Minha parede de flores do home office

Começando a transformação

Quem me conhece já sabe: eu amo uma reforma! Sou aquela pessoa em transformação constante e, quem frequenta a minha casa, sempre percebe. Aliás, eu mudo tudo de lugar: móveis, plantas, objetos. Ou seja, nada aqui é constante e eu compro novos, reformo antigos e por aí vai… mas, desta vez, depois de reformar a sala e o cantinho do café, chegou a vez de transformar o meu segundo quarto e comecei pela minha parede de flores do novo home office.

Primeiramente, a escolha do que fazer com a parede branca atrás do sofá. Pensei em várias opções como tijolinho, papel de parede e até combinações de quadros. Mas, depois de pesquisar muito e pedir a opinião de amigos, encontrei esta tendência de pinturas na parede com desenhos florais e formas abstratas.

A variedade é enorme e para encontrar alguém que fizesse exatamente o mesmo estilo que o meu, foi uma enorme busca por aí.

Minha parede de flores do home office

Minha parede de flores do home office
Minha parede de flores do home office

A artista escolhida foi a Lu Cesetti. Coincidência ou não, nos conhecemos pela internet e já amei o seu trabalho logo de cara: desenhos florais bem delicados, com muitas cores e personalidade.

A Lu caprichou demais no desenho da minha parede e eu simplesmente amei o resultado. Para contratá-la, basta conhecer o seu trabalho pelo instagram, que é uma verdadeira vitrine linda do trabalho da Lu.

Então, é possível solicitar um orçamento e já ir pensando nos desenhos. A Lu me mandou uma prévia da arte da parede e eu logo aprovei. Então, agendamos o dia de trabalho e em menos de oito horas, ela me entregou esta parede pronta e incrível.

Minha parede de flores do home office

Então, aperta o play no Youtube da Caubi e vem conferir esse vídeo com o processo completo do desenvolvimento da arte na parede:

E não se esqueça: se inscreva no canal para não perder nada!

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *