Sobre os livros da vida

Imagine a sua vida como uma coletânea de livros. Livros separados por anos, idades, pessoas, fases, etc. E entre tantas páginas, poesias, crônicas e dramas, organizamos nossas vidas como uma grande biblioteca, em estantes que parecem não ter fim.

E em nossa biblioteca, alguns livros são os nossos favoritos. De vez em quando, queremos relembrar e reviver determinados capítulos que marcaram nossas vidas. Pessoas e histórias que deixaram saudades e muito amor em nossas páginas.

Mas existem também aqueles livros de drama, tragédia e terror que não gostamos nem de lembrar que foram escritos. Livros que ficam ao fundo da estante e não podem ser jogados fora, pois também fazem parte de nossa história e, acredite: se não fossem por eles não estaríamos aqui hoje, escrevendo outras tantas histórias.

Mas, ao escrever nossa história, qual o momento certo de virar a página? Eu acredito que a necessidade de virar a página é natural sempre que vier acompanhada da necessidade de mudança. Virar a página e começar um capítulo novo, parágrafo novo. Espaçamento, respiração e letra maiúscula. Tão importante quanto virar a página é a maneira como iremos começar novamente. Novo, diferente, renovado e melhor. É o que esperamos do que irá ser escrito a partir daquela página em branco.

Porém, existem aqueles momentos em que virar a página ainda não é o suficiente para começar a escrever uma nova história. É preciso fechar o livro, guardá-lo e começar a escrever um novo. Capa, índice e prefácio. Tudo em branco. Aquele cheirinho de frescor. Novas histórias, romances, comédias e porque não, dramas? Dramas e tragédias também fazem parte de nossas vidas e sempre serão essenciais à nossa sobrevivência e evolução.

É preciso saber qual o momento certo e em qual livro estamos na história de nossas vidas. Para onde iremos, só depende de nós mesmos. A vida é um livro em branco {com princípios, meios e fins} que será escrito de acordo com nossas decisões, atitudes e o quê e quem escolhemos para dividir as nossas páginas. Porém, estes livros são escritos sempre com tinta permanente e jamais podem ser jogados fora, por isso, devemos escrever com muito carinho e atenção. Lembrando sempre que haverá a oportunidade para um novo começo.

3005-Sustentabilidade-Biblioteca

 493 total views,  3 views today

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    3 thoughts on “Sobre os livros da vida

    1. Maria Helena Goulart de Faria

      Lindo texto adorei…Grandes oportunidades que a vida nos dá…começar de novo é uma delas…o que vamos escrever no livro da vida só depende de nós…

      [Reply]

    2. Marcia Degani

      Texto muito bonito. O difícil é saber que o que foi escrito ficará para sempre, uma marca… Beijos

      [Reply]

      caubi Reply:

      É verdade, cabe a nós mesmos decidirmos em qual página colocar cada momento.
      Obrigada pela visita. Bjooss

      [Reply]

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *