ser empresário, amigo, dono de casa, cozinheiro, apreciador de cerveja, bom filho e bom vizinho. Mas no final das contas sou apenas mais um cara que gosta muito de estar entre amigos, de musica, cerveja e churrasco.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *