Do que você tem saudade?

Uma palavra, vários significados

Em tempos de distanciamento social, saudade é uma palavra forte. E quanto mais o tempo passa, mais saudade eu sinto.

Abraço, família, amigos, jantares, bar, pagode, viagem, passeios na praia, dança, show, aglomeração. Contato físico, olho no olho. Quanta saudade de tudo isso.

Do que você tem saudade?

Enfim, estamos há quase um ano vivendo em quarentena, isolados e ainda não compreendemos o verdadeiro significado e importância de pandemia.

Coincidência ou não, pandemia rima com empatia. Simpatia. E como temos dificuldade para entender a dor do outro.
Porque se fôssemos capazes de entender as lágrimas de saudade das outras pessoas, talvez o mundo não fosse ~ ou não estivesse ~ um lugar tão ruim assim.

E que vontade de transformar a minha saudade em encontro, contato físico e alegria.

Mas, enquanto isso não acontece, sigo torcendo e trabalhando a minha empatia. A minha capacidade para enxergar o mundo através do olhar do próximo e, antes de criticá-lo, compreender suas lutas e suas batalhas. Acredito que este seja um conforto para enfrentar a realidade.

Então, cultivo a minha empatia transformando-a em apoio, palavras de amor, suporte e ajuda. Porque mesmo à distância, nós podemos fazer a diferença na vida de alguém. Acredite. Se conseguirmos fazer a diferença na vida de uma única pessoa, a nossa vida já valerá a pena.

Do que você tem saudade?

E porque eu sei que tudo aquilo que eu ofereço posso um dia precisar também. E vai fazer a diferença na minha vida com certeza.

Que a gente não perca jamais a ternura e o amor no coração. Que a gente tenha piedade, compaixão e paciência. E que possamos transformar todos os bons sentimentos em fé e esperança para que em breve a saudade possa ser transformada em dias melhores e que possamos lembrar destes dias de pandemia como uma grande evolução e aprendizado.

    Eu quero a paz de um amor tranquilo

    “O amor transcende o entendimento”. Li esta frase no livro Amor pelas coisas imperfeitas e, depois de refletir um tanto sobre isso, apenas concordei. O amor acontece e ponto. E eu quero a paz de um amor tranquilo.

    Eu quero a paz de um amor tranquilo

    Amar é se aceitar e aceitar o outro, compreendendo os defeitos e abraçando as qualidades.

    Amar é encontrar a paz no meio da turbulência. É estar seguro dentro de um abraço e ter a certeza de que nenhum mal vai te atingir porque amar é acreditar e, acima de tudo, confiar.

    Esqueça as preocupações e as lágrimas porque isto não é amor: é ilusão. Quando o amor vem, a tranquilidade vem também.
    Amar é deitar, dormir e sonhar. É acordar sorrindo sem saber se ainda está sonhando porque a realidade é um sonho.

    A gente não cria o amor. Ele simplesmente acontece. E quando compreendemos quem somos e acreditamos nisto, abrimos o caminho do coração para que o melhor possa nos encontrar também. Às vezes demora. Às vezes não acontece no nosso tempo. Mas eu já entendi que eu sou feita de amor e o amor só vai acontecer quando o meu coração estiver em paz comigo mesma. Não quando eu quiser mas sim quando eu merecer.

    Eu quero a paz de um amor tranquilo

    Nós somos o que nós atraímos. O que você quer atrair? O amor é um longo percurso para ser percorrido: requer esforço e dedicação para durar. E muita calma e paciência para seguir. Eu quero a paz de um amor tranquilo.

    Eu desejo um amor para a eternidade. Mãos dadas no cinema, no parque e para a vida toda. Quero um encontro de almas para caminhar na mesma direção em paz e com a tranquilidade de ter feito a escolha certa. Porque amor a gente não precisa entender, ele apenas é.

    Eu quero a paz de um amor tranquilo

    E, enquanto isso não acontece, sigo semeando as boas energias pelas trilhas por onde passo, porque tenho certeza que em algum momento – ou quando eu menos esperar – vou colher os frutos deste plantio. E vai ser próspero: vai ser amor.