O acidente do banho-maria

 

Há algumas semanas ~ ou enquanto ainda existia frio em São Paulo ~ decidi convidar algumas amigas para fazer uma noite de fondue aqui em casa. O cardápio era simples: fondue de queijo, vinho e fondue de chocolate com frutas frescas para a sobremesa. Cada uma ficou responsável por um ingrediente e a amiga da sobremesa trouxe as barras de chocolate para derretermos na hora de servir.

Como eu sei tudo sobre ler receitas na internet e reproduzí-las perfeitamente, já me encarreguei do fondue de chocolate… peguei as barras, a panela e disse “deixa comigo que eu faço isso aqui rapidinho enquanto vocês conversam”.

Panela com água, pote dentro da panela e chocolate dentro do pote. Ou o famoso banho-maria para derreter o chocolate do jeitinho que a gente via nossas avós fazendo e parecia ser bem fácil. Na teoria…

… porque na prática foi um desastre! Tudo estava tão quente que foi difícil pensar o que fazer primeiro. Com um pano de prato em cada mão e cada uma delas segurando uma alça da panela que faltou mão para pegar o pote cheio de chocolate.
Afinal, como tirar o pote de dentro da panela? Como escorrer aquela água fervendo? Estas perguntas só veem à cabeça quando bate o desespero. Mas é claro que a primeira coisa que fiz foi levar a panela à pia para evitar qualquer desastre maior. O único detalhe é que a torneira estava aberta!

Torneira aberta, água caindo e a panela com o chocolate embaixo da torneira. Caiu muita água dentro do chocolate e, quando fui tirar o pote da panela, virou ainda mais chocolate na pia 🙁
Em pânico, já não sabia mais o que fazer e estava pensando se teria algum sorvete na geladeira para servir às minhas amigas. Mas aí, rapidamente, uma delas fechou a torneira e me ajudou a tirar o pote da panela… pegamos uma colher e tiramos o excesso de água do chocolate.

Nada que uma boa mexida não deixe o chocolate homogêneo novamente as coisas e fiquem ~ aparentemente ~ normais. Pelo menos as amigas que presenciaram essa cena, eram de casa! 😛

IMG_6263

Lição do dia: na dúvida, coloque o chocolate para derreter no microondas.

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, acabou de chegar aos 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *