Cerveja e queijo: as combinações deliciosas para o inverno

 

E quem disse que cerveja é bebida para o verão? Com o friozinho cada dia mais presente em nosso cotidiano, as harmonizações de cerveja com queijo tornam-se uma opção para diversificar o momento do happy hour entre os amigos neste inverno.

Graças à sua diversidade de tipos, sabores, aromas e texturas, as cervejas são uma ótima pedida para acompanhar os diferentes tipos de queijo. Confira aqui alguns exemplos de harmonização, recomendados por mestre-cervejeiro e um expert em queijos.

Queijos frescos (minas frescal, ricota, mussarela de búfala): a leveza, a umidade e a sutileza dos sabores desses queijos pedem cervejas leves, dos tipos Pilsen e Lager.
Sugestões: Original, Serramalte, Bohemia, Bohemia Aura, Brahma, Brahma Extra Lager, Stella Artois, Antarctica, Beck´s, Budweiser, Corona, Norteña, Quilmes, Skol e X Wäls.

Queijos leves ácidos (cream cheese, de cabra e mascarpone): a acidez e o sal harmonizam com cervejas também ácidas e levemente adocicadas, de estilos como Weissbier, Witbier e Saison.
Sugestões: Hoegaarden e Patagônia Weisse, Franziskaner, Colorado Appia, (Weissbier), Wäls Witte (Witbier).

Queijos com mofo branco (brie e camembert): em geral consumidos com geleia de frutas, vão bem com cervejas de boa acidez e até mesmo com as que levam frutas na receita: as Fruit Beer. Além delas, Weissbier, Witbier e Saison.
Sugestões: Hoegaarden e Patagônia Weisse, Colorado Appia, (Weissbier), Bohemia Bela Rosa, Wäls Witte (Witbier), Leffe Ruby (Fruit Beer), Wäls Session.

Queijos com mofo azul (gorgonzola, roquefort e stilton): a gordura, o excesso de sal, a ardência e a intensidade do sabor desses queijos exigem cervejas com boa estrutura e amargor, para que as papilas gustativas sejam limpas. São exemplos os tipos Belgian Strong Ale, Porter, Stout, Tripel e Barley wine.
Sugestões: Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter), Leffe Radieuse, Hertog Jan Grand Prestige (Belgian Strong Ale), Wäls Trippel, Wäls Alambique County, Hertog Jan Trippel (Tripel), Wäls EAP Barley Wine (Barley Wine).

Queijos meia-cura ou semimaturados (cheddar, coalho, colonial, emmental, gouda, gruyère, minas meia-cura): devido ao pouco tempo de maturação, a casca e o miolo desses queijos são levemente elásticas ao toque. Têm sabor mais pronunciado, alguma doçura e maior teor de gordura. Por isso, requerem cervejas mais maltadas, alcoólicas e um pouco adocicadas, como as dos tipos Bock, Pale Ale, Blond Ale, Brown Ale e Dunkel.
Sugestões: Bohemia 838 (Pale Ale), Goose Island Sofie, Bohemia Caá-Yari, Leffe Blonde (Blond Ale), Colorado Berthô (Brown Ale), Franziskaner Dunkel (Dunkel)

Queijos maturados ou duros (parmesão, pecorino, grana padano): por serem secos e até mesmo picantes, devido à longa maturação, além de gordurosos e salgados, exigem cervejas com alto teor alcoólico e encorpadas. As IPAS, lupuladas e amargas, podem oferecer boa harmonização por terem a  capacidade de limpar a gordura do queijo. Cervejas adocicadas, como Belgian Strong Ale e Tripel, propiciam uma combinação por contraste (dulçor X sal). As Stout e Porter combinam o tostado com o sal dos queijos.
Sugestões: Bohemia Jabutipa, Colorado Indica, Colorado Vixnu, Goose IPA, Wäls Hopcorn IPA (India Pale Ale), (Belgian Strong Ale), Wäls  Trippel, Wäls Alambique County, Hertog Jan Trippel (Tripel), Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter), Leffe Rituel 9º.

Queijos defumados (provolone): a defumação, predominante nos aromas e paladar do queijo, determina uma cerveja também com toque defumado, como as dos tipos Rauchbier, Porter e Stout.
Sugestões: Caracu, Colorado Íthaca (Stout), Colorado Demoiselle (Porter), Wäls Cuvée Carneiro, Wäls Petroleum Barrel Aged, Wäls Quadruppel

Acho que agora é possível arriscar algumas combinações para surpreender seu paladar e seus amigos né? Que tal testar estas combinações diferentes? Para ver onde comprar e experimentar as sugestões de cervejas, acesse o site Empório da Cerveja e confira!

 

 

 

Sugestões de harmonizações:
Eduardo Tristão Girão, jornalista gastronômico e pesquisador sobre queijos
Laura Aguiar, mestre-cervejeira Ambev

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, acabou de chegar aos 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *