Risoto de brie e gouda com crispy de parma

 

Já tem a receita para a sua próxima refeição? Que tal um risoto com os queijos brie e gouda finalizado com crispy de parma? Todo o sabor destes queijos com a combinação e crocância do parma. Veja como surpreender seus convidados com essa receita deliciosa e super fácil de fazer:

Ingredientes:
200g de queijo tipo brie em cubos
100g de queijo tipo gouda em cubos
2 colheres de sopa de manteiga
1 cebola bem picada
1 dente de alho picado
2 xícaras de arroz arbóreo ou carnaroli
1 taça de vinho branco
1,5 litro de caldo de legumes
150g de presunto parma crispy*
Tomilho e pimenta rosa para decorar

Modo de fazer:
Aqueça o caldo de legumes e o mantenha em fogo baixo.

Numa panela doure a cebola e o alho em uma colher de sopa de manteiga, junte o arroz e refogue por 2 minutos. Acrescente a taça de vinho, mexa um pouco e vá adicionando 1 concha de caldo por vez e mexendo sem parar. Volte a adicionar mais caldo quando o anterior tiver sido absorvido. Continue até que o arroz esteja al dente (25 a 30 minutos).

Desligue o fogo, junte a manteiga, os cubos de queijo brie e do gouda. Mexe levemente e finalize com os crispys de parma. Bom apetite!

 

Crispy de presunto parma:
Separe algumas fatias de presunto parma e o excesso de gordura. Corte essas fatias em pedaços e coloque sobre um papel toalha ou um guardanapo em um prato (que possa ir ao micro-ondas). Cubra tudo com papel toalha e leve ao micro-ondas por 2 minutos na potencia máxima. Veja se as fatias já estão bem sequinhas e, caso contrário, volte ao micro-ondas por mais 30 segundos. Retire os papéis e deixe secar por um tempo. Em seguida, corte grosseiramente com as mãos.

E aí o que achou desta receita? Conta aqui! 🙂

    Fondue com os amigos

     

    Que tal aproveitar que o frio chegou para ficar e reunir os amigos para um fondue delicioso? Em uma noite organizada pelos meninos do Portal da Gastronomia, eu e a Cy do Menu do Dia pudemos aproveitar um jantar quentinho com dois tipos de fondue: queijo e chocolate. Com fondues da marca Calimp e pães da Puratos, fiquei responsável pela decoração da mesa, utilizando as panelas e o cenário do Portal da Gastronomia com um toque de Casa da Caubi.

    Veja um pouquinho mais sobre essa noite deliciosa e aproveite a semana para compartilhar o friozinho com quem você ama.

    Para identificar os convidados à mesa, separei pontas dos pães e coloquei uma tag com os nomes em ratinhos – além de fofo, combinou demais com o clima do fondue de queijo.

    Uma mesa cheia de cor e alegria: cada convidado ficou com um prato em cor diferente para ajudar a identificar o próprio prato e dar aquela descontraída na decoração da mesa. Com bowls espalhados pela mesa, tivemos batatas cozidas e nhoque recheado… além do tradicional pão italiano, espalhado por tábuas.

    Além disso, coloquei um potinho com rolhas de vinho, para que pudéssemos jogar ali as rolhas usadas com os vinhos abertos ao longo do jantar. Além de decorativo, funcional.

    E para a sobremesa, que tal servir um fondue de chocolate com muitas frutas e formiguinhas? Em uma panela de cerâmica, servimos o fondue de chocolate e em cocottes coloridas espalhamos as frutas: maçã, morango e banana para que cada um pudesse aproveitar o fondue com o seu acompanhamento favorito.

    E aí, o que achou destas ideias para esquentar o seu inverno?
    Conta aqui 🙂

      Bolo de limão siciliano e mirtilo

       

      Que tal começar o dia com um bolo delicioso? Recebi esta receita da seguidora Bernadete com o maior carinho e resolvi testar: que maravilha! Além de fofinho, ficou muito saboroso. A mistura dos sabores do limão siciliano com o mirtilo explode na boa e fica ainda melhor com um café bem quentinho. Veja o passo a passo para você testar por aí também:

      Ingredientes:
      3 ovos
      4 colheres de margarina sem sal
      1 e 1/2 xícara de açúcar
      1 xícara de suco de 2 limões sicilianos
      1/4 de xícara de leite
      2 xícaras de farinha de trigo
      1 colher de sopa de amido de milho
      1 colher de sopa de fermento
      200 g de mirtilo

      Modo de fazer:
      Na batedeira, bata os ovos com a margarina e o açúcar até formar um creme claro e bem fofo.

      Com a batedeira ligada, acrescente a farinha aos poucos e devagar até que se integre à massa de forma homogênea. Em seguida, adicione o leite ~ sem parar de bater ~ e depois o suco de limão siciliano. Depois, acrescente o amido de milho e o fermento. Quando a massa estiver bem uniforme, desligue a batedeira.

      Despeje a massa em uma forma untada com margarina e farinha e, aos poucos, espalhe os mirtilos pelo bolo.

      Leve ao forno a 200 graus por aproximadamente 45 minutos. Está pronto para servir!

      Depois me conta o que achou desta receita 🙂

        Receita do dia: molho de tomate caseiro

         

        Quem aí já está animado para o final de semana? Por aqui, as comemorações e as receitas não param e desta vez, vou compartilhar um sucesso no encontro do final de semana: o molho de tomate caseiro do Menu do Dia. Feito com tomates pelados da La Pastina, essa receita é um sucesso para usar na pizza, no macarrão, na lasanha e onde mais você preferir. Veja como é fácil fazer:

        Ingredientes:
        6 dentes de alho amassado
        3 colheres de sopa de azeite
        6 latinhas de ‘pomodori pelati’ da La Pastina
        Orégano e sal a gosto

        Modo de fazer:
        Em fogo baixo refogue o alho no azeite até murchar ~cuidado para não queimar.

        Pique os tomates bem grosseiramente e adicione-os à panela. Mexa bem e deixe reduzir até 2/3 para que fique bem apurado. Em seguida, adicione um pouco de orégano e pouquíssimo sal.

        Além de colocar na pizza, pode ser consumido como molhos para massa e até pasta para ‘chuchar’ um pão fresquinho que faz o maior sucesso! Para utilizar na pizza, o molho não pode estar quente, ok?

        Se sobrar, você pode guardar o molho. Para armazenar, porcione em potes de vidro e conserve por até 5 dias na geladeira. Se preferir congelar, não encha o recipiente até a borda para evitar que o vidro estoure, pode armazenar por até 3 meses. Use a criatividade e crie receitas deliciosas com este molho que é uma verdadeira delícia!

        E aí, o que achou desta receita? Conta aqui!

          O que é o gosto Umami

           

          Até pouco tempo atrás, aprendíamos que existiam apenas quatro gostos básicos do paladar – doce, salgado, azedo e amargo. No entanto, o que algumas pessoas ainda não sabem é que o dia 25 de julho é conhecido como o Dia do Umami – data que comemora a descoberta do quinto gosto básico do paladar humano. A escolha da data para a homenagem tem relação direta com o seu descobrimento, que aconteceu em 1908, quando o pesquisador japonês Kikunae Ikeda identificou um gosto diferente e o nomeou de umami.

          O umami é uma palavra de origem japonesa que significa “delicioso e apetitoso”, o quinto sabor básico reconhecido por nosso paladar quando comemos alimentos que possuem as substâncias  glutamato, inosinato e guanilato.

          O glutamato é um aminoácido comum que se encontra em grande quantidade em alimentos como carnes, frutos do mar, tomate, ervilhas, milho e queijo parmesão, e foi a primeira substância associada ao umami. Alguns alimentos e molhos utilizados na culinária japonesa, como peixes e molho shoyu também são grandes fontes de umami.

          O umami é descrito como um gosto denso, profundo e duradouro que produz na língua uma sensação aveludada. Alguns alimentos considerados ‘umami’: queijo, tomate, cogumelo, milho, etc.

          Ao degustar um alimento ou bebida, os receptores das células gustativas localizadas na superfície da língua recebem as substâncias do gosto. Nesse momento são ativados cerca de 7.500 e 12.000 botões gustativos que irão identificar os gostos básicos (doce, salgado, azedo, amargo e umami) e transmitir informações para o cérebro através dos nervos gustativos.

          Veja a seguir seis fatos e curiosidade sobre o umami:
          1 – A escolha da data
          Há quem pense que o umami existe há menos de 20 anos, quando pesquisadores confirmaram a existência de receptores para ele na língua. No entanto, a reviravolta no universo dos gostos aconteceu muito antes de 2000, quase cem anos mais cedo. Foi em 1908 que o professor e cientista Kikunae Ikeda, ao degustar o dashi – caldo tradicional da culinária japonesa feito com alga kombu e peixe bonito –, percebeu um gosto diferente dos até então conhecidos. Após muitas pesquisas, ele conseguiu extrair da alga kombu o ácido glutâmico (glutamato livre) e teve a certeza de que aquele gosto saboroso realmente existia e estava presente em muitos alimentos que consumia diariamente. O dia 25 de julho foi escolhido como o Dia do Umami por ser aquele em que o cientista Kikunae Ikeda concluiu os estudos e, consequentemente, o gosto umami foi descoberto.
          2 – A origem da palavra
          De origem japonesa, a palavra umami significa saboroso, delicioso. Nomeado pelo cientista, o termo sempre foi muito usado no vocabulário dos japoneses ao longo de séculos. Sua escrita é uma derivação de “Umai”, que significa delicioso, e “Mi”, que significa “gosto”.
          3 – Reconhecimento científico
          Mesmo descoberto há mais de um século pelo pesquisador Kikunae Ikeda, o umami só foi reconhecido pela sociedade científica no início dos anos 2000, quando cientistas da Universidade de Miami, liderados pela pesquisadora Nipura Chaudhari, comprovaram a existência de receptores específicos para esse gosto na língua humana. As principais substâncias que proporcionam o umami são o aminoácido glutamato e os nucleotídeos inosinato e guanilato. Após a confirmação, diversas pesquisas e estudos foram iniciados para entender melhor as características e peculiaridades do “novo” gosto.
          4 – Alimentos umami
          Nosso primeiro contato com o umami, geralmente, é pelo leite materno –  que é doce e rico em glutamato – aminoácido responsável por conferir o quinto gosto. O umami está presente em alimentos comuns do dia a dia como: queijos, tomates, carnes, vegetais e cogumelos.
          5 – Principais características
          O gosto umami pode ser qualificado como um gosto profundo e duradouro por conta da sensação aveludada que produz na boca. Suas principais características são o aumento da salivação e a continuidade do gosto por alguns minutos após a ingestão do alimento.
          6 – Benefícios
          O que nem todos sabem é que este gosto de nome aparentemente sofisticado proporciona muitos benefícios à saúde. Entre eles, os principais são o aumento da salivação e o prolongamento do sabor, características que interferem diretamente na aceitação alimentar de, principalmente, crianças e idosos, a manutenção da higiene bucal e o auxílio na redução de sódio e na digestão de proteínas.
          Aproveite o dia do Umami e comece a reparar e prestar atenção aos sabores para identificar o quinto gosto!