Receita do dia: molho de tomate caseiro

 

Quem aí já está animado para o final de semana? Por aqui, as comemorações e as receitas não param e desta vez, vou compartilhar um sucesso no encontro do final de semana: o molho de tomate caseiro do Menu do Dia. Feito com tomates pelados da La Pastina, essa receita é um sucesso para usar na pizza, no macarrão, na lasanha e onde mais você preferir. Veja como é fácil fazer:

Ingredientes:
6 dentes de alho amassado
3 colheres de sopa de azeite
6 latinhas de ‘pomodori pelati’ da La Pastina
Orégano e sal a gosto

Modo de fazer:
Em fogo baixo refogue o alho no azeite até murchar ~cuidado para não queimar.

Pique os tomates bem grosseiramente e adicione-os à panela. Mexa bem e deixe reduzir até 2/3 para que fique bem apurado. Em seguida, adicione um pouco de orégano e pouquíssimo sal.

Além de colocar na pizza, pode ser consumido como molhos para massa e até pasta para ‘chuchar’ um pão fresquinho que faz o maior sucesso! Para utilizar na pizza, o molho não pode estar quente, ok?

Se sobrar, você pode guardar o molho. Para armazenar, porcione em potes de vidro e conserve por até 5 dias na geladeira. Se preferir congelar, não encha o recipiente até a borda para evitar que o vidro estoure, pode armazenar por até 3 meses. Use a criatividade e crie receitas deliciosas com este molho que é uma verdadeira delícia!

E aí, o que achou desta receita? Conta aqui!

    O que é o gosto Umami

     

    Até pouco tempo atrás, aprendíamos que existiam apenas quatro gostos básicos do paladar – doce, salgado, azedo e amargo. No entanto, o que algumas pessoas ainda não sabem é que o dia 25 de julho é conhecido como o Dia do Umami – data que comemora a descoberta do quinto gosto básico do paladar humano. A escolha da data para a homenagem tem relação direta com o seu descobrimento, que aconteceu em 1908, quando o pesquisador japonês Kikunae Ikeda identificou um gosto diferente e o nomeou de umami.

    O umami é uma palavra de origem japonesa que significa “delicioso e apetitoso”, o quinto sabor básico reconhecido por nosso paladar quando comemos alimentos que possuem as substâncias  glutamato, inosinato e guanilato.

    O glutamato é um aminoácido comum que se encontra em grande quantidade em alimentos como carnes, frutos do mar, tomate, ervilhas, milho e queijo parmesão, e foi a primeira substância associada ao umami. Alguns alimentos e molhos utilizados na culinária japonesa, como peixes e molho shoyu também são grandes fontes de umami.

    O umami é descrito como um gosto denso, profundo e duradouro que produz na língua uma sensação aveludada. Alguns alimentos considerados ‘umami’: queijo, tomate, cogumelo, milho, etc.

    Ao degustar um alimento ou bebida, os receptores das células gustativas localizadas na superfície da língua recebem as substâncias do gosto. Nesse momento são ativados cerca de 7.500 e 12.000 botões gustativos que irão identificar os gostos básicos (doce, salgado, azedo, amargo e umami) e transmitir informações para o cérebro através dos nervos gustativos.

    Veja a seguir seis fatos e curiosidade sobre o umami:
    1 – A escolha da data
    Há quem pense que o umami existe há menos de 20 anos, quando pesquisadores confirmaram a existência de receptores para ele na língua. No entanto, a reviravolta no universo dos gostos aconteceu muito antes de 2000, quase cem anos mais cedo. Foi em 1908 que o professor e cientista Kikunae Ikeda, ao degustar o dashi – caldo tradicional da culinária japonesa feito com alga kombu e peixe bonito –, percebeu um gosto diferente dos até então conhecidos. Após muitas pesquisas, ele conseguiu extrair da alga kombu o ácido glutâmico (glutamato livre) e teve a certeza de que aquele gosto saboroso realmente existia e estava presente em muitos alimentos que consumia diariamente. O dia 25 de julho foi escolhido como o Dia do Umami por ser aquele em que o cientista Kikunae Ikeda concluiu os estudos e, consequentemente, o gosto umami foi descoberto.
    2 – A origem da palavra
    De origem japonesa, a palavra umami significa saboroso, delicioso. Nomeado pelo cientista, o termo sempre foi muito usado no vocabulário dos japoneses ao longo de séculos. Sua escrita é uma derivação de “Umai”, que significa delicioso, e “Mi”, que significa “gosto”.
    3 – Reconhecimento científico
    Mesmo descoberto há mais de um século pelo pesquisador Kikunae Ikeda, o umami só foi reconhecido pela sociedade científica no início dos anos 2000, quando cientistas da Universidade de Miami, liderados pela pesquisadora Nipura Chaudhari, comprovaram a existência de receptores específicos para esse gosto na língua humana. As principais substâncias que proporcionam o umami são o aminoácido glutamato e os nucleotídeos inosinato e guanilato. Após a confirmação, diversas pesquisas e estudos foram iniciados para entender melhor as características e peculiaridades do “novo” gosto.
    4 – Alimentos umami
    Nosso primeiro contato com o umami, geralmente, é pelo leite materno –  que é doce e rico em glutamato – aminoácido responsável por conferir o quinto gosto. O umami está presente em alimentos comuns do dia a dia como: queijos, tomates, carnes, vegetais e cogumelos.
    5 – Principais características
    O gosto umami pode ser qualificado como um gosto profundo e duradouro por conta da sensação aveludada que produz na boca. Suas principais características são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento.
    6 – Benefícios
    O que nem todos sabem é que este gosto de nome aparentemente sofisticado proporciona muitos benefícios à saúde. Entre eles, os principais são o aumento da salivação e o prolongamento do sabor, características que interferem diretamente na aceitação alimentar de, principalmente, crianças e idosos, a manutenção da higiene bucal e o auxílio na redução de sódio e na digestão de proteínas.
    Aproveite o dia do Umami e comece a reparar e prestar atenção aos sabores para identificar o quinto gosto!

      Massa de pizza caseira, por Menu do dia

       

      No post anterior (você confere clicando aqui), contei um pouquinho sobre uma noite de pizza e amigos e alguns detalhes da mesa e da decoração. Hoje é o dia de revelar o segredo da Cynthia do Menu do Dia e compartilhar por aqui a receita dela de massa de pizza caseira! Super simples e prática, essa massa fica fininha e super crocante e combina com qualquer recheio. É só usar a imaginação, combinar os ingredientes e ser feliz. Vem ver aqui:

      Ingredientes:
      1 kg de farinha de trigo branca
      1 colher de chá de sal
      1 colher de chá de açúcar
      30 g de fermento biológico em pó
      3/4 de xícara de azeite
      3 xícaras de água morna
      1 colher de sopa de pinga (opcional)

      Modo de fazer:
      Misture todos ingredientes secos: açúcar, sal, fermento e metade da farinha.

      Depois coloque os líquidos aos poucos intercalando com o restante da farinha.

      Misture tudo até a massa ficar bem homogênea. Deixe descansar por 1 hora em ambiente morno para crescer coberto com um pano de prato (de preferência dentro do armário ou do micro-ondas sem funcionar).

      Depois, faça as bolinhas de massa, mais ou menos do tamanho de uma bola de tênis e deixe descansar por mais uns 15 minutos.

      PRONTO! Agora é abrir com um rolo, e pré assar em forno alto até que a massa seque e fique bem crocante. Use a criatividade nos recheios e bom apetite! No nosso jantar nós fizemos pizza nos sabores de:
      – Presunto, muçarela e azeitona verde
      – Clássica calabresa
      – Marguerita
      – Tomate com cebola e azeite trufado
      – Marinara (molho, alho e orégano)
      – Espinafre com queijo
      – Portuguesa
      – Alho poró com azeite trufado
      – Brócolis com queijo


      Para a pizza doce, escolhemos de brigadeiro: é só pré assar a massa, colocar o brigadeiro e levar ao forno apenas para esquentar. Depois colocar a cobertura de preferência (granulado, morango ou  banana… de acordo com o gosto da galera).

      Por aqui, tudo acaba em pizza! 🙂

        Amigos e pizza, uma combinação deliciosa

         

        Este final de semana foi uma delícia por aqui, literalmente. Rolou muita comida gostosa e gente querida. Só que desta vez, a reunião aconteceu no Portal da Gastronomia. Os meninos convidaram os amigos para uma noite de pizza caseira, vinhos e música no apartamento em São Paulo.

        A Cynthia ~ do Menu do dia ~ foi a responsável pelo cardápio de pizzas e apresentou pra galera sua massa caseira deliciosa, fininha e crocante (aguarde que em breve vou compartilhar a receita secreta dela por aqui…) com diversos recheios – inclusive doces.

        Já eu fiquei responsável pela decoração da mesa. Minha ideia foi misturar alguns temperos e ingredientes da pizza ao clima descontraído de amigos. Os jogos americanos são da Lojinha da Caubi e escolhi este modelo porque tinham tudo a ver com a noite: chefinhos em tons de vermelho e verde.

        Com potinhos coloridos espalhei temperos, tomates, pimenta e até pimentão pela mesa. Optei por arranjos mais baixos, para que os convidados pudessem conversar sem nenhum obstáculo na altura dos olhos. Além disso, é possível ver as cores predominantes da mesa: vermelho e verde mas com alguns pontos em amarelo também, deixando tudo muito alegre e com a cara da reunião.

        Uma boleira virou prato e a pizza era servida ali mesmo. Para facilitar, partíamos os pedaços antes de servir e os convidados pegavam os pedaços com a mão mesmo: super informal e descontraído. Até um rolo de abrir massa virou decoração e deu o toque final à mesa.

        As latas de molho de tomate pelado viraram vasinhos. Super simples e prático de fazer é só higienizar, colocar água e as flores de sua preferência. Eu misturei mini margaridas com temperos: tinha ramos de manjericão, tomilho e alecrim espalhados pela mesa. Além de decorar, cada convidado podia arrancar as folhas de tempero e acrescentar ao seu pedaço de pizza.

        Para os guardanapos, decidi seguir um caminho rústico: em cada um deles, fiz um laço com pedaços de sisal e coloquei uma pimenta no meio, que deu todo o charme e toque pessoal e personalizado à decoração.

        E para a sobremesa, além das pizzas doces, o Manu do Meu Apê 81 fez um pudim de leite condensado maravilhoso pra fechar a noite.

        E aqui, a galera reunida:
        Cookpoint
        Delicious by Mari
        Estilo Itaim 
        Meu Apê 81
        Menu do dia
        Portal da Gastronomia
        Os Sabores do Mundo

        Afinal, existe coisa melhor que reunir os amigos? 🙂

          Torta de limão siciliano e cookies

           

          Que tal começar o final de semana com uma receita super fácil de fazer? Por aqui, a torta de limão siciliano com cookies foi testada e super aprovada: é leve, cremosa e mistura sabores super diferentes que a gente nunca imaginaria que ficariam tão bons juntos. Veja como fazer e aproveite!

          Ingredientes:
          1 pacote de cookies de baunilha e chocolate
          1 lata de leite condensado
          3 unidades de limão siciliano
          150 gramas de cream cheese
          1/2 lata de creme de leite sem soro
          Raspas de limão para decorar

          Modo de fazer:
          Reserve quatro cookies.

          Triture o restante dos cookies com as mãos e forre o fundo de uma forma de 18,5 cm de diâmetro com aro removível.

          No liquidificador, bata o leite condensado e o suco de limão por 15 minutos ou até obter um creme espesso. Acrescente o cream cheese e o creme de leite e bata por mais 2 minutos.

          Coloque os cookies reservados nas laterais da forma e despeje o recheio. Em seguida, leve à geladeira por, no mínimo, 2 horas.

          Salpique a raspa da casca de 1 limão e sirva em seguida.

          E aí, o que achou desta receita deliciosa?
          Conta aqui 🙂