Para não perder o foco na dieta

 

12508756_1017504001629397_2134983484422507691_n

Quem acompanha o blog pelo Instagram (se você ainda não segue a gente, vem conferir no @casadacaubi), viu que esse negócio de vida saudável tá ficando sério nesse ano novo. Esta semana fiz minha primeira compra de mercado do ano e o foco foi totalmente em frutas. Como não almoço em casa, fica difícil manter a geladeira cheia de verduras sem que elas estraguem; à noite prefiro comer comidas leves como tapioca ou torrada com cream cheese.

Não vou falar que está fácil; ontem senti um cheiro de batata frita vindo de um bar e quase comecei a chorar no meio da rua rsrsrs… mas aproveitei bastante nas festas de final de ano, então não dá pra reclamar: tenho que correr atrás do prejuízo. E, pra dar uma ajuda, conversei com uma nutricionista e pedi umas dicas para não perder o foco nem o controle da dieta. A Lilian Camargo listou uma série de coisas que podemos fazer para tornar a reeducação alimentar menos dolorosa. Veja o que ela listou:

  • Faça 6 refeições por dia, em horários determinados e com moderação. O tempo entre uma refeição não deve ser menor que 2 horas nem maior do que 3 horas;
  • Mastigue bem os alimentos saboreando-os; assim sentirá saciedade com menor quantidade;
  • Evite frituras: são muito calóricas e não saudáveis. Sempre que possível, asse, grelhe ou cozinhe seus alimentos;
  • Cuidado com a quantidade de sal: evite colocar o sal na mesa;
  • Coma, na medida do possível, alimentos integrais e sem agrotóxicos;
  • Coma frutas diversas e com bagaço: escolha frutas frescas ou secas; dê mais atenção às frutas, ao invés dos sucos. Elas contêm fibras que dão saciedade;
  • Beba água nos intervalos das refeições, pelo menos 6 COPOS ao longo do dia. Ajuda no funcionamento do intestino; Se for difícil consumir, saborize com frutas com casca em rodelas (laranja, limão, abacaxi, maçã…), hortelã, canela, …. Deve ser mantida na geladeira e descartada no final do dia;
  • Selecione carnes e aves magras ou preparadas com pouca gordura (cozidas, grelhadas ou assadas); utilize ervas nas preparações, como salsinha, sálvia, tomilho, orégano, alecrim, pois elas possuem propriedades antioxidantes e efeitos anti inflamatórios e dão sabor aos alimentos. Se possível utilizá-las frescas;
  • Prefira alimentos e bebidas sem açúcar adicionado;
  • Evite alimentos embutidos;
  • Na hora da compra, leia o rótulo para verificar as quantidades de gordura saturadas, trans e de sódio. Compre alimentos que possuem menor quantidade dessas substâncias;
  • Faça com que as maiores fontes de gordura provenham de peixes (sardinha, atum, truta), oleaginosas (castanha do Pará, sementes de abóbora e girassol etc.), abacate e óleos vegetais;
  • Os vegetais de folhas verdes devem ser consumidos diariamente, pelo menos 3 porções (espinafre, agrião, rúcula, couve, escarola, mostarda etc.) nas diversas preparações (no arroz, na sopa, na salada, no sanduíche);
  • Após o jantar, se tiver fome prefira frutas. Coma abacate com limão, banana com canela, isso ajuda a diminuir a vontade de comer doces.
  • Usar o mínimo possível de gordura (óleo) no preparo dos alimentos;
  • Utilizar, quando necessário, produtos industrializados com baixo teor de gordura (light ou desnatados);
  • Reservar seus alimentos preferidos que contenham mais gordura para dias/momentos especiais;
  • Utilizar maior proporção de hortaliças cruas, pois vão fornecer boas quantidades de fibras e sua composição de vitaminas e minerais será preservada”

A Lilian também passou algumas dicas valiosas para mudarmos comportamentos em relação à comida e às refeições:

  • “Mantenha um diário alimentar;
  • Evite a alimentação automática: não faça nada diferente enquanto come (ver tv ou ler jornal, por exemplo) e alimente-se no local adequado, sentado – não coma em pé ou andando;
  • Pouse os talheres entre os bocados e mastigue devagar os alimentos;
  • Use uma lista durante as compras e não faça compras em jejum ou com fome;
  • Mantenha alimentos saudáveis à vista e alimentos problemáticos fora da visão; evite tê-los em casa.”

É bastante coisa para a gente prestar atenção e se adaptar. Juro que estou tentando mudar alguns hábitos como comer em frente ao computador, por exemplo ou consumir gordura trans. Espero que estas dicas também possam te ajudar na luta por uma vida mais saudável. ‘Tamu junto nessa’ 🙂

 

 

 

Para quem quiser o contato da Lilian, o email é  ln.camargo@uol.com.br.

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, acabou de chegar aos 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *