Vídeo novo: carriola de flores

 

Que tal começar a semana com uma inspiração de ‘faça você mesmo’ super simples, prática e que vai deixar seu quintal e sua casa super charmosos?

Aproveitei a obra que está rolando no sítio e transformei uma carriola de carregar cimento em um jardim de suculentas. Este foi o resultado:

Acompanhe o passo a passo desta transformação no vídeo de hoje. Aperte o play e confira:

E aí, o que achou do resultado?
Conta aqui 🙂

    Como cultivar hortelã em casa

     

    Um dos melhores hábitos que desenvolvi aqui em casa foi ter a minha própria horta. Faz toda a diferença na cozinha ter temperos frescos, além de alegrar e colorir o ambiente né? E uma das minhas plantinhas favoritas que cultivo na minha horta é o hortelã.

    Muito versátil, o hortelã pode ir em receitas doces, salgadas e fazer aquele chá para aquecer o frio do inverno. Além disso, o seu o pé deixa o ambiente muito cheiroso. Mas não podemos apenas ter um vasinho para enfeitar; é preciso cuidar muito bem dele para que ele cresça saudável e resista bem às adversidades para ficar forte e estar sempre brotando.

    Por isso, separei algumas dicas que acho interessante compartilhar para deixar seu pé de hortelã sempre lindo:

    1. Um pé de hortelã precisa de muito espaço para se desenvolver, por isso não pode ser plantado em vasos muito pequenos ou dividir seu espaço com outras plantas. Deixe sempre ele sozinho.
    2. Escolha um vaso com furos de drenagem no fundo. A hortelã cresce muito melhor em solos bem drenados.
    3. A hortelã deve sempre estar com a terra úmida, portanto é importante regar a plantinha todos os dias. No calor, fique de olho: às vezes é preciso regar duas vezes.
    4. Ela se desenvolve muito bem na claridade. Mantenha seu pé de hortelã perto do sol mas cuidado com o sol quente do período da tarde para não exagerar na dose. Não deixe seu pé de hortelã exposto ao vento.
    5. Corte frequentemente sua plantinha para que ela continue a crescer forte e que possa manter o sabor e aroma das folhas. Mas, cuidado: não corte mais do que um terço das folhas de uma só vez.

    Com essas dicas é possível manter seu pé de hortelã próspero e saudável para que ele possa enfeitar a casa e ajudar na preparação de suas receitas culinárias.

    E aí, o que achou destas dicas?
    Conta aqui 🙂

      Cada um com seu (próprio) jardim

      E, de repente, quando a gente menos percebe, está observando (e analisando) o vizinho através de nossas janelas {não fique triste, perdi meus últimos cinco minutos olhando para o apartamento ao lado enquanto enchia meu copo de água} e, consequentemente este olhar resulta em julgamento e comparação. É inevitável. Questionamentos e suposições irão aparecer e quase sempre não teremos as respostas as quais procuramos.

      Porém, a pergunta mais importante é: porque temos tanta curiosidade em olhar? Afinal, o que estamos procurando? Será que falta tanta coisa em nossas vidas que precisamos buscar no terreno do outro aquilo que não nos pertence?

      Acho que temos essa mania de considerar a felicidade algo que pode ser medido, comparado ou disputado. Se observo meu vizinho através da minha janela e vejo que este é feliz, o que me faz acreditar que sua felicidade é maior (ou menor) do que a minha? Talvez seja algum problema em minhas janelas. Talvez elas estejam com os vidros sujos que só consigo enxergar o meu vizinho. Ou talvez o problema seja comigo, que não tenho olhos para enxergar além do meu horizonte.

      A gente olha a grama do vizinho e acha que ela é sempre mais verde que a grama de nossa casa. Que grande erro! A verdade é que nossa “espiadinha por cima do muro” não é capaz de enxergar tudo o que o nosso vizinho passou para que sua grama fosse verde daquele jeito brilhante, saudável e macia. Não sabemos que caminho nossos vizinhos percorreram para chegarem até ali; o quanto tiveram que adubar a terra, o quanto de água, fé e paciência precisaram colocar em seu jardim para que ele prosperasse. E acredite: nunca é tão fácil e bonito quanto parece…

      E enquanto a gente julga a felicidade e a grama dos outros, deixa de olhar o nosso próprio jardim. Certamente ele precisa ser cuidado também, com amor e dedicação, para que possamos colher bons frutos de uma árvore saudável e em uma grama verde. Nem mais nem menos que a do vizinho; simplesmente nossa grama, do nosso jeitinho. Isto sim é felicidade. Sem comparações, paradigmas ou clichês; cada um à sua maneira e suas crenças.

      Porque enquanto a gente deixar nosso jardim de lado para observar o do vizinho, dificilmente teremos flores para colher na próxima estação.

      E o seu jardim, como está?

      SONY DSC

      Foto tirada em maio de 2013. Beco do Batman, São Paulo.

        “As flores de plástico não morrem”

        Sábias palavras dos Titãs. Parece que eles conversaram com a minha mãe quando escreveram essa música. Essa também é outra pessoa sábia. Me conhece tão bem que ontem me deu um vaso de flores artificiais pra eu colocar de decoração aqui de casa.

        Às vezes fico pensando se tem mais alguém no mundo que tem a delicadeza de um hipopótamo em uma loja de cristais como eu. Quanta sensibilidade!

        Caso 1: semana passada ganhei um vaso lindo de orquídeas brancas da minha sogra. Em menos de uma semana as folhas já estavam amareladas – detalhe: todas as folhas do vaso. Acho que não é normal né? As flores em si, que inicialmente eram branquinhas também perderam o brilho; esse sim foi pra nunca mais voltar.

        Caso 2: também na semana passada ganhei um vaso de violetas roxas da minha madrinha. Ao longo da semana percebi que o roxo estava se tornando praticamente marrom. Ontem dei uma olhada no vaso e mais de 50% das pétalas haviam caído. Ficou um vaso meio estranho sabe? Acho que deu perda total nesta plantinha também.

        Caso 3: depois de dois desastres em menos de sete dias, minha família percebeu o perigo que sou para a natureza e minha madrinha me presenteou com um vaso de pimentinhas na segunda-feira. Lindo, porém não sabia que era para regar apenas uma vez por semana; em três dias com o vaso em casa, reguei todos os dias.

        Se você está pensando na alternativa cacto, descarte. Já tive um e não obtive sucesso também. Acho que preciso melhorar esta habilidade no meu currículo de dona de casa e jardineira. Ou simplesmente aderir às flores de mentirinha. Com um pequeno detalhe: de vez em quando acho que é preciso passar um pano nas folhas de plásticos pra tirar o pó né?

        Lição do dia: só comprar flores que vem com manual de instrução.