A minha varanda

 

Neste post vou contar ~ e mostrar ~ um pouquinho mais sobre a varanda da minha casa. Na verdade, ela foi um dos motivos principais por eu ter comprado este apartamento… quando vi, foi amor à primeira vista.

Com uma vista privilegiada de São Paulo, eu moro no 26º andar e logo que me mudei para cá, fiz algumas alterações na planta original. Inicialmente, meu apartamento tinha 3 dormitórios mas, por morar sozinha não vi a necessidade de ter três quartos. Então, desmanchei o ‘dormitório 2’ para ampliar a sala e tirei a porta da varanda, tornando toda a área social da casa em uma só.

Outro problema que eu tinha e que acabou virando uma solução, foi o ar condicionado. Por aqui, só tenho o ar condicionado no quarto e a máquina de saída do ar fica na varanda (fiz um post há um tempo atrás mostrando o antes e depois aqui). Então, meu pai fez o projeto deste móvel em madeira ripada para esconder a máquina do ar. E o que era improviso virou um dos meus cantinhos favoritos da casa: minha horta e cantinho do café.

E uso também este móvel como mesa de apoio quando recebo mais pessoas por aqui.

O único ponto negativo por aqui é a obrigação de manter pelo menos uma das partes de vidro aberta quando for ligar o ar condicionado. Como o ar que sai da máquina é quente, é preciso manter algum tipo de ventilação para não esquentar muito o ambiente ou a máquina.

Do outro lado, fica a churrasqueira. Não sei se a exaustão do prédio é muito boa ou se é porque eu moro no último andar, mas nunca tive problema com fumaça ou cheiro por aqui. Claro que sempre que uso, as portas de vidro ficam abertas e preciso ligar o botão do exaustor. Com o ambiente integrado, a área da churrasqueira ficou maior e mais confortável para os convidados.

Se a planta do seu apartamento é parecida com essa, recomendo pensar em abrir os ambientes para integrar a área social da casa. Além de ficarmos com a impressão de amplitude, você usa muito mais todos os ambientes da casa.

Gostou dessa mudança? Conta aqui o que achou 🙂

44 total views, no views today

    Plantas dentro de casa

     

    Quem acompanha o blog e as redes sociais da Casa da Caubi sabe que plantinhas e temperos no cantinho da varanda são minha grande paixão. Mas não foi sempre assim… moro há quase 6 anos sozinha e fui aprendendo com o tempo ~ e os conselhos de mami ~ que cada planta precisa de um cuidado diferente e depois de muitos erros, aparecem alguns acertos e elas vão durando cada vez mais.

    Portanto, resolvi compartilhar por aqui algumas dicas que aprendi ao longo desse tempo para fazer com que seu jardim e/ou hortinha dure mais, mesmo que elas fiquem dentro de casa.

    PLANTAS EM APARTAMENTO
    Eu nunca morei em casa, mas sei que o modo de cuidar das plantinhas dentro de apartamento é bem diferente. Para fazer esta adaptação é preciso verificar alguns fatores como posição do sol ao longo do dia, temperatura e umidade dentro de casa.

    Aqui em casa, todas as minhas plantas e temperos ficam na varada. O sol que bate por aqui é o sol da tarde, que é bem forte principalmente no verão e deixa o ambiente muito quente porque a varanda é fechada com vidro. Esse é um dos principais pontos para prestar atenção: plantas de sombra não se dão bem no ambiente da varanda, portanto quando eu compro orquídeas, lírios da paz ou antúrios, por exemplo, deixo na sala de jantar para não receber tanto sol diretamente. Em tempos de verão, minhas plantinhas ficam mais afastadas do calor e deixo que elas recebam a luz do sol na hora mais fresca; sol direto e muito calor podem queimar as plantas e a ausência dele deixam as plantinhas mais fracas.

    Outro ponto importante: é preciso ter plantas de acordo com o espaço que você tem disponível. Não adianta eu tentar criar uma samambaia por aqui, pois ela não irá crescer com saúde ou então irá expandir além do espaço disponível. Os temperos mais indicados para espaços pequenos são orégano, manjericão, manjerona, pimenta, alecrim, hortelã e tomilho. Para plantas, tenho bastante suculentas e algumas jibóias que se adaptam a espaços pequenos.

    O mais indicado é cultivar as plantinhas e temperos em vasos separados, para que cada uma cresça no seu próprio ambiente, seu próprio tempo e criem suas raízes separadas. Eu junto algumas delas dentro do meu caixote, mas sempre em vasos separados, pois além de tudo, os vasos com furinhos embaixo são os mais indicados para que as plantinhas possam respirar adequadamente.

    Eu raramente tiro as plantinhas do vaso que as acompanham quando eu compro do mercado ~ aquele de plástico preto, sabe? ~ mas se você quiser começar seu vaso, para os temperos o mais indicado é plantar em um solo leve, sem pedras ou pedaços de madeira para não atrapalhar o crescimento da raiz.

    Os temperos gostam bastante do clima da primavera e verão, com sol e temperatura na casa dos 25 graus. Tome cuidado para não passar muito disso senão as plantas queimam com facilidade e, se tiver muito frio, elas morrem mais rápido também.

    Vale a pena se atentar à quantidade de água para as plantinhas, para dosar bem e fazer com que elas durem por mais tempo. Por aqui, eu já compro os temperos mais ‘adultos’, então normalmente rego uma vez por dia. Para quem está começando agora, existe um teste simples e bem eficaz para ser feito e checar se a plantinha está com água o suficiente: pegue um pouquinho de terra do seu vaso e aperte. Se escorrer água pela terra, o vaso está encharcado e com muita água; se a terra esfarelar entre seus dedos, o vaso está muito seco. O ideal é ter a terra úmida, mas sem exageros. Eu sempre molho minhas plantinhas na parte da manhã.

    É importante saber que cada plantinha precisa de atenção e cuidado individual, além do seu próprio tempo. Com carinho e atenção, elas crescem e se adaptam ao seu ambiente.

    E aí, o que achou destas dicas?
    Conta aqui 🙂

    23 total views, 2 views today

      Final de semana, churrasco na varanda!

      Que tal aproveitar o final de semana e fazer algo diferente? Tipo almoçar fora…?
      E foi exatamente isso que eu fiz! Aproveitei o sol do sábado para fazer um churrasco aqui em casa e reunir os amigos e a família 🙂  com bastante simplicidade e me apegando aos detalhes, consegui fazer do sábado um dia muito agradável e surpreendente!

      A varanda daqui de casa é pequena e ainda não consegui colocar os móveis que eu gostaria especialmente para o ambiente, mas isto não é problema aqui! Peguei os móveis da sala de jantar mesmo e trouxe pra fora. Mesa, cadeiras, toalha, pratos e demais acessórios vieram dar uma volta e pegar um solzinho.
      A churrasqueira eu ganhei há mais de um ano atrás, logo que me mudei e até então não tinha criado coragem nem oportunidade para usá-la. É bem pequena e compacta, mas usa carvão e fogo, o que deixou a carne ainda melhor.

      Para a entrar no clima do churrasco, de entrada fiz uma receita de pão de alho do Jamie Oliver, ensinada aqui pela San (tem também a receita do Peu, mais simples. Confira). O pessoal simplesmente amou e acabou bem antes de a carne ir à mesa. Para o almoço fizemos espetinho de frango – irei mostrar a receita em breve! – carne embrulhada no papel alumínio e linguiça. Acompanhando servi pão com vinagrete.

      Tudo bem simples, mas com música e boa companhia, impossível não amar. Fica a dica para seu domingo. Porque mesmo dentro de casa, a gente pode inventar e sempre sair da rotina.

      SONY DSC SONY DSC

      SONY DSC

      SONY DSC

      Lição do dia: fumaça à parte, valeu muito a pena. Afinal, quem não gosta de um churrasco na laje? rsrsrs…

      21 total views, 1 views today