Confraria da doçura

Quando o dia começa cheio de amor… e doçura!
Em mais uma produção da Confraria de Comida e Mesa Posta, eu, Rê ~ @villapano ~ e Mi ~ @mimiminacozinha apostamos no tema amor e doce.

Aproveitamos o dia de sol para montar uma mesa de bolo com café na área externa da Villa Pano. Com um delicioso bolo red velvet da loja The Original Cup & Cake, nossa produção combinou as cores e corações de um jeito delicado e super charmoso.

Corações, bolinhas e muito amor.

Eram muitos detalhes: desde o suporte de pratos, a espátula de bolo, as flores e as colheres. Tudo em harmonia para deixar o bolo ainda mais delicioso.

E dessa vez, o toque especial saiu do limite da mesa: foi para a parede. Era tanto amor que também decoramos o muro de tijolos com as nossas iniciais em madeira ~ que também são petisqueiras ~ vasos de coração e pratos com asas, para deixar a imaginação flutuar.

O bolo ficou ainda mais gostoso no prato de coração servido com o garfo de libélula.

Três corações batendo em um só trabalho: a Confraria é assim. União, dedicação e amor em produções surpreendentes com receitas deliciosas e peças super criativas.

Que a gente possa sempre espalhar o amor por aí 🙂

    Compartilhe o amor

    O amor é para os fortes. É para aqueles que possuem a coragem para abrir o seu coração para o novo, para o inesperado e para o inexplicável.

    Porque amar é se entregar por inteiro para a outra pessoa sem pensar em outra coisa a não ser a felicidade.

    Amor também machuca, dói e muitas vezes decepciona, mas também faz parte do jogo, do carrossel de emoções e da montanha-russa da vida. Porque amor também é aprendizado, é crescimento e é evolução.

    Mas tudo vale a pena. Sempre. A gente ama, é feliz e vez ou outra chora e se decepciona. Mas o coração sempre se recupera e depende apenas de nós mesmos para abrir as portas para amar novamente. Acredite: o amor também cura. E a vida volta a ser colorida, com aquele sorriso no rosto e a leveza de alma.

    Eu acredito que quando a gente estiver pronto, a vida e o destino irão se encarregar de trazer o amor em nossas vidas. E vai ser lindo.

    O amor está nos detalhes. E são eles que fazem toda a diferença para que o amor cresça, floresça e continue vivo em nossas vidas. É aquele café da manhã com flores, aquela mensagem de carinho, um longo abraço ou um pé junto do outro em uma noite de frio. É compartilhar a pipoca no cinema e os problemas do dia-a-dia.

    Amor é saber com quem contar nos momentos mais difíceis e também para quem contar os momentos mais felizes. Amar é somar, compartilhar, dividir e multiplicar.

    Para todos aqueles que acreditam no amor, feliz dia dos namorados.

      Os 7 anos de blog

      Nunca gostei de números ímpares, sempre achei sinal de azar. mas por incrível que pareça estou comemorando os 7 anos de blog justamente em um ano ímpar e que agora tem sido o melhor de todos para mim e para a Casa da Caubi.

      O que significa que superstições não querem dizer nada e muitas vezes nos impedem de seguirmos em frente livres e sem pensar muito naquilo que nos prende.

      E foi justamente assim com o blog: quando eu decidi ser livre é que comecei a ser feliz. E se passaram 7 anos de muito trabalho, persistência e perseverança. Uma dose diária de fé e algumas vezes, sorte.

      O apoio incondicional da minha família foi o pilar mais importante para me levantar nos momentos difíceis. Acredite: tiveram muitos. Aquela hora que você pensa em jogar tudo para o alto e desistir. E aquela hora em que a vida manda um sinal para seguir em frente.

      E hoje eu vejo: tudo valeu a pena.
      Que sorte eu tenho em compartilhar a minha vida na internet e receber tanto carinho em troca. Tanto trabalho incrível ao lado de marcas que sempre admirei.
      Quantos amigos o blog me trouxe. E quanta coisa ruim eu superei e deixei pra trás.

      Ano 1: estava no apartamento onde o blog começou. Era alugado e foi o lugar em que me juntei e logo depois me separei. Apesar da intensidade das histórias que aconteceram por ali, a passagem foi bem rápida. Fiquei um pouco mais de um ano mas ali aprendi que lar é onde nosso coração está.

      Ano 2: o primeiro ano na casa nova. Ainda estava insegura com o grande passo que eu tinha dado. Afinal, não poderia mais desistir: minha casa, minha obra e meu financiamento. Com a ajuda da família e amigos passei por mais um ano de cabeça erguida e seguindo em frente comemorando sempre.

      Ano 3: existe algo mais simples e delicioso que reunir quem a gente ama em um piquenique no parque? Resolvi comemorar mais um ano de blog em uma manhã no parque cheia de delícias e pessoas queridas. Tinha muito para comemorar naquele ano mas ainda não sabia a proporção que o blog tinha tomado na minha vida.

      Ano 4: decidi repetir a comemoração do ano anterior em um piquenique em que cada convidado levaria um prato para que todos pudessem experimentar e compartilhar receitas e experiências. Todas as receitas foram para o blog como forma de homenagear quem sempre esteve ali comigo.

      Ano 5: de volta para casa. Comemorei os 5 anos do blog no salão de festas do prédio e a celebração foi um concurso: desafiei os convidados a preparem seus pratos favoritos: ou doce ou salgado. Na festa, todos deveriam provar os pratos e votar no seu favorito e o ganhador ganharia um presente da Casa da Caubi. Mais uma comemoração incrível.

      Ano 6: foi um ano de reflexão. Não fiz festa, mas também não deixei passar em branco. Em uma celebração para meus pais e a minha irmã, agradeci pelo sexto ano de blog e havia chegado ao ponto que eu realmente queria levar tudo isso como trabalho, me dedicando com ainda mais amor e empenho porque eu tinha a certeza que a Casa da Caubi iria fazer a diferença.

      Ano 7: descobri que o melhor tempo é HOJE. Aprendi com o passado e tenho muito o que planejar para o futuro. Mas eu quero ser feliz agora e me dedicar ao que realmente importa: compartilhar o amor sempre através das minhas postagens… que elas possam chegar até você com as melhores energias e que eu possa fazer a diferença com o conteúdo que produzo com muito carinho.

      Que venham 8, 9, 10 …. e muito mais! Quero passar o resto dos meus dias compartilhando amor por aqui. Viva a Casa da Caubi! 🙂

        A vida é um sopro.

        Clichê.

        Ultimamente, esta é uma das frases que mais tenho ouvido. No elevador do prédio, no café do trabalho, no corredor do shopping, no grupo de mensagens entre amigos.

        Mas, será que paramos para pensar que a ‘vida é um sopro’ ou só falamos por falar? O quanto vivemos a nossa vida para que este sopro um dia se espalhe pelo vento pela última vez?

        Você vive a sua vida plenamente, intensamente? Se hoje fosse o seu último dia, como você seria lembrado pelo mundo? Qual o legado você está construindo para deixar como memória?

        Nunca tinha pensado sobre isso, até hoje. Presenciamos muitas tragédias em nosso país, com vidas jovens sendo encerradas, sorrisos calados e sonhos interrompidos. E, nesse momento de tristeza, vem a reflexão: você está realmente buscando seus sonhos?

        O que estamos esperando para ir atrás do que queremos? Porque nos falta coragem para seguir em frente e encarar os desafios? Se hoje fosse o seu último dia, você teria orgulho da sua história? Se hoje fosse o seu último dia, você iria fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para realizar seus desejos?

        O ponto é: nós não sabemos quando será o nosso último dia. Então, porque postergamos tanto nossos sonhos, nossos desejos? Preguiça, medo de falhar ou ficar na zona de conforto são alguns do motivos que nos impedem de realizar nossos sonhos.

        Que a gente não deixe para amanhã o que podemos realizar HOJE. Esta é a palavra que importa: HOJE. É o dia, o momento. Para criar, trabalhar, amar e sonhar sem arrependimentos.

        Que a gente possa adotar a brevidade da vida como lema para viver. Com sentimento e com vontade. Com verdade. Ame, chore, abrace, sorria, coloque tudo para fora.

        Não sabemos quando será a nossa última vez. E é justamente esta a graça da vida.


        E você, o que está esperando para ser feliz?

          Qual o seu ritual?

          E para começar o dia, amor. Não importa se é com sono, sem sapato ou atrasado. Que a gente tenha motivos para agradecer assim que abrirmos os olhos. E que os bons pensamentos sejam uma rotina em nossas manhãs.

          Faça o teste. Acorde 5 minutos mais cedo e prepare algo que você goste. Um café, uma tapioca, um misto quente, um leite com achocolatado. Pode ser em pé mesmo, encostado no balcão da cozinha. O que importa é a energia que você coloca durante o preparo. E os detalhes: coloque tempero e carinho; na comida e na vida. Agradeça pela oportunidade de mais um dia.

          De manhã, não sabemos o que nos espera ao longo do dia. Mas podemos sair de casa leves e com bons pensamentos, transformando este ato de pensar em você em um ritual sagrado.

          Dê bom dia ao porteiro, ao vizinho no elevador, ao colega de trabalho. Distribua sorrisos no mercado, no ponto de ônibus, na fila do banco. Energia é algo contagiante… e se for para espalhar, que seja a melhor por aí. Um olhar, um gesto pode mudar a vida de uma pessoa. Pode mudar a sua vida. Gentileza gera gentileza. Gentileza se retribui com gentileza e deselegância se retribui com gentileza.

          A gente reclama que o mundo mudou. Que está sem paciência, rude e cinza. Mas o que você tem feito para mudar isso? A mudança no mundo começa por nós mesmos. E que este começo seja dentro de casa, com um carinho de um café da manhã com cores e amor.

          Aí, é só tirar o pijama e conquistar o mundo. Um passo de cada vez.

          E você, como está começando o dia? 🙂