Mudando atitudes

Não adianta falar, falar e falar: o que realmente mostra quem somos verdadeiramente são nossas atitudes. O homem é guiado pelos exemplos que ele apreende e absorve para si e, por mais que a gente fale, o que realmente conta é como agimos em nossas vidas.

Falar uma coisa e agir de outra forma é bobagem. Além de ser contraditório, acaba sendo um sofrimento para nós mesmos pois não conseguimos realizar aquilo que prometemos ou acreditamos. Preciso ser verdadeira comigo mesma para não ficar cada dia mais frustrada ou infeliz por não conseguir realizar minhas metas. Preciso mudar minhas atitudes. Simples assim. Não adianta eu querer emagrecer se toda segunda-feira eu continuo comendo fast food. Não adianta eu fazer caridade aos sábados se não sou educada com o porteiro do prédio de segunda a sexta. Ou então de que adianta eu querer ser rica se eu gasto mais do que ganho: ou trabalho mais ou gasto menos. Mudança de atitudes.

Mudar atitudes é o primeiro passo para tentarmos ser pessoas melhores. E são justamente nossas atitudes que mostram quem realmente somos. Buscar o equilíbrio entre a teoria e a prática é uma das lições mais difíceis. Requer calma, paciência e, acima de tudo, serenidade.

Falar é muito mais fácil. Difícil é manter durante o dia as atitudes que prometemos ter logo quando despertamos. “Hoje estou de bom humor” ou “Nada vai me tirar do sério” é fácil falar quando acordamos, tomamos nosso café da manhã e acompanhamos o sol nascer. Tudo é maravilhoso e parece que o dia vai ser realmente incrível. Porém, o que não planejamos é a greve de transporte público, o trânsito, o chefe de mau humor, o colega de trabalho difícil de lidar, o problema no computador, a briga com o namorado, a geladeira vazia e a fila do mercado à noite. Manter o equilíbrio e agir numa boa perante a todos os imprevistos do dia parece praticamente impossível. Por isso mudar nossas atitudes requerem tanto esforço.

Ensinar o filho a ser educado é difícil. Mas, mais difícil ainda é seguir suas próprias palavras e não xingar o outro num dia de trânsito. Precisamos ser condizentes e verdadeiros em relação àquilo que falamos se comparado ao que fazemos. Se um dia eu falei que perdoei, no outro não posso dizer que ainda tenho raiva de quem me machucou.

A vida devolve para gente o que colocamos nela. É uma troca de ações e, acredite: a vida nunca espera para que nós possamos pensar nas possibilidades ou nas teorias. Ela simplesmente acontece. Cabe a nós mesmos observar nossas atitudes e combiná-las aos nossos pensamentos para buscar uma vida equilibrada e uma alma saudável.

SONY DSC

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, acabou de chegar aos 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *