A magia da lavanderia

Depois de mais de dois anos como dona de casa, uma das áreas que mais aprendi a valorizar em uma casa {no meu caso, apartamento} foi a área de serviço, mais conhecida como lavanderia. Pra mim, é essencial ter um espaço para guardar os produtos de limpeza, organizar a roupa suja, lavar e estender sem que isso exponha o que há por ali e comprometa os demais ambientes da casa.

Meu apê tem a integração entre sala, cozinha e varanda, então planejar a lavanderia foi um dos pontos mais importantes para tentar isolar esta área do restante da casa. Por causa desta integração, a lavanderia fica de frente à porta de entrada; então, o primeiro passo foi a instalação de uma porta de vidro serigrafado branco que, ao entrar em casa a bagunça da lavanderia não possa ser vista e, o mesmo tempo a luz que venha da janela continue a iluminar a cozinha.

SONY DSC

O ambiente da área de serviço é extremamente apertado e, para caber todos os utensílios de limpeza em menos de 4 metros quadrados, tive que pensar cuidadosamente em cada cantinho. E, justamente para não dar a impressão de diminuir ainda mais o espaço, o piso é o mesmo da casa toda que garante a amplitude do ambiente. Ainda usando este truque de espaço, escolhi tirar o pé do tanque para que pudesse guardar objetos embaixo dele como o lixo ou baldes de limpeza.

SONY DSC

A minha máquina de lavar possui abertura da tampa na parte superior, para que eu possa me movimentar com mais espaço quando for lavar a roupa. Com a tampa frontal isso ficaria mais difícil. Eu tinha visto em alguns projetos pela internet armários acima da máquina de lavar mas aqui em casa não foi possível aproveitar este espaço por causa da tubulação de água e gás na parede.

Então, a solução mais criativa foi colocar uma prateleira sem furos profundos e usar o espaço como hortinha. Como ficam próximas à janela conseguem captar a luz do sol durante a tarde e um ventinho durante todo o dia; sem querer tenho temperos frescos sempre à mão!

SONY DSC

SONY DSC

Do outro lado foi possível fixar um gancho para vassouras e rodo. Não coloquei armário na parede toda por dois motivos: 1) precisava do espaço livre para os cestos de roupa suja, limpa e sacolas e 2) optei por um varal manuseado por manivela: a melhor dica que minha mãe poderia me dar – facilita muito o trabalho de sobe/desce do varal.

SONY DSC

E por fim, um armário para guardar praticamente tudo! Panos de chão, material de limpeza, pregadores e tudo aquilo que a gente nunca acha que vai precisar até aparecer uma emergência – tipo engraxar um sapato ou limpar uma mancha mais difícil. Se ainda não aconteceu com você, acredite: este dia ainda vai chegar.

Este armário em mdf é composto por quatro nichos e foi colocado próximo à porta para inibir ainda mais a bagunça da lavanderia. Mesmo se eu deixar a porta de vidro aberta, com este armário não é possível ver as vassouras, os cestos ou o varal.

E o espaço foi tanto que ainda sobrou um espaço para guardar os mantimentos que uso pouco na cozinha e não são perecíveis como molho, macarrão e açúcar. Este armário comprei na Leroy Merlin e meu pai que instalou 🙂

SONY DSC

Acho que consegui utilizar bem os espaços e tornar a área de serviço funcional e organizada. Afinal, espaço em apartamento é o que mais falta então saber usar cada cantinho é super importante.
E você, o que achou? Conta aqui como é a sua lavanderia!

869 total views, no views today

    O (re)começo.

    Recomeçar. Começar de novo. Mais uma vez. Não desistir e acreditar. Sempre. Cair e levantar. Todos os dias. Insistir. Persistir. Acreditar em si mesmo. Nesta e em outras vidas. Recomeçar.

    Entre uma mistura de sentimentos, inicio esta nova fase: mudança de casa e de vida. Desta vez, doeu mais em ter que deixar minha mãe, seu colo, sua comida e suas conversas noturnas, mas fico mais tranquila em ter a certeza de que ela está feliz com a minha felicidade, independência e amadurecimento.

    Decisão pensada, planejada e muito sonhada. Mais do que meu teto, meu aconchego, saio da casa dos meus pais para construir meu lar e minha própria família. Hoje, já não me importo se a minha família é apenas de uma pessoa; o que importa é que tudo aqui foi feito com muito amor e carinho em todos os cantos e detalhes. Afinal, o que é uma família além de amor? Quem quiser vir junto, será muito bem vindo a me acompanhar e a dividir comigo os valores os quais eu acredito e vivo. Se não quiser, não tem problema. Minhas crenças são imutáveis e não aceitam mais adaptações. E um dia vai aparecer alguém que acredita nisto também. Tenho fé. Chega de mentiras. Nesta casa não entra sapo para que ninguém tenha que engolir. Só entra o espelho, para poder se olhar e dizer sempre a verdade. Que vem de dentro.

    Hoje recomeço minha história, sem medo de ser feliz, de tentar mais uma vez e de arriscar por tudo aquilo que acredito. Afinal, não é porque deu errado uma vez que eu não devo continuar tentando. Lutando. Buscando. A gente se machuca (muito) mas aprende. Cai mas descobre que do chão não passa. E muitas vezes precisamos de alguns curativos, uns remendos e remédios, mas sabe que tudo é transitório e que apesar de ficarem algumas cicatrizes, a ferida se cura: e estamos prontos para outra! Talvez até menos frágeis e ainda mais fortalecidos.

    E entre tudo, o mais importante é ter pessoas ao nosso redor que nos ama e nos apóia independentemente da ocasião, festa ou tragédia. Tenho minha família, que me enche de orgulho, apoio e amor. Pais e irmã que são todos ouvido e coração. E tenho meus amigos, que enchem a minha vida de risada, estão sempre prontos para ajudar e sempre trazem comida quando minha geladeira está vazia.

    Não acredito em sorte. Acredito que nossa vida é um resultado de tudo aquilo que colocamos nela. Sorte, destino ou merecimento, alegria é poder se reerguer em passos firmes em busca de objetivos e com pessoas que estarão sempre lá: seja para sujar seu fogão, tomar um lanche no meio da madrugada ou ouvir você chorar do outro lado do telefone.

    Recomeçar. Sem deixar para trás tudo o que nos trouxe até aqui.

    SONY DSC

    374 total views, no views today

      Pode acender a luz?

      Agora pode!

      Estou muito feliz que o ano começou com a obra a todo vapor. Minha meta é conseguir me mudar antes do Carnaval. Ontem foram instalados todos os lustres da casa e o resultado ficou incrível!

      Comprei todos os lustres e lâmpadas há cerca de um mês na loja de iluminação Yamamura, no bairro da Consolação em São Paulo. Minha dica aqui é ir à loja para comprar os lustres com a ideia do que você quer comprar, caso contrário você fica ainda mais perdido… lá as opções são infinitas: cores, tamanhos, modelos e preços.

      Eu e a minha arquiteta tínhamos pesquisado bastante sobre os modelos que iríamos colocar em cada ponto da casa, o que tornou a compra mais fácil. Também é importante ter um orçamento bem definido na hora da compra, senão as coisas podem sair um pouco do controle… rsrsrs

      O nosso principal foco era chamar a atenção para a sala de jantar e para o balcão da cozinha. Portanto, para estes dois pontos, pensamos em colocar pendentes que ficassem elegantes e, ao mesmo tempo, pudessem dar um toque informal para ambos os ambientes. Então, escolhemos para a sala de jantar um lustre bem grandão, com quase 50 cm de diâmetro, preto fosco. A ideia é deixar ele mais baixo mesmo, a 1,40 cm do chão, para deixar o ambiente mais intimista.

      DSC01946

      Já para o balcão da cozinha, escolhemos colocar dois pendentes, com 10cm de diâmetro e a 70 cm da bancada, para demarcar cada um dos lugares dos banquinhos. Compramos estes pendentes em aço escovado: tom neutro, já que a parede da cozinha (em concreto, ao fundo) terá pastilhas em tom vinho.

      DSC01955As demais luminárias da casa seguiram um mesmo padrão: plafons brancos quadrados. Como as outras luminárias iriam chamar a atenção, a ideia era que as demais ficassem quase imperceptíveis aos ambientes. Então, compramos da mesma linha para a casa toda, inclusive para o quarto. Comprei algumas luminárias maiores, com quatro lâmpadas e outras – para os corredores – com apenas duas lâmpadas. A luminária da cozinha é do mesmo modelo com forma retangular, para seis lâmpadas.

      DSC01953

      O único imprevisto que tivemos foi em relação à sala de tevê. Ao longo das visitas e acompanhamento à obra, notei que o sol bate no apartamento ao longo da tarde, o que deixa tudo (principalmente a sala) muito quente!  Conversamos e pesquisamos bastante por aí e decidimos colocar um ventilador de teto. Atualmente existem muitas opções no mercado e conseguimos encontrar um que seguisse o mesmo padrão dos lustres brancos. Ele é bem discreto e potente para o ambiente; além disso, tem controle remoto!

      DSC01954

      Gostei muito do resultado e não vejo a hora de me mudar! Tá quase, faltam apenas alguns detalhes. Próximos passos:
      – Pintura
      – Marcenaria
      – Móveis

      Espero que estejam gostando dessa obra. Pelo menos por aqui não dá pra sentir essa poeira toda! Haja remédio pra alergia! Rsrsrs… 😉

      IMG_4845(fotinho tirada do celular: eu e a minha irmã, na futura cozinha!)

      148 total views, no views today

        O bom filho… à casa torna!

        Há alguns dias, eu voltei para a casa dos meus pais. Depois de entregar as chaves do meu apartamento antigo e até que minha casa nova fique pronta da reforma, vim para cá. Com a esperança de sair em fevereiro (mas apostando com a minha mãe de que só me mudarei em abril), já virei a rotina da casa de pernas para o ar! Estou me sentindo em uma colônia de férias, em que acordo com café da manhã fresquinho (é tão chique que tem até toalha na mesa! – não estava acostumada com essas coisas) e quando volto para casa depois do trabalho minha cama está feita e as roupas magicamente lavadas, passadas e dobradas!

        Agora que estou nessa vida de geladeira cheia, fica difícil lembrar o porquê eu fui sair pra ser responsável por meu próprio amaciante e tevê a cabo rsrsrs… tenho o colo de mãe logo ali, no quarto ao lado e uma cópia da chave – inclusive das portas dos fundos para os dias que chego mais tarde!

        Mas, apesar de toda a parte boa ainda não me senti totalmente adaptada à nova rotina. Além de não ter mais meu antigo quarto (virou um grande depósito e guarda-roupa da família! :P) e ter que me conformar com uma porta e meia de armário e duas gavetas para acomodar todas as minhas roupas para os próximos meses, ainda não me senti totalmente à vontade em casa. Estranho falar porque foi daqui que eu saí. Estranho é se sentir uma expectadora em uma vida que já foi minha.

        É incrível como em quase dois anos a gente muda, se transforma e se renova. Saí da casa dos meus pais uma menina e voltei como mulher. Saí com sonhos e e voltei com planos concretos. Acreditava em certas coisas que hoje já não fazem o menor sentido (pelo menos para mim!). Talvez seja por isso que tudo está tão diferente e difícil para se adaptar e se encaixar novamente.

        Os bichinhos de pelúcia dividem seu lugar com a pilha de plantas, projetos e revistas de decoração. Minhas roupas já não tem tanta importância quanto minhas taças de vinho e meu cartão de crédito é a menor das minhas preocupações se comparado ao tanto de boletos que tenho para pagar.

        As prioridades mudaram, assim como os desejos e vontades. E a vida mudou. E a cada mudança a gente se adapta. Mais uma etapa de adaptação: entre a vida que eu deixei e a vida que irei construir. E enquanto a minha vida está em “pausa” aproveito para receber todo o mimo da minha mãe, que com certeza planeja me deixar ainda mais gordinha: este final de semana tivemos macarrão caseiro com molho de tomates pelados e muçarela e brigadeiro de colher. Tô achando que sair daqui pela segunda vez vai ser ainda mais difícil…

        DSC01620

        DSC01622

         

        125 total views, no views today