Do jardim para a mesa

 

Gratidão é a palavra que define o dia, a semana, o mês e a vida. Depois de muito planejamento, eu e a Bru Calderon conseguimos tirar do papel um grande sonho: realizar um evento juntas. E não poderia ser mais incrível.

O local escolhido foi o Shopping Garden ~ um grande parceiro do blog ~ localizado na zona sul de São Paulo, que concentra infinitos tipos e espécies de flores, plantas e temperos além de itens para decoração em um amplo e harmonioso espaço.

E o cenário foi o gazebo do Shopping Garden, localizado no piso superior junto com os itens de decoração. Não poderia ser mais lindo: um ambiente aberto, convidativo e que se transformou em um cenário para receber do Jardim para a Mesa. Este, inclusive era o nome do evento.

Com o conceito de levar à mesa e aos convidados os itens de jardim, flores e temperos, eu e a Bru tentamos traduzir isto em uma manhã de sábado em que as pessoas que estivessem ali pudessem compartilhar conosco ideias, receitas e propostas para receber em casa e transformar o ambiente para esperar a estação mais florida do ano: a primavera.

O foco estava na mesa posta sob o gazebo mas também fizemos questão de montar um cantinho do café, em um carrinho lindo e retrô bem na entrada. E ali montamos um cantinho com dupla função: servir um espumante para receber e um café com bolo para despedir.

E como tudo vira flor, o gelo ganhou destaque para refrigerar as bebidas enquanto os convidados não chegavam. Uma ideia simples, barata e que reaproveita aquelas flores que já estão ficando feias e você não tem coragem para descartar. Que tal acrescentar água em uma forminha de cupcake e levar ao congelador? Este é o resultado:

Na nossa decoração, um dos principais objetivos era dar múltiplas funções a um mesmo objeto: e este é um exemplo. Um vaso que virou recipiente para guardar rolhas e enfeitar a mesa. Além de levar um charme extra à decoração, é possível usar a criatividade e inovar na hora de servir.

De volta à mesa principal, nossa proposta foi levar todos os temperos à mão dos convidados. Com uma mistura de textura e cores, nossa paleta principal era: rosa, cobre e cimento.
– Rosa: cor que remete à delicadeza da primavera e tranquiliza os olhos
– Cobre: luxo, brilho e a cor tendência da estação
– Cimento: informal, rústico e tudo a ver com jardinagem

Entre estas cores, utilizamos alguns pontos mais fortes como o azul dos jogos americanos, o pink dos guardanapos, lilás da lavanda para enfeitar o bolo e a mesa e o amarelo das flores para alegrar, contrastar e harmonizar ainda mais a decoração.

Em um ambiente informal, os convidados podem se servir com o seu tempero favorito. Basta esticar o braço e escolher o que mais combina com a receita servida de acordo com o paladar de cada um.

Em todos os lugares para comer ~ ao todo eram 6 ~ havia a combinação: jogo americano, prato raso e prato para sobremesa, guardanapo, talheres, taça para vinho, copo para água e um pratinho que usamos como descanso para talher. Não repetimos a decoração de nenhum dos lugares. A proposta é reproduzir o que temos em casa: pratos e utensílios coloridos e diferentes podem e devem combinar entre si para deixar uma decoração mais convidativa e despojada.

Entre as novidades, apresentamos aos convidados o conceito de vasos autoirrigáveis da marca Vasos Raíz. Agora também não existem desculpas para quem não tem tempo ou jeitinho para cuidar de plantas. É só preencher o espaço com água quando o vaso secar e pronto. E para deixar o evento ainda mais interativo, sorteamos estes vasos que compunham a decoração entre os presentes no evento, um super presente né?

Foi lindo ver tanta gente querida, interessada e participativa em uma manhã deliciosa!

Que venha a primavera repleta de flores, lindas mesas, receitas gostosas, amizades douradoras e muito amor!
Até o próximo evento 🙂

    Um ano de Casa da Caubi…

    E um ano se passou. O que era uma brincadeira virou coisa séria e aqueles que eram amigos se tornaram companheiros de trabalho. A família virou colaboradora e a minha mãe (só pra variar!) a maior incentivadora e “compartilhadora” de posts.

    Há um ano eu saía da casa dos meus pais para iniciar a maior aventura da minha vida. Muitas surpresas, perdas e ganhos que eu nunca poderia sonhar.

    Descobri que é possível ser feliz sozinha e me orgulho por ter construído uma casa baseada em todos os valores que meus pais me ensinaram. Aprendi a lavar, passar, fazer faxina, cozinhar e cuidar de plantas. E mais que isso: aprendi também que é possível fazer todas estas tarefas, trabalhar fora e ainda conseguir sorrir no final do dia.

    Em um ano muita coisa mudou. Eu mudei. E todos os dias eu agradeço pelas coisas boas (e ruins) que aconteceram, pois sem elas não teria construído a história a qual me orgulho tanto. Afinal, o caminho não tem graça se não tiver algumas pedras para desviarmos e muitas flores para ser admiradas. Meu trabalho é minha paixão e a equipe virou minha família.

    Hoje eu tenho um lar. Uma casa que eu mesma fiz com todos os bons sentimentos. Meu coração está aqui e hoje sou grata a todos que riem, se emocionam e compartilham esta casa comigo. Muito obrigada.

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

    SONY DSC

      Chaves em mãos. E agora?

      Depois de passar 26 anos morando com os pais, tomei a decisão de sair de casa. A responsabilidade e a loucura são tão grandes que preciso do testemunho (ou podemos chamar de supervisão) do namorado. Há seis anos juntos, decidimos juntar nossas escovas de dente e encarar o desafio de morar sob o mesmo teto.

      Como toda filha mais velha, sempre fui uma menina muito mimada em casa. Comida sempre à mesa, com sucos naturais, cereais, cama arrumada, roupas que são magicamente lavadas e guardadas de volta ao armário, guloseimas que brotam na geladeira e por aí vai.

      Não sei a diferença entre alface e rúcula, juro. Se me trancarem sozinha em um supermercado só sei distinguir a diferença entre refrigerante normal e diet. A situação é grave e as expectativas são baixas, mas decidi que chegou a hora de arriscar.

      Aqui vocês irão acompanhar a rotina atrapalhada e meu desempenho nas tarefas do lar. Como vou conseguir trabalhar, estudar, lavar, passar, cozinhar, limpar e ainda estar linda para esperar o namorido no final do dia? A cada dia, um post e uma lição.

      Boa sorte para mim e bom divertimento ao leitor que, no mínimo, irá dar boas risadas com este blog.

      Beijos, Caubi.