Plantamos um pau-brasil no sítio

Temos uma nova moradora por aqui: plantamos um pau-brasil no sítio. Na verdade, ganhamos uma muda de Adenanthera pavonina, uma árvore da mesma família do pau-brasil e, com isso, aos poucos vamos transformando nosso espaço no sítio em uma floresta linda e cheia de amor.

Primeiramente, gostaria de mostrar a muda que ganhei da minha prima. Foi feita com o maior carinho em um processo que demorou seis meses para ficar deste tamanho.

Aparentemente frágil e delicada, essa árvore pode atingir até 15 metros de altura. Ou seja, ela vai crescer e se desenvolver muito ainda.

Plantamos um pau-brasil no sítio!

Plantamos um pau-brasil no sítio

Também conhecida como olho-de-pavãotento-carolina e falso pau-brasil, esta árvore tem folhas bipinadas, de 3 a 6 pares de pina, foliólulos alternos, oblongos ou ovadas, flores pequenas amarelo-pálidas, favas estreitas e falcadas e sementes vermelhas, muito duras e lustrosas que parecem contas de miçanga.

Adenanthera pavonina é originária do sudeste da Ásia, é cultivada para a exploração da madeira e propriedades medicinais das folhas, casca e sementes. Além disso, é usa-se esta árvore para reflorestamentos e também como planta ornamental.

Plantamos um pau-brasil no sítio!
Plantamos um pau-brasil no sítio!

Escolhemos um espaço em um campo aberto e gramado do sítio, sem árvores ou plantas muito próximas para que o nosso falso pau-brasil possa crescer com bastante espaço e muita saúde.

Nosso pau-brasil

E, uma vez que este plantio significou tanto para nós, minha mãe resolveu levar a uma joalheria uma das sementes da nossa árvore. E este foi o resultado: um pingente incrível para colocar na minha corrente e andar sempre comigo por aí.

Afinal, presentes com significados representam e marcam demais nossas vidas não ´é mesmo?

Corrente com pingente de pau-brasil

E aí, o que achou desta história? Conta aqui e aproveita para se inscrever no Youtube da Caubi! Por lá eu conto a história completa e mostro o passo a passo do plantio desta árvore. Então, vem se emocionar comigo também!

    Os símbolos do Natal: a árvore

    E para continuar a série dos símbolos de Natal, que tal saber um pouco mais sobre a origem, a história e as tradições da árvore?

    Segundo uma das lendas, a árvore de Natal surgiu na Alemanha no século 16, com Martinho Lutero. Em uma caminhada pela floresta, Lutero  ficou encantado com a visão de um pinheiro coberto de neve e sob o brilho das estrelas no céu. Quando chegou em casa, tentou reproduzir para seus familiares a linda imagem que havia visto, usando galhos de um pinheiro, algodões (para simbolizar a neve) e algumas velas e outros adereços, imitando as estrelas.

    A árvore de Natal é tradicionalmente representada pelo pinheiro, que simboliza a vida, a esperança e a alegria, pois esta é uma das poucas árvores se mantém verde e resiste ao intenso frio do inverno europeu. 

    Normalmente, a árvore de natal pode ser um pinheiro natural ou mesmo artificial (feita de plástico e com várias cores diferentes). Seguindo a tradição, as famílias enfeitam a árvore com objetos que simbolizam os desejos de Natal ~ como amor, esperança, perdão, alegria ~ que normalmente são as bolas e luzes coloridas.

    Vale a pena fazer um desejo a cada enfeite colocado na árvore e celebrar o Natal, torcendo para que seu pedido se torne realidade. 

    Tradicionalmente, no dia 6 de janeiro, em que é celebrado o Dia de Reis ~ a chegada dos Três Reis Magos à cidade de Belém onde se encontraram com Jesus Cristo e o presentearam ~ a árvore de Natal é desmontada.

    E aí, o que achou das histórias da árvore de Natal? Já deixou a sua pronta para esperar o papai noel com a casa enfeitada este ano?
    Conta aqui 🙂 

      Meu pé de jabuticaba

      E no clima de mudança de atitudes e em busca de ser uma pessoa melhor (é a semana dos pensamentos profundos…), decidi tentar mais uma vez: arranjei outra planta. Só que dessa vez fui agressiva; nada de vaso com florzinhas pra deixar na mesa… decidi comprar um vaso de jabuticaba e colocar para enfeitar a varanda.

      Confesso que aquele clima de deixar varal de pé decorando a minha varanda com toalhas e meias já estava me deixando incomodada. Além de morar no segundo andar e todo mundo que passa na rua ver o que está pendurado, chegar em casa e dar de cara com aquele monte de coisa pendurada na extensão da sala foi demais pra mim. Estou criando estratégias aqui em casa pra não deixar a roupa acumular por muito tempo, assim não tenho que usar o varal de pé. Por enquanto esta tarefa está sendo um sucesso. Se continuar assim já poderei me desfazer deste objeto de decoração horrível 😛

      E pra me ajudar a incentivar e ocupar o espaço do varal, comprei o vaso. Lindo, incrível! A paisagista que me ajudou a escolher até colocou outras plantinhas pra não deixar a raíz da árvore aparecendo. Segundo ela, a árvore não vai crescer mais do que seu tamanho atual, mas irá florescer logo e dar frutinhas – mal posso esperar! Estou estudando a respeito agora para saber em que momento isso vai acontecer e – juro! – espero que ela sobreviva para dar jabuticabas na minha casa.

      É um momento de alegria e um grande passo para a humanidade. No futuro, ainda irão escrever que até mesmo as pessoas mais desleixadas e distraídas são capazes de cuidar de outras. Preciso treinar e me preparar. Afinal, algum dia dessa vida ainda pretendo ter filhos. E atualmente, as plantas estão sendo minhas cobaias. Ainda bem que a gente pode ir tentando com elas até dar certo, porque senão eu já estaria no meu terceiro filho…

      Lição do dia: sempre é o momento de se arriscar em coisas novas.

       3,405 total views,  3 views today