Plantamos um pau-brasil no sítio

Temos uma nova moradora por aqui: plantamos um pau-brasil no sítio. Na verdade, ganhamos uma muda de Adenanthera pavonina, uma árvore da mesma família do pau-brasil e, com isso, aos poucos vamos transformando nosso espaço no sítio em uma floresta linda e cheia de amor.

Primeiramente, gostaria de mostrar a muda que ganhei da minha prima. Foi feita com o maior carinho em um processo que demorou seis meses para ficar deste tamanho.

Aparentemente frágil e delicada, essa árvore pode atingir até 15 metros de altura. Ou seja, ela vai crescer e se desenvolver muito ainda.

Plantamos um pau-brasil no sítio!

Plantamos um pau-brasil no sítio

Também conhecida como olho-de-pavãotento-carolina e falso pau-brasil, esta árvore tem folhas bipinadas, de 3 a 6 pares de pina, foliólulos alternos, oblongos ou ovadas, flores pequenas amarelo-pálidas, favas estreitas e falcadas e sementes vermelhas, muito duras e lustrosas que parecem contas de miçanga.

Adenanthera pavonina é originária do sudeste da Ásia, é cultivada para a exploração da madeira e propriedades medicinais das folhas, casca e sementes. Além disso, é usa-se esta árvore para reflorestamentos e também como planta ornamental.

Plantamos um pau-brasil no sítio!
Plantamos um pau-brasil no sítio!

Escolhemos um espaço em um campo aberto e gramado do sítio, sem árvores ou plantas muito próximas para que o nosso falso pau-brasil possa crescer com bastante espaço e muita saúde.

Nosso pau-brasil

E, uma vez que este plantio significou tanto para nós, minha mãe resolveu levar a uma joalheria uma das sementes da nossa árvore. E este foi o resultado: um pingente incrível para colocar na minha corrente e andar sempre comigo por aí.

Afinal, presentes com significados representam e marcam demais nossas vidas não ´é mesmo?

Corrente com pingente de pau-brasil

E aí, o que achou desta história? Conta aqui e aproveita para se inscrever no Youtube da Caubi! Por lá eu conto a história completa e mostro o passo a passo do plantio desta árvore. Então, vem se emocionar comigo também!

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *