O entardecer do renascimento

O dia que São Paulo parou para admirar

14 de abril de 2020. O dia que São Paulo parou e abriu a janela. Silenciou. E admirou.

E por um minuto a gente parou para olhar o céu e tudo aquilo que era angústia, por um minuto se tornou esperança.

O silêncio, que antes era uma preocupação, por um minuto se tornou uma prece. Uma prece para agradecer por mais um dia. Uma prece para ouvir o silêncio e, através dele, nos sentirmos mais perto de Deus.

Hoje foi o dia em que abrimos a janela da casa e junto com ela, abrimos uma janela para a fé, que nos fez acreditar em dias melhores. Fé de que tudo nessa vida é transitório e vai passar.

Eu duvido encontrar uma pessoa que não terminou o dia sorrindo ao encontrar o pôr de sol no horizonte. O sol que iluminou ao se despedir e abençoou a todos que ele encontrou pelo seu caminho. E sem filtro nenhum, nos fez acreditar que é possível sorrir novamente.

Em uma chuva de imagens, não consegui encontrar nenhuma que pudesse traduzir a verdadeira beleza de olhar com os olhos e sentir com o coração. Quem presenciou, se emocionou. Sim, é possível seguir o exemplo do sol: nascer e renascer. Refletir e brilhar. Silenciar e admirar.

Hoje, os sentimentos transbordaram do peito. E hoje me transbordam as palavras. Uma mistura de fé com gratidão, por estar viva e poder presenciar este milagre bem diante de mim.

Porque a combinação Deus e natureza é perfeita. E não há nada mais perfeito do que acreditar. Em tempos de solidão, Ele nos mostrou que nós não estamos sozinhos. Nunca estivemos sozinhos. Às vezes a gente esquece disso, mas Ele sempre dá um jeito de mostrar o contrário.

O sol nasce e o sol se põe para nos mostrar que sempre há mais um dia para a gente acreditar. Sempre há mais um dia para a gente ter fé e sempre é tempo para viver. E renascer.

Tudo vai ser diferente mas este 14 de abril nos mostrou que a vida pode ser melhor. Basta a gente acreditar.

Pare e respire. Sempre teremos o amanhã.

    Feliz Ano Velho!

    Hoje é dia de vídeo novo no Youtube da Caubi! De volta à rotina e ao trabalho, nada melhor que aproveitar esse frescor do ano novo para refletir sobre a vida e o caminho que ela está seguindo né?

    Em tempos de correria, vale a pena respirar um pouco, sentar, tomar um café e pensar sobre as nossas metas, nossos relacionamentos e principalmente sobre a pessoa que somos e queremos ser ao longo do próximo ano.

    Aperta o play e vem comigo começar o ano, tem muita coisa boa para acontecer 🙂

      Perder às vezes, desistir jamais

      A vida tem dessas coisas: altos e baixos. Tropeços. Problemas. Muitas pedras pelo caminho que às vezes nos obrigam a mudar a trajetória.

      Mas talvez esta seja justamente a graça de tudo: as dificuldades tornam-se oportunidades para que a gente possa crescer e evoluir. E isto só depende de nós.

      Sabe a frase “se a vida te der limões, faça uma limonada”? Ela nunca fez tanto sentido para mim como agora. Eu só cheguei até aqui porque os desafios que encontrei pelo caminho me obrigaram a mudar o rumo das coisas. Planos, projetos e decisões. Quando você pensa em mudança?

      As dificuldades aparecem para que possamos nos tornar pessoas melhores. Se soubermos aproveitar os limões nos momentos difíceis, o resultado do trabalho e a limonada serão muito mais doces no final.  Acredite.

      Você é empurrado pelos seus problemas ou puxado pela sua motivação? O que te inspira a mudar e como você faz seus planos? Quando você se faz estas perguntas: na comemoração de uma conquista ou na tristeza da derrota?

      Tudo acontece por um motivo e a gente só colhe nessa vida o que plantou.
      Se você plantou maçãs e está colhendo laranjas, continue semeando por aí porque um dia você vai colher as mais lindas maçãs que alguém já viu nessa vida. O mais importante é: não desista. Nunca!

      Se você ainda não atingiu o resultado desejado é porque você ainda não esta preparado para recebê-lo. Talvez tenha algo que você ainda precisa fazer ou melhorar para chegar lá. Continue trabalhando porque a sorte só chega pra quem trabalha e muito.

      Ganhar ou perder: tanto faz. A pergunta é: como você é capaz de lidar com estas situações? E qual o próximo passo para estar mais perto dos seus objetivos?

      Porque vencer também é saber como se levantar quando a gente perde.

      Se joga sem medo. A experiência que conta pra seguirmos em frente sempre.

        A vida é um sopro.

        Clichê.

        Ultimamente, esta é uma das frases que mais tenho ouvido. No elevador do prédio, no café do trabalho, no corredor do shopping, no grupo de mensagens entre amigos.

        Mas, será que paramos para pensar que a ‘vida é um sopro’ ou só falamos por falar? O quanto vivemos a nossa vida para que este sopro um dia se espalhe pelo vento pela última vez?

        Você vive a sua vida plenamente, intensamente? Se hoje fosse o seu último dia, como você seria lembrado pelo mundo? Qual o legado você está construindo para deixar como memória?

        Nunca tinha pensado sobre isso, até hoje. Presenciamos muitas tragédias em nosso país, com vidas jovens sendo encerradas, sorrisos calados e sonhos interrompidos. E, nesse momento de tristeza, vem a reflexão: você está realmente buscando seus sonhos?

        O que estamos esperando para ir atrás do que queremos? Porque nos falta coragem para seguir em frente e encarar os desafios? Se hoje fosse o seu último dia, você teria orgulho da sua história? Se hoje fosse o seu último dia, você iria fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para realizar seus desejos?

        O ponto é: nós não sabemos quando será o nosso último dia. Então, porque postergamos tanto nossos sonhos, nossos desejos? Preguiça, medo de falhar ou ficar na zona de conforto são alguns do motivos que nos impedem de realizar nossos sonhos.

        Que a gente não deixe para amanhã o que podemos realizar HOJE. Esta é a palavra que importa: HOJE. É o dia, o momento. Para criar, trabalhar, amar e sonhar sem arrependimentos.

        Que a gente possa adotar a brevidade da vida como lema para viver. Com sentimento e com vontade. Com verdade. Ame, chore, abrace, sorria, coloque tudo para fora.

        Não sabemos quando será a nossa última vez. E é justamente esta a graça da vida.


        E você, o que está esperando para ser feliz?

          Seguindo em frente

           

          Ontem assisti ao filme “O casamento do meu melhor amigo” talvez pela milésima vez. Não me lembro quando foi que decorei as falas, as músicas e as cenas mas desta vez foi diferente. E comecei a pensar porque este é meu filme favorito de todos os tempos.

          Com mais de 20 anos de existência e sempre atual, este filme nunca ganhou um Oscar ou outro prêmio de relevância, não possui efeitos especiais nem um grande orçamento mas talvez a lição de vida seja uma das mais importantes. Pelo menos para mim.
          Não é um filme sobre heróis, príncipes ou final feliz. É um filme sobre saber perder, aceitar a derrota e seguir em frente porque nem sempre nos filmes ou na vida real o final feliz é do jeito que a gente sonha ou planeja. E mesmo assim não signifique que não seja feliz. Pode ser feliz, basta a gente enxergar com outros olhos.

          Esta é a vida. Sempre surpreende e na maioria das vezes acontece diferente de tudo aquilo que sonhamos. Mas e daí? Porque não podemos construir nosso próprio final feliz com as ferramentas que o destino nos proporcionar ao longo do caminho? Quem inventou a receita para a felicidade com certeza não soube aproveitá-la da forma mais simples: criando a inventando a sua própria história.

          E daí se o noivo é apenas o seu amigo e decidiu ser feliz com outra pessoa? É preciso aceitar os fatos e a realidade e construir o seu próprio caminho de felicidade. Sem rancor, sem mágoas. Apenas seguindo em frente. Com tranquilidade e serenidade. Outras oportunidades sempre irão aparecer e a pergunta é: você estará pronto para recebê-las de coração aberto? 

          Uma vez que você fizer as suas escolhas, não pode olhar pra trás. Por isso pense com o coração, a alma e a cabeça… apenas para garantir que não haverá arrependimentos. E leve o tempo que for necessário pois cada um tem a sua velocidade para tomar decisões da sua vida. Cada um tem o seu tempo e este sim precisa ser respeitado.

          Nós somos o resultado de nossas escolhas. Portanto, faça muito bem a sua. E siga em frente. Sempre.

          “Talvez não haja casamento. Talvez não haja sexo. Mas, com certeza, haverá dança.”

           331 total views