Um tour pela vinícola Concha y Toro

 

Impossível escrever sobre vinhos por aqui e não falar da Concha y Toro né? Para quem acompanha o blog há algum tempo sabe do meu carinho pela marca e que na minha viagem ao Chile não poderia ser diferente: o tour pela vinícola Concha y Toro seria uma parada obrigatória. 🙂

Saímos de São Paulo com a reserva já feita através do site. É possível agendar com até 24h de antecedência, dependendo da disponibilidade dos horários. Chegando à Concha y Toro, basta se identificar na entrada e informar o número da reserva para ter o acesso liberado.

Existem dois tipos de tour: o Tradicional e o Marques de Casa Concha. A diferença entre eles é basicamente a quantidade de degustações e os horários de visita. Com maior disponibilidade de horários (é possível agendar visitas das 10h às 17h), optamos pelo tour Tradicional, com 1 hora de duração e guia em português. Este passeio custa 14 mil pesos (cerca de 75 reais) e inclui ~ além do tour pela vinícola ~ 3 degustações e uma taça da vinícola de presente ao final do passeio.

Ao passar pelo portão principal, havia um guia para informar o ponto de encontro. Chegamos com cerca de 30 minutos de antecedência e o tour pela vinícola começou pontualmente no horário agendado.

A visita começa pelos jardins da vinícola que dão acesso à mansão onde morava a família fundadora da Concha y Toro, que criou a marca em 1883. Tudo começou quando Don Melchor ~ o criador de Concha y Toro ~ trouxe uvas da Europa para plantio e consumo próprio de vinho.

Atualmente, a marca conta com mais de 100 mil hectares de plantação, espalhados por 54 vinhedos do Chile, Argentina e Estados Unidos. A Concha y Toro possui 12 marcas de vinho (Carmín de Peumo, Don Melchor, Amelia, Terrunyo, Marques de Casa Concha, TRIO, Casillero del Diablo, Sunrise, Frontera e Almaviva) e exporta para mais de 100 países, sendo a maior marca de vinhos do mundo em produtividade.

Saindo do jardim, caminhamos em direção ao vinhedo de Pirque Velho, com lugar para 26 cepas de uvas viníferas. A época de colheita é entre os meses de março e maio, portanto não foi possível ver as uvas; apenas a folhagem crescendo. E foi uma experiência e tanto, é realmente lindo!

E então fizemos a primeira parada para degustação: o primeiro vinho foi um Marques da Casa Concha Sauvignon Blanc super leve e gostoso. Melhor ainda porque provamos com esta vista maravilhosa!

Em seguida, em um ponto um pouco mais alto, passamos para a degustação de vinho tinto: fomos de Carmenere Marques de Casa Concha, um pouco mais encorpado mas igualmente delicioso.

E seguimos o tour para uma das partes mais aguardadas do passeio: a lenda do Casillero del Diablo! Pudemos visitar e conhecer a área de armazenagem dos barris e um pouco mais sobre a lenda tão famosa de Don Melchor. Vou contar os detalhes dessa visita e um pouco mais sobre a lenda em um post exclusivo, com fotos incríveis ~ inclusive com o próprio diabo rsrsrs…. ~ aguardem!

Finalizamos o passeio com uma última desgustação: um Casillero del Diablo! Ao fim do tour, fomos direto ao Wine Bar para almoçar. Entre sanduíches e saladas, é possível também escolher uma tábua de queijos e frios e harmonizar com os vinhos Concha y Toro. Eu comi um ciabatta de avocado com ricota, salmão e mostarda harmonizado com um Chardonnay. Incrível!

Por fim, fomos à loja da vinícola com todas as variedades e marcas da Concha y Toro disponíveis para venda. Os preços são inacreditáveis se comparados ao Brasil. Tivemos sorte em aproveitar uma promoção de 4 garrafas de Marques de Casa Concha por 37.000 pesos (algo em torno de 185 reais). Apenas para comparar: aqui no Brasil é possível encontrar cada garrafa a partir de 120 reais. Ou seja, se você é fã de vinhos, vá com a mala vazia para aproveitar esta oportunidade!
*Vale a pena consultar a companhia aérea. Eu fui de Latam e era permitido trazer na mala de mão 4 garrafas.

Como chegar: a vinícola fica a cerca de 30km do centro de Santiago e é bem tranquilo utilizar transporte público para chegar até lá. Nós fomos de metrô e ônibus e o único ponto negativo foi carregar os vinhos que compramos na volta. Como os preço estavam muito bons, não resistimos e trouxemos pra casa algumas garrafas 🙂

Fizemos o seguinte roteiro: no Metro de Santiago pegamos a linha 4 (azul escuro) até a Estação Las Mercedes. Saindo da estação, fomos à saída “Concha y Toro Oriente” e então pegamos um ônibus ~ apenas as linhas Metrobus n° 73, 80 ou 81, que param em frente à entrada da vinícola ~ que nos deixou bem em frente à entrada principal. Cada trajeto fica em menos de 1.500 pesos (cerca de 7 reais) por pessoa.

Vinícola Concha y Toro
Avenida Ramon Subercaseaux, 210 -Pirque
De segunda à domingo das 10h às 17h
Idiomas: espanhol, inglês e português

Não perca o próximo post: vou contar um pouquinho mais sobre a lenda do Casillero del Diablo!

    Risoto de palmito e queijo brie

     

    Que tal começar o final de semana com uma receita deliciosa e super prática? O risoto de palmito com queijo brie é a nossa sugestão de hoje, para servir para a família e amigos. O resultado foi um sucesso! Veja o passo a passo para repetir por aí:

    Ingredientes:
    600g de palmito picados em rodela
    300g de queijo tipo brie em cubos
    2 colheres de sopa de manteiga
    1 cebola bem picada
    2 xícaras de arroz arbóreo ou carnaroli
    1 taça de vinho branco
    1,5 litro de caldo de legumes
    Queijo parmesão ralado na hora
    Alecrim para decorar

    Modo de fazer:
    Aqueça o caldo de legumes e o mantenha em fogo baixo.

    Numa panela doure a cebola, junte o arroz e refogue por 2 minutos. Acrescente a taça de vinho, mexa um pouco e vá adicionando 1 concha de caldo por vez e mexendo sem parar. Volte a adicionar mais caldo quando o anterior tiver sido absorvido. Continue até que o arroz esteja al dente (25 a 30 minutos). Junte ao arroz o palmito picado e continue misturando delicadamente, para ele fique macio sem desmanchar.

    Desligue o fogo, junte o parmesão, a manteiga e os cubos de queijo brie. Mexa levemente, acerte o sal e sirva imediatamente com um ramo de alecrim. Bom apetite!

    E aí, o que achou deste prato para testar e inovar no final de semana?
    Conta aqui 🙂

      De carona: uma semana no Chile

       

      De volta para casa depois de uma semana de férias! Para encerrar bem o ano, saí para conhecer o Chile com duas amigas em uma aventura incrível. Ao longo das próximas semanas vou contar em detalhes todos os passeios, pontos positivos ~ e negativos ~ e algumas dicas imperdíveis para curtir a viagem da melhor maneira. Se você está planejando ir para lá, não deixe de acompanhar o blog.

      E para começar, vou resumir um pouquinho aqui do que fizemos por lá dia a dia.

      Dia 1: saída de São Paulo para Santiago. Nosso voo chegou perto das 11h da manhã. Conseguimos uma passagem pela Latam ida-volta por R$ 681; vale a pena ficar de olho nestas promoções porque realmente valem a pena! Na saída do aeroporto, chamamos um Uber e fomos direto ao nosso apartamento que alugamos via Airbnb. O apartamento é super bem localizado, na região central de Santiago com fácil acesso ao metrô. Com capacidade para até 3 pessoas, foi super tranquilo contar com uma cozinha para fazer comidinhas caseiras depois de dias longos de passeio.

      * fique atento com o transporte no Chile. Quando pedi dicas de transporte, não teve exceção: todo mundo me falou para tomar cuidado com táxi por lá. Como a moeda é bem diferente da nossa, é comum o turista confundir os valores e muitas vezes os taxistas se aproveitam disso. Se você tiver internet por lá, vale a pena contar com Uber a Cabify. Usei este serviço durante toda a viagem e não tivemos grandes ocorrências com cobranças ou trajetos.

      Depois de deixarmos as malas no apartamento, fomos explorar a região. Caminhamos em direção ao Mercado Central e à Plaza de Armas. Esta é uma região bem agitada e repleta de lojas e comércio popular. Quase fomos furtadas então fica a dica: mochilas sempre para frente e celular no bolso! Almoçamos em um restaurante peruano por ali mesmo e retornamos ao apartamento. À noite fomos jantar no Pateo Bellavista, um local a céu aberto repleto de restaurantes e bares: parada obrigatória para quem curte um pouco de agito em Santiago.

      Dia 2: já no domingo fomos abençoadas com o tempo: céu azul, sol e bastante calor. Decidimos então caminhar pelo Parque Bicentenário e tivemos a sorte de encontrar uma feira de comidas típicas e artesanato. Descobrimos que a feira acontece todo domingo a cada 2 meses no local. Vale muito a pena pesquisar antes de ir porque a feira é realmente muito bacana 🙂

      Continuamos a caminhada e paramos para almoçar no Mestizo, restaurante que fica dentro do parque e foi recomendado por 100% das pessoas que me deram dicas do Chile. E realmente, faz justiça à fama que tem: lugar bonito, bom atendimento e comida deliciosa. Vou postar mais detalhes depois, aguardem…

      Dia 3: na segunda-feira perdemos uma guerreira rsrsrs… uma das amigas não conseguiu tirar férias e voltou pra São Paulo. Em duas pessoas, tínhamos a semana toda pela frente para continuar aproveitando a viagem. Seguimos então para Cerro Santa Lucia, um morro dentro da cidade com um parque com praças, fontes e escadarias que levam a um mirante, o qual é possível aproveitar uma linda vista de Santiago.

      Tentamos fazer outros passeios também mas segunda-feira grande parte dos museus e atrações estavam fechados. Seguimos então para o Parque Arauco, um shopping a céu aberto bem estilo americano.

      Dia 4: dia de passeio cultural. Começamos pelo Museo de la Memoria y los Derechos Humanos, que conta histórias e memórias da ditadura chilena; um passeio incrível pela cultura do país, o qual foi possível entender um pouquinho mais sobre essa parte da história tão marcante na América Latina. A entrada é gratuita e para quem curte arte e história esta é uma parada obrigatória.

      Em seguida fizemos uma breve visita à Catedral Metropolitana de Santiago e seguimos o passeio e o almoço para o bairro Itália, repleto de arte e gastronomia.

      Dia 5: um dos sonhos realizados foi a visita à vinícola Concha y Toro, uma das marcas mais amadas deste blog <3  vai ter post detalhando tudinho sobre a visita, mas já adianto: é um passeio SENSACIONAL para os amantes de vinho! É possível passear, conhecer a vinícola, degustar, comer bem e ainda levar os principais vinhos da marca por preços bem mais acessíveis. Fizemos o passeio por conta própria em transporte público e foi super tranquilo. Em breve postarei os detalhes de como fazer a reserva e chegar à vinícola com tranquilidade e diversão.

      Depois desta visita seguimos para o Sky Costanera ~ o prédio mais alto da América Latina, com 300m de altura ~ para observar o pôr do sol nas alturas. Simplesmente sem palavras!

      Dia 6: um dos passeios mais aguardados era a mini viagem para Cajon del Maipo e Embalse el Yeso. Depois de duas horas de viagem de ônibus, foi possível encontrar esta vista maravilhosa. Muito frio e muito perrengue para chegar até o topo, mas o azul da água e a neve da montanha compensaram qualquer esforço.
      Este é um passeio que precisa ser bastante estudado na hora da contratação. Em breve vou postar – e mostrar mais detalhes – desse backstage rsrsrs…

      Dia 7: em nosso último dia de passeio, fomos até a rodoviária e pegamos um ônibus para Valparaíso. Para quem curte turistar sem pressa e observar cada detalhe de arte e arquitetura vai amar a cidade! Ela é famosa por abrigar La Sebastiana, uma das casas de Pablo Neruda que virou museu e vale muito a pena ser visitado.

      Além disso, a cidade abriga infinitos grafites nas paredes de casas nas subidas e descidas. Impedível!

      Terminando o passeio em Valparaíso, pegamos um Uber em 10 minutos estávamos em Viña del Mar, a famosa cidade do relógio de flores. Não perdi a oportunidade e coloquei os pés no – SUPER gelado – oceano Pacífico para renovar as energias e voltar para casa com o coração cheio de alegria e gratidão.

      Dia 8: retorno para São Paulo com muita emoção, já que com a mudança no peso das malas para despachar, 23 kg ficou pouco para o tanto de coisas que trouxemos rsrsrs… vale ficar atento a isto, principalmente em relação a quantidade de garrafas de vinho para não perder o controle. Voltamos pela Latam e é permitido transportar até 4 garrafas na mala de mão. Eu consegui trazer algumas garrafas na mala, então valeu muito a pena porque o preço realmente compensa 🙂

      Fique ligado por aqui, a partir da próxima semana irei compartilhar mais detalhes da viagem com passeios, trajetos, valores, o que fazer e principalmente: o que não fazer para não entrar em roubadas…. espero que gostem. Me contem aqui o que estão achando ok?!

        Frango à milanesa prático e rápido com Satis

         

        Esta semana recebi uma novidade deliciosa por aqui da Ajinomoto: Satis Tempera e Empana é a solução completa, rápida e fácil para o preparo de pratos à milanesa. Pronto para usar, é só passar no filé de frango ou peixe ~ não é recomendado para carnes vermelhas ~ e escolher a forma para preparar: no forno ou frigideira.

        Disponível em três sabores, recebi por aqui o Satis tradicional com uma receita deliciosa para o preparo de frango à milanesa com creme de milho.

        Ingredientes:
        500g de filé de peito de frango (5 filés de 100g cada)
        1 sachê de Satis tradicional
        ½ cebola
        1 colher de sopa de manteiga
        1 lata de milho em conserva
        15g de leite em pó
        ½ xícara de chá de creme de leite
        ½ colher de chá de sal

        Modo de fazer:
        Empane os filés de frango no Satis em um prato raso, pressionando levemente para que o tempero grude dos dois lados do filé.

        Pré-aqueça o forno a 180 graus por 10 minutos. Coloque os filés de frango em uma assadeira.

        Leve ao forno preaquecido por 20 minutos, virando-os na metade do tempo ou até dourarem ligeiramente dos dois lados. Tire do forno e reserve.

        Descasque e pique ½ cebola. Em uma panela, coloque uma colher de manteiga, a cebola picada e leve ao fogo alto para aquecer. Refogue por um minuto. Em seguida, adicione o milho e refogue por mais dois minutos.

        Transfira os ingredientes da panela para o liquidificador e junte ½ xícara de chá de creme de leite. Dissolva o leite em pó em ½ xícara de chá de água e acrescente ao liquidificador. Tempere com sal e bata até obter uma consistência cremosa.

        Sirva o filé de frango com o creme de milho e aproveite, fica uma combinação deliciosa!

        E aí, o que achou desta novidade? 🙂

          Confraria Gallo e o ritual da Tiborna

           

          Para quem acompanha o blog nas redes sociais, viu que está rolando uma parceria muito legal com a marca de azeites Gallo. Fui convidada para fazer parte da Confraria Gallo para compartilhar experiências, conhecer os produtos, novas receitas e é claro, saborear muito azeite!

          E preciso confessar que depois que entrei para a Confraria, meu jeito de degustar azeite e usar este ingrediente na cozinha mudou completamente. Ao longo das próximas semanas vou postar por aqui algumas técnicas de degustação que aprendi para te ajudar a escolher o azeite que combina melhor com o seu paladar 😉
          São tantas opções e tantas variações que fica difícil escolher um único favorito. E descobri também que além das tradicionais receitas que estamos acostumados a ver por aí, também é possível ~ e delicioso ~ preparar doces com azeite. Em breve também postarei uma receita de brigadeiro com azeite surpreendente! Fiquem de olho por aqui.

          E uma das coisas mais legais que aprendi com esta Confraria foi o Ritual da Tiborna! Este ritual consiste em colocar porções de azeite em potinhos individuais e acrescentar temperos de acordo com o gosto de cada um ~ entre os temperos, é possível escolher e servir à mesa pimenta rosa, flor de sal, cúrcuma, açúcar mascavo, páprica, etc; E, seguida, disponha fatias de pão quentinho para que cada pessoa possa fazer sua mistura e ressaltar o sabor do azeite como preferir.

          Para reunir a família e amigos é uma delícia e impossível resistir! Já provei, servi aqui em casa e foi um sucesso. Vale a pena testar como entradinha, acompanhada por um bom vinho. É um jeito simples para confraternizar, compartilhar e dividir experiências de sabores e harmonizações.

          E aí, gostou deste ritual?
          Conta por aqui 🙂