Aproveitando os alimentos: receita de risoto

 

Faaaaaala galera, tudo tranquilo? A receita de hoje veio de alguns testes que eu tenho feito na cozinha para reaproveitar ou aproveitar de formas diferentes alguns alimentos.

A receita é um “risoto” de talos de couve com parmesão. Como a receita tinha grandes chances de dar errado, que por incrível que pareça não deu, eu não usei um arroz especial, usei o nosso arroz  de cada dia. Mas aplicando todo o processo de se fazer um risoto nem parece arroz normal com talos de couve: esta é uma boa receita para impressionar em tempos de crise. 🙂

foto1

Ingredientes:
2  xícaras de chá de arroz
2 xícaras de chá de talos de couve (aproximadamente dois maços)
150g queijo parmesão
1 cebola média
100ml de vinho branco seco
1 litro de caldo de legumes
3 colheres de sopa de manteiga
Pimenta biquinho a gosto
Sal e pimenta a gosto

Preparo:
O primeiro passo é picar a cebola e os talos de couve; eu piquei redondinho para facilitar o cozimento. Depois de picado é só refogar com uma colher de manteiga até as cebolas começarem a dourar e, logo após, acrescente o arroz.

foto2

Deixe o arroz refogar por alguns segundos e acrescente 300ml do caldo e o vinho branco. Fique mexendo enquanto o arroz cozinha, assim que estiver quase seco adicione mais 300 ml do caldo e continue mexendo até quase secar novamente. Nesse momento acrescente o restante do caldo e quando estiver quase secando acrescente o parmesão. Prove e conserte o sal e a pimenta.
Antes de servir acrescente o restante da manteiga e mexa bem, use as pimentas biquinho para enfeitar e se quiser pode jogar um pouco mais de parmesão por cima queijo nunca é demais 🙂

foto3

Rápida e rasteira essa receita além de ser gostosa ainda aproveita alimentos que talvez fossem para o lixo.Você tem alguma receita de reaproveitamento de alimentos? Ou aproveitamento diferente do convencional? Divide com a gente!

Esperam que tenham gostado.

Grande Abraço e até a próxima, fuuuuuuii!!!!

6 total views, 3 views today

    Semana 27: namoridos e o primeiro dia das mães

     

    Eu e sua mãe não nos casamos; aliás, nossa história nunca seguiu um caminho muito comum. Nos conhecemos no trabalho, não tínhamos quase nada a ver um com o outro, e em poucos dias saindo juntos eu já a levei ao velório do pai de um amigo. Alguma coisa parecia ser diferente. Mais algum tempo e ela já passava mais tempo na minha casa que na casa dela.

    Depois de algum tempo de namoro, continuávamos a não ter muitas coisas em comum e mesmo assim ia tudo muito bem. Lógico que com algumas brigas, mas você vai perceber que não tem como conviver comigo sem uma briguinha de vez em quando. Um dia sentado em uma mesa de bar (meu lugar favorito para pensar na vida) eu estava pensando na vida e comecei a questionar o motivo de estarmos juntos e percebi que eu não tinha uma resposta. Por alguns minutos fiquei extremamente desconfortável com isso e não consegui aceitar, mas logo cheguei a uma conclusão que eu gostaria de te passar.

    Quando encontramos um motivo muito fácil para gostar de alguém ou de algo, devemos refletir para saber se o gostar é sincero e profundo. “…Quando gostamos de uma flor pelo seu perfume, quando esse já não for tão forte será que ainda gostaremos dela?…” Quando o gostar é profundo e sincero não precisa de motivos, gostamos única e exclusivamente por nos fazer sentir bem.

    lucca1

    Gosto de falar que eu e sua mãe somos namoridos, porque nosso relacionamento não passou pelas etapas comuns. Sem promessas, sem obrigações, sem regimento. Juntos porque assim nos sentimos bem.

    Vá onde queira ir, esteja com quem queira estar, sem se preocupar com os motivos e tudo estará bem.

    Mudando um pouco de assunto (é outra coisa que eu gosto de fazer, vai se acostumando) eu queria aproveitar essa carta e te agradecer. Essa semana foi o seu primeiro dia das mães e sua mãe estava muito feliz. Você ainda nem nasceu e já consegue trazer tanta alegria, e luz para nossas vidas que só me faz querer te pegar o quanto antes no colo.

    lucca2

    Essa musica é de um grupo que eu gosto bastante e que você tem ouvido bastante aí de dentro da barriga da sua mãe. Em homenagem a ela também e ao primeiro de muitos dias das mães juntos eu escolhi essa música.

    P.S.: Eu comprei um presente para ela e coloquei seu nome, você está me devendo essa.
    P.S.2.:  Parabéns de novo mamãe!!!

    Bjs do seu pai.

    Cartas de hoje, para amanhã sobre o ontem.

    4 total views, no views today

      Receita de picanha recheada

       

      Faaaaaala galera, tudo tranquilo?  Saudades??? Andei sumido pois preparar tudo para a chegada do Lucca esta consumindo muito tempo, eu não tinha ideia que tinha tanta coisa para resolver rsrsrsrs…

      Hoje trouxe uma receita que já foi feita a algum tempo, em um almoço entre amigos e por um amigo. A receita é uma picanha invertida recheada de cebola, bacon e provolone. A receita é sensacional, para acompanhar eu fiz um risoto de aspargos que eu já postei aqui. O mais engraçado é que a dona da casa não come carne e nem risoto, com uns amigos desses quem precisa de inimigos né!? 😛

      A receita é feita para os carnívoros de plantão!!!

      Ingredientes:
      Uma peça de picanha
      Uma cebola grande picada
      Um pedaço de bacon (250g aproximadamente)
      Um pedaço de provolone cortado em cubos médios (300g aproximadamente)

      foto1

      Preparo:

      Acredito que a parte mais importante da receita é o momento de “abrir” a peça. Com uma faca grande faça um corte, deixando dois dedos de borda de cada lado, no sentido da peça da parte mais larga para a parte mais fina. É importante também deixar uns dois dedos de borda no final da peça para evitar que ela fure e deixe o recheio vazar.

      foto2

      Depois do corte basta empurrar a parte mais fina para dentro da peça para virá-la do avesso (como se fosse uma meia – não achei analogia melhor, desculpa rsrsrs…). Como eu já disse antes, tome cuidado para não rasgar a peça pois isso impede que o recheio vaze e faz com que o caldo fique todo na carne.

      foto3

      Invertida ela fica com essa aparência. Agora reserve e vamos preparar o recheio, mais fácil que esse recheio só tomar uma caipirinha na beira do mar nesse calorzão que está fazendo. Basta fritar o bacon picado em cubos, depois que começar a fritar colocar a cebola e deixar dourar bem. Depois de pronto é só misturar os cubos de provolone.

      foto4

      Depois disso é só rechear, nesse momento é legal pedir ajuda: uma pessoa segura a peça com a abertura para cima e outra vai preenchendo com o recheio. Como a peça de carne é mole, fica meio difícil sozinho, em dois até a gravidade ajuda rsrsrs…

      foto5

      Aperte bem o recheio que sempre cabe mais um pouquinho e quanto mais recheio melhor; quando você perceber que não está cabendo mais… insista mais duas vezes rsrsrs…. aí se não couber mais, é só fechar com palitos de dente mesmo.

      Coloque em uma assadeira, passe um pouco de manteiga e tempere com sal grosso. O tempo e modo de assar depende muito do ponto da carne da sua preferência e do seu conhecimento do seu forno. Se você prefere uma carne um pouco mais bem passada pode colocar papel alumínio e depois tirar para dourar. No nosso caso, como preferimos a carne um pouco mais mal passada, então colocamos ela sem o alumínio por aproximadamente 30 a 40 minutos.

      foto6

      Pergunta : “Pedro você gosta de picanha mal passada com cerveja?”
      Resposta: ”

      foto7

      muuuuuuito!!!!”

      Se você também gosta de carne mal passada e tem o coração fraco tenha cuidado ao visualizar a próxima imagem……

      foto8

      Nem precisa falar que a receita ficou muuuuuito show, e o legal é que ela é bem versátil. Dá para trocar o recheio por qualquer coisa que você goste e também dá para deixar no ponto da carne que você preferir.

      Espero que tenham gostado e qualquer duvida é só deixar aqui nos comentários. Quem tiver dicas de receita e quiser mostrá-las aqui no blog basta mandar pra gente ou me convidar para um almoço 🙂 Grande Abraço e até a próxima, fuuuuuii!!!!

      P.S.: não podia deixar de agradecer nossa anfitriã e dizer que já estamos precisando marcar outro almocinho light desses hein!!!! rsrsrsrs…

      foto9

      11 total views, 2 views today

        A semana 20

         

        É engraçado como foi tão difícil de escolher um nome, mas depois parece que ele já era seu desde sempre. Agora além dos pronomes você também tem um nome, Lucca.

        Você tem crescido bastante e as pessoas até acham que sua mãe está grávida de gêmeos rsrsrs (eu até que iria gostar). Cada dia que passa parece que o peso da responsabilidade aumenta e não paro de pensar no mundo que você vai conhecer. Como e para que devemos te preparar?! Qual o limite do entre preparar e proteger?!  São tantas questões, tão poucas respostas e já pode ir se acostumando que é isso que chamamos de vida.

        Sobre o mundo que você vai conhecer, eu sinceramente tenho meus receios. A coisa por aqui anda feia, o país está em crise, a corrupção em alta e as pessoas cada dia menos tolerantes. O egoísmo predomina, notícia boa é exceção e não é só no Brasil não. Espero que aí no futuro tudo esteja mais calmo.

        Independente de como estiver a situação por aí eu gostaria de te ensinar uma palavra:” EMPATIA – A empatia é, segundo Hoffman (1981), a resposta afetiva vicária a outras pessoas, ou seja, uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa, e não à própria situação…”.  Para facilitar, empatia é se colocar no lugar do outro e tentar perceber uma situação a partir do seu ponto de vista. Essa palavra, que nem é tão grande, pode fazer muita diferença, nunca se esqueça de usá-la.

        Essa semana também comprei meu primeiro presente para você. Eu queria que fosse algo especial, que levasse um pouco de mim e que também pudesse fazer parte da sua vida. Por isso decidi te apresentar a uma pessoa que me inspirou e me entreteve muito: Sherlock Holmes.

        sherlock

        Enquanto você não pode ler sozinho pode contar comigo, tenho certeza que vamos nos divertir muito com essas histórias.

        Essa semana ainda, ouvi muito uma das minhas bandas favoritas e que fez parte de muitas passagens da minha vida. Você não precisa gostar do que eu gosto, mas espero que tenha boas recordações assim como eu tenho e que não se prenda a rótulos e nem em escolhas. Você não precisa ouvir só um estilo de música, escolher apenas uma cor ou um comida favorita, ser de esquerda ou de direita, ter apenas uma religião.

        No entanto se decidir escolher algo, lembre-se de respeitar as escolhas dos outros, saber que não existe uma verdade única e que, no final das contas, o que importa não é estar certo e sim estar sinceramente feliz.

        Bjs do seu Pai (cada dia mais sinceramente feliz).

         

        Cartas de hoje, para amanhã sobre o ontem.

        2 total views, no views today

          Semana 18 – as pessoas e a vida

           

          Fevereiro de 2016,

          Ele, você, nós! Mesmo sem nome, você já tomou posse de todos os pronomes.

          O Carnaval já passou mas continuamos em festa; sua mãe matou a curiosidade de saber seu sexo (ela sempre soube que era um menino) e decidimos deixar o mundo saber que você está a caminho. O próximo desafio é a escolha de um nome e nunca pensei que poderia ser tão difícil. Eu e sua mãe não entramos em um acordo, talvez porque cada nome nos lembra de alguém, de alguma situação e cada um teve suas experiências.

          Falando em pessoas, foi muito legal como recebemos várias mensagens de carinho de amigos, colegas e pessoas que por algum tempo fizeram parte de nossas rotinas e que por caprichos da vida acabaram se afastando. Quando você percebe que mesmo com a distância, muitas pessoas que passaram pela sua vida ainda guardam carinho por você é normal ficar pensando o motivo por terem se afastado e até pensar logo em marcar aquele churrasco de reencontro.

          No entanto uma frase muito conhecida diz: “Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só, nem nos deixa sós; deixa um pouco de si, leva um pouco de nós.”. E com o passar do tempo você vai perceber que isso é a mais pura verdade e que devemos permitir que a vida siga seu fluxo. Algumas pessoas devem ir para outras chegarem, mas isso não muda o que você sente e nem o que elas sentem por você. O importante é sempre plantar boas lembranças, atitudes de carinho e semear boas recordações para sempre colher carinho.

          foto1

          Quando se fala em amigos, carinho e coisas boas, um nome sempre me vem a mente, uma pessoa que amou e falou sobre o amor como poucos e com quem eu gostaria muito de ter convivido. Acredito que você já conheça Vinicius de Moraes, mas se ainda não conhece tenho certeza que essa nova descoberta fará muito bem para sua vida.

          Em uma parte dessa musica Vinicius diz : ”… A vida é arte do encontro/embora haja tanto desencontro pela vida…”

          Espero do fundo da minha alma que você só encontre coisas boas pelo caminho e que também traga muitas coisas boas para o caminho de outras pessoas. Caso encontre algo não tão bom, saiba deixar para trás, coisas que não nos fazem bem não precisam ser carregadas pela vida.

          Que você sempre encontre tudo de bom pelo mundo, mas quando não encontrar saiba que estarei aqui para ouvirmos um pouco de Vinicius juntos.

          “…Ponha um pouco de amor numa cadência
          E vai ver que ninguém no mundo vence
          A beleza que tem um samba, não…”

          Bjs do seu Pai.

          Cartas de hoje, para amanhã sobre o ontem.

          2 total views, no views today