Porque às vezes a felicidade é só um banho quente….

Por Peu.

“… mas nem tão quente assim rsrsrs

Ia começar o feriadão de 1 de maio, minha namorada veio para minha casa e estava aquele friozinho gostoso aqui em São Paulo. Quatro dias em casa, alguns filmes, vinho, um jantarzinho já planejado, tudo preparado para ser um feriado tranquilo.

Mas como diz aquele ditado popular, ” felicidade de pobre dura pouco” e logo ouvi uns gritos do banheiro. Lá estava – enrolada na toalha – minha namorada olha para mim e diz: “acho que queimou o chuveiro”, vários pensamentos passam na minha mente: “sério?!, não dava para esperar acabar o feriado?….. tinha que queimar logo no frio?!… e agora?! banho de caneca ou na casa da mãe?!…” . Dei uma olhada e realmente parecia ser a resistência do chuveiro.

Depois do desespero inicial comecei a pensar e lembrei que todas as lojas aqui por perto estavam fechadas e que os shoppings e mercados grandes deveriam estar um caos (em feriados tem mais gente que nesses lugares que areia no deserto). Enquanto isso, minha namorada olhava para mim com uma cara meio “será que fui eu que quebrei?!” e meio “dá um jeito logo nisso que eu quero terminar meu banho!”.

Tirei o chuveiro (o que já foi praticamente um filme do Indiana Jones. No escuro segurando o celular para iluminar e aquela sensação de que a qualquer momento alguma coisa poderia explodir rsrsrs), vi que a resistência tinha quebrado em uma das extremidades.

1

(a resistência era parecida com essa)

Dei um jeito (brasileiro) de emendar a resistência e voltei o chuveiro pro seu lugar, liguei e voila. Voltou a funcionar normalmente, ou quase, o chuveiro que antes tinha 4 temperaturas agora só tinha duas: gelo do Alaska e calor do inferno. E assim passamos o feriado, tomando banho super rápido para não morrermos cozidos. Às vezes mudando para o frio do Alaska para ver se estava mais suportável.

Na segunda consegui sair para comprar a resistência e afinal conseguimos tomar um banho quente, mas não tão quente assim, e percebi como às vezes só precisamos de uma coisa simples para acabar o dia bem.

Grande Abraço e aproveite seu banho hoje ;)”

2

    Uma rapaz “de família”, nascido no interior e que veio ainda pequeno pra São Paulo, mas que não deixou o jeito bruto, rústico e sistemático de ser para trás. Trabalho com tecnologia e gosto muito de criar; aliás acho que exercitar a criatividade e botar a mão na massa são a minha praia. Não gosto de fórmulas, receitas, regras e ordens. Acredito que essas coisas limitam nossa capacidade de criar e ir além do que já fizeram. Dizem que sou chato, louco e do contra, mas eu discordo de tudo isso rsrsrs… Sou muito prático. Sou uma tentativa de conciliação entre ser empresário, amigo, dono de casa, cozinheiro, apreciador de cerveja, bom filho e bom vizinho. Mas no final das contas sou apenas mais um cara que gosta muito de estar entre amigos, de musica, cerveja e churrasco.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *