Dinner in the sky: a experiência

Depois de ler sobre o Dinner in the Sky, foi a vez de conhecer e vivenciar a experiência deste evento. A convite da Allfood Importadora, fui almoçar a 50 metros de altura!


Apesar de morar no 26o. andar, estava com frio na barriga. O Dinner in the Sky acontece a uma altura de um prédio de 16 andares e você fica lá no alto por uma hora para uma refeição completa.

Nesta edição, o guindaste está localizado na zona sul de São Paulo, de frente para a Marginal Pinheiros e a Ponte Estaiada, um grande ponto de referência na cidade.

Antes de subir, somos bem presos à uma cadeira giratória com cintos de segurança ~ no estilo carro de corrida ~ junto com os nossos guardanapos, que também devem ficar presos para não sair voando por aí.

Os pés ficam soltos e ao olhar para baixo, que sensação! O frio na barriga vai embora e dá lugar para adrenalina: é impossível não ficar extasiado e admirado com a vista!

Demos sorte com o tempo: sol, céu azul e São Paulo todinha para nós! As cadeiras são giratórias, então é possível ter bastante mobilidade apesar dos cintos de segurança. Lá de cima, dá para ter a vista completa da cidade.

E a refeição, não poderia ter sido melhor. Com uma taça de vinho, veio o almoço: salada de agrião, queijo de cabra empanado, pera caramelizada e mel, risoto de beterraba com presunto cru e crocante de presunto cru e brotos de beterraba e para finalizar, pudim de bebia vegetal de amêndoas. Todos feitos com produtos Allfood, formaram uma combinação perfeita e foram elaborados pelos chefs Cassio Prados, André Wunderlich e Fábio Bernardini.

Esta edição fica em São Paulo até dia 30 de junho e os ingressos estão disponíveis no site oficial. Para acessar, clique aqui. Vale a pena vivenciar esta experiência!

Você teria coragem? Me conta aqui 🙂

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *