O que muda em 2017?

 

Ano Novo. Novos desejos, novas promessas, novas esperanças. Este ano fiquei pensando qual seria o verdadeiro motivo para comemorarmos o ‘novo’. Afinal, de um dia pro outro é possível mudar tanta coisa assim? O que muda em 2017 que não foi capaz de acontecer em 2016? Qual seria o milagre do dia primeiro, que não conseguimos realizar até o dia 31 do mês anterior?

É possível que novas coisas aconteçam se a gente continuar com os mesmos vícios? É possível emagrecer sem praticar esportes? É possível encontrar o amor sem sair de casa? E ser uma pessoa melhor que critica os defeitos do outro? Conseguiríamos ser mais felizes e continuar mau humorados? Não cheguei a nenhuma conclusão para tentar desvendar os segredos do ano novo.

Mas precisamos concordar que o ano jamais será novo se continuarmos sendo velhos. Velhos hábitos e costumes, velhas manias, velhas reclamações. Acredito que a mudança começa por nós mesmos: de dentro pra fora.

Mudança com o coração, com alma e toda a vontade. Afinal, não adianta ter só o desejo de mudar o ano e continuar sentado no sofá esperando que um milagre aconteça. Não é assim que a vida acontece. Para que o mundo mude, eu preciso primeiro mudar. Mas, além disso, preciso acreditar nesta mudança.

Quero um 2017 simples: cheio de boas energias, pessoas que eu amo por perto, pés descalços, risadas e comida boa. Quero ser mais saudável, praticar esportes e não deixar para dizer depois o que o coração tem vontade. Quero tirar fotos incríveis e viver momentos que ficarão para sempre registrados no pensamento. Quero saúde para trabalhar e um amor que traga borboletas para o meu estômago.

Que o Ano Novo só traga os melhores sentimentos, os abraços mais apertados e os passeios mais bonitos. Que nos traga sorrisos, respeito ao próximo e fé na humanidade. E que a mudança comece dentro de casa.

 

Feliz 2017! 🙂

    Há flores em tudo o que eu vejo

     

    Fortes emoções. É o que resume meu final de semana, com boas notícias, várias surpresas e lágrimas de alegria. Aquele que começou com encontros incríveis, matando as saudades de pessoas queridas e terminou no cinema, com o filme “Como eu era antes de você” ~ snif, que me deixou emocionada até agora!

    E algumas coisas acontecem em nossa vida justamente para trazer aquelas respostas que a gente tanto procurou e nunca soube onde encontrar. “Quando a gente menos espera, as coisas boas acontecem” se tornou minha filosofia e acredito que quando a gente sorri e faz o bem, o bem dá um jeitinho de encontrar a gente de volta.

    Ao longo dos últimos anos muita gente entrou (outras voltaram) e algumas saíram da minha vida. Perdi pessoas importantes que a morte levou e outras que as redes sociais me permitiram excluir. Cheguei à conclusão de que quero perto de mim apenas quem me quer ao lado.

    Porque aqueles que nos querem bem são as melhores pessoas. Aqueles que querem nos ver felizes e torcem para que a vida siga sempre em frente e de cabeça erguida. É o que a gente chama de amigo: que nunca abandona, dá bronca quando a gente erra, mas estende sempre a mão para ajudar a nos levantar. Amigo comemora cada etapa da vida, compartilha a felicidade e sempre tem aquele abraço para aquecer o coração quando a gente mais precisa.

    Talvez tenha aprendido com o filme de ontem que as pessoas entram e saem de nossas vidas para que possamos aprender com elas, tanto do lado positivo quanto do negativo. Hoje posso dizer que aqueles que estão por aqui me tornam uma pessoa melhor diariamente e não importa o motivo ~ ainda estou tentando descobrir as minhas qualidades ~ tem algumas pessoas por aí que me querem por perto.

    Eu sei que nem todos os dias são flores, mas devemos procurar enxerga-las em tudo o que a gente vê. Assim, a jornada da vida será mais bonita, principalmente para quem percorre este caminho ao seu lado. Porque não importa quem entra nem quem sai. O importante são aqueles que ficam.

    IMG_5439

      13 de março de 2016.

       

      Antes que você comece a ler, este não é um post político, partidário ou rebelde. Fui sim ontem à manifestação por um Brasil melhor na Avenida Paulista em São Paulo, mas as lições que eu trouxe na bagagem vão muito além dos protestos.

      Apesar de todos os fatos negativos no cenário da política e economia brasileira, podemos tirar algumas lições valiosas para encontrarmos aquele futuro que a gente tanto deseja para nós mesmos e as gerações que estão por vir. Acredito que nos momentos de maiores crises é que demonstramos nossa força de vontade e criatividade para superar os obstáculos. Nem sempre é fácil reconhecer isso, principalmente quando fazemos parte do problema, mas depois que a gente consegue superá-lo, de certa forma saímos mais fortes e confiantes.

      Outro ponto importante para resolver uma crise, é tentar não repetir as ações que motivaram seu acontecimento. E isso sim é responsabilidade de todos nós; é problema meu, seu, da sua família, dos seus colegas de trabalho, do porteiro do seu prédio, do seu vizinho e daquela tia distante que mora no interior. Se o problema não tocar igualmente a todos nós, fica impossível buscar uma saída. Claro que eu tenho que fazer a minha parte e ir atrás daquilo que eu acredito, mas não sou capaz de mobilizar grandes ações sozinha.

      Sou consciente que tenho que fazer a minha parte. Mas você também tem que ajudar e fazer a sua. Cansei de reclamar da minha vida e não tomar nenhuma atitude para mudá-la. Se sou infeliz no meu emprego, não adianta acordar todos os dias e fazer a mesma coisa em um lugar que não me agrada e ainda passar o dia de mau humor. Se cansei de estar acima do peso, não é lamentando os quilos que tenho a mais em cima do sofá que irei emagrecer. Não adianta reclamar que a casa está suja se você continuar jogando lixo no chão.

      A diferença entre o problema e a solução é a atitude. Se não gosta da vida do jeito que está, levanta e muda. Acredita. Apenas com ações seremos capazes de mudar e só com ações é que iremos progredir e vencer. Quero ser um exemplo daquela pessoa que luta até o final; porque enquanto houver esperança, ainda há ações.

      brasil

        Eu quero a sorte de um amor tranquilo

         

        Pois é Cazuza. Afinal, você tinha razão. Tudo o que eu tô precisando por aqui é um amor tranquilo. Daqueles que a gente descansa no embalo da rede e cochila encostado no ombro sem se preocupar com quem está ao redor.

        Já não tenho mais energia para aventuras passageiras, papos superficiais ou ficar esperando horas ~ ou dias ~ pelo retorno de uma mensagem. Depois de tanto sofrer e tanto procurar, quero para mim objetividade, mas sem perder o romance. Quero um amor simples, mas que seja por inteiro. Daqueles amores que curtem assistir Netflix esparramado pelo sofá, mas de vez em quando saem para jantar à luz de velas ou para beber cerveja sentado num boteco de esquina.

        Amor. Companheiro, fiel e verdadeiro. Palavras difíceis de se encontrar por aí. Talvez eu esteja procurando nos lugares errados. Concordo plenamente com a minha mãe (e com a Carol) de que tudo acontece no tempo certo e quando o amor tem que vir, ele sempre dá um jeitinho de nos encontrar. Mas… caramba! Alguém deve ter perdido meu endereço por aí. Ou ter informado o número do vizinho, que aliás já encontrou o amor, filhos e até um cachorro.

        Não quero competir com alguém pelo melhor emprego, salário ou posição social. Quero me somar à alguém que queira compartilhar a vida comigo: sonhos, viagens e a paixão por futebol (ok, pode dividir a faxineira também!) e que queira brigar só pela disputa do controle remoto.

        Já tenho cabelos brancos… não tenho tempo para ciúme bobo. Com dois empregos, fica difícil considerar um relacionamento complicado ou cansativo; esse negócio de discutir a relação todos os dias ficou no passado. Quero chegar em casa e ter alguém para rir, experimentar minhas receitas loucas e me ajudar com a louça. Um lava e outro seca os pratos: isso é felicidade. Simples. E que essa simplicidade possa vir logo… quem sabe está logo ali, virando a próxima esquina?

        love

         

        O amor que couber nas mãos, na pele e na alma. Quero todo o amor que houver nessa vida.

          30 coisas que aprendi com a chegada dos 30

           

          A gente espera tanto por uma data que quando percebe, ela já foi. Já faz uma semana que completei 30 anos e ainda estou me acostumando com essa ideia. Mas, mais que fazer aniversário, com o decorrer dos anos a gente vai aprendendo tanta coisa que os 30 acabam por ser uma consequência da maturidade da nossa história.

          Para tanto, listei aqui 30 coisas que aprendi – umas de forma fácil e outras nem tanto – ao longo desses anos e que levo comigo para os 31, 32, 33 e todos os outros anos que estão por vir…

          IMG_2428
          1. Ninguém morre de amor. A gente chega perto do abismo, mas sobrevive;
          2. E quando sobrevivemos, somos capazes de enfrentar os problemas com mais força e tranquilidade;
          3. Afinal, ‘o que não mata, nos fortalece’;
          4. Tudo na vida é passageiro: alegrias, derrotas, conquistas e sofrimentos;
          5. Saiba lidar com paciência na derrota e humildade na vitória porque cedo ou tarde estes papéis se invertem. É uma questão de tempo;
          6. Existe uma grande diferença entre amigo e colega;
          7. E, quando você souber quem é realmente seu amigo, não vai colocar expectativas e depositar segredos nos colegas;
          8. Família é o que temos de mais importante na vida;
          9. Não importa o tamanho do problema, eles estarão sempre ao seu lado;
          10. Não julgue as outras pessoas. Você não conhece a história do outro para avaliar suas decisões;
          11. Tenha fé dentro do seu coração;
          12. Seja grato;
          13. Pare de reclamar de tudo;
          14. Autopiedade não resolve problema; pelo contrário, só adia e complica a solução;
          15. Ria. Chore. Grite. Não reprima seus sentimentos;
          16. Tire fotos. Muitas. Sempre. E imprima os melhores momentos;
          17. Expresse todo o seu amor sem ter vergonha do que os outros irão pensar;
          18. Você jamais vai agradar a todos;
          19. E o que os outros irão pensar de você não é problema seu;
          20. Tire os sapatos e ande mais descalço pela casa, pela grama, pela praia;
          21. Deseje um bom dia ao vizinho, ao porteiro, ao colega do trabalho, mesmo que não receba o mesmo gesto em retorno;
          22. Respeite os mais velhos: à mesa, no ônibus, na fila da farmácia, na garagem do shopping e na vida;
          23. Trabalhe duro;
          24. Pague seus impostos e seja honesto: não existe melhor remédio que a consciência tranquila;
          25. Por favor e obrigado nunca irão sair de moda;
          26. Assim como receber flores: romantismo, educação, amizade, agradecimento. Sempre há um bom motivo para enviá-las;
          27. Viaje, conheça novos lugares e novas culturas;
          28. Coma o que tiver vontade, mesmo que a sobremesa seja antes do almoço;
          29. Mas, para equilibrar, procure uma vida saudável e equilibre corpo, mente e alma;
          30. E, por último: sorria. Sempre. Algum dia, inevitavelmente, a vida lhe sorrirá de volta. 🙂