Vídeo: Valparaíso e Viña del Mar

 

Continuando a série de posts pelo Chile, hoje tem mais um blog no Canal no Youtube! Eu e Carol vamos contar um pouquinho mais sobre o bate e volta à Valparaíso e Viña del Mar. Depois da aventura à Cajón del Maipo, resolvemos fazer este passeio por conta própria.

Fomos até à estação rodoviária e compramos passagem de ônibus até Valparaíso por 3.500 pesos ~ cerca de 18 reais ~ que fica a 130km de Santiago em pouco mais de 1 hora de viagem. Aperta o play pra conferir!

Valparaíso é uma cidade portuária e patrimônio da Unesco, com artes a céu aberto espalhadas por todo o canto.
Nossa primeira parada foi em La Sebastiana, uma das casas de Pablo Neruda que se tornou um museu aberto à visitação. Por 7 mil pesos é possível explorar cada cantinho de onde o escritor morou e conhecer um pouco mais de sua história. Vale a visita!

E saindo do museu, seguimos sem rumo pelos altos e baixos da cidade. Literalmente. São mais de 40 morros pela cidade: esteja disposto a caminhar bastante! O que ajuda também são os ascensores espalhados pela cidade, que são uma espécie de elevador e bondinho bem baratos e que sobem e descem até os cerros que existem na cidade.

 

 

Aproveite e curta cada cantinho e cada parede colorida de Valparaíso!
Para o almoço, fizemos uma pausa em La Concepción ~ um restaurante com vista para o porto e comida maravilhosa!

Depois do almoço, seguimos de Uber a Viña del Mar. A apenas 9 km de Valparaíso, a viagem durou cerca de 10 minutos. Caminhamos pelo calçadão

e fomos conhecer o famoso relógio de flores da cidade. Logo depois, tive que matar a vontade de colocar os pés no mar do Oceano Pacífico. Que água gelada! Mas valeu a pena.

Dá para visitar as duas cidades em um único dia, adoramos fazer este passeio.

E aí, o que achou dessa aventura?
Conta pra gente 🙂

    Vídeo: Cajón del Maipo e Embase el Yeso

     

    Este capítulo da viagem ao Chile vai ser um pouquinho diferente: vamos contar os detalhes em vídeo. Isso mesmo! Fizemos um vlog super especial para mostrar a nossa aventura para Cajón del Maipo e Embase el Yeso. Aperta o play aqui:

    A menos de 20km da capital Santiago (e a cerca de 1h30 de viagem devido à estrada ser bem estreita), a região de Cajón del Maipo e Embase el Yeso vale a pena ser visitada! Contratamos um tour no Mercado Central de Santiago e saímos logo cedo em direção a Embase el Yeso. Nosso passeio começou em San José de Maipo, uma aldeia pequena fundada em 1792. Lá, fizemos uma pequena pausa para tomar um café e seguimos viagem em direção ao destino final. Então, seguimos até o reservatório El Yeso, localizado a 2.500 metros acima do nível do mar, e a principal reserva de água de Santiago. A paisagem é de tirar o fôlego. Literalmente.

    O serviço de tour que contratamos não seguia viagem até o destino final… fomos de ônibus, que não subia até o topo da montanha em Yeso. Ou seja, tivemos que ir caminhando. Apesar da paisagem maravilhosa, foi bem cansativo: tivemos que subir cerca de 4km a pé a 5.000 metros de altitude! Ainda bem que não estava tão frio e que já era primavera. É importante saber: antes de ir, veja as condições climáticas pois durante o período de neve, a caminhada se torna ainda mais difícil e perigosa.

    Claro que a caminhada valeu a pena. Cheguei cansada, mas a paisagem é maravilhosa em uma vista surreal: mistura de montanha, neve e lago em cores lindas. Mas acredito que poderia ter sido melhor. Quando chegamos ao topo da montanha, vimos várias vans que levaram seus passageiros até lá, com água, comida e vinho (snif!).

    Nós fizemos nosso lanche apenas na volta, depois de descer mais 4km a pé. Pelo menos na descida foi um pouco menos cansativa.

    Contratamos a empresa chamada Turistik ~ por 50 mil pesos, ou cerca de 250 reais, que nos levou até as montanhas. Vale a pena pesquisar as empresas que fazem este passeio antes de fechar. Com deixamos para definir este passeio na hora, faltaram opções para uma busca melhor. Fica a dica: pesquise e pergunte muito!

    Vá com roupas confortáveis e leve com você sempre uma garrafa de água. Apesar da aventura ~ e de alguns perrengues ~, este é um passeio imperdível, que nos proporciona fotos maravilhosas em uma paisagem tranquila e silenciosa.

    Conte o que achou do passeio e do nosso vlog! 🙂

      De carona: uma semana no Chile

       

      De volta para casa depois de uma semana de férias! Para encerrar bem o ano, saí para conhecer o Chile com duas amigas em uma aventura incrível. Ao longo das próximas semanas vou contar em detalhes todos os passeios, pontos positivos ~ e negativos ~ e algumas dicas imperdíveis para curtir a viagem da melhor maneira. Se você está planejando ir para lá, não deixe de acompanhar o blog.

      E para começar, vou resumir um pouquinho aqui do que fizemos por lá dia a dia.

      Dia 1: saída de São Paulo para Santiago. Nosso voo chegou perto das 11h da manhã. Conseguimos uma passagem pela Latam ida-volta por R$ 681; vale a pena ficar de olho nestas promoções porque realmente valem a pena! Na saída do aeroporto, chamamos um Uber e fomos direto ao nosso apartamento que alugamos via Airbnb. O apartamento é super bem localizado, na região central de Santiago com fácil acesso ao metrô. Com capacidade para até 3 pessoas, foi super tranquilo contar com uma cozinha para fazer comidinhas caseiras depois de dias longos de passeio.

      * fique atento com o transporte no Chile. Quando pedi dicas de transporte, não teve exceção: todo mundo me falou para tomar cuidado com táxi por lá. Como a moeda é bem diferente da nossa, é comum o turista confundir os valores e muitas vezes os taxistas se aproveitam disso. Se você tiver internet por lá, vale a pena contar com Uber a Cabify. Usei este serviço durante toda a viagem e não tivemos grandes ocorrências com cobranças ou trajetos.

      Depois de deixarmos as malas no apartamento, fomos explorar a região. Caminhamos em direção ao Mercado Central e à Plaza de Armas. Esta é uma região bem agitada e repleta de lojas e comércio popular. Quase fomos furtadas então fica a dica: mochilas sempre para frente e celular no bolso! Almoçamos em um restaurante peruano por ali mesmo e retornamos ao apartamento. À noite fomos jantar no Pateo Bellavista, um local a céu aberto repleto de restaurantes e bares: parada obrigatória para quem curte um pouco de agito em Santiago.

      Dia 2: já no domingo fomos abençoadas com o tempo: céu azul, sol e bastante calor. Decidimos então caminhar pelo Parque Bicentenário e tivemos a sorte de encontrar uma feira de comidas típicas e artesanato. Descobrimos que a feira acontece todo domingo a cada 2 meses no local. Vale muito a pena pesquisar antes de ir porque a feira é realmente muito bacana 🙂

      Continuamos a caminhada e paramos para almoçar no Mestizo, restaurante que fica dentro do parque e foi recomendado por 100% das pessoas que me deram dicas do Chile. E realmente, faz justiça à fama que tem: lugar bonito, bom atendimento e comida deliciosa. Vou postar mais detalhes depois, aguardem…

      Dia 3: na segunda-feira perdemos uma guerreira rsrsrs… uma das amigas não conseguiu tirar férias e voltou pra São Paulo. Em duas pessoas, tínhamos a semana toda pela frente para continuar aproveitando a viagem. Seguimos então para Cerro Santa Lucia, um morro dentro da cidade com um parque com praças, fontes e escadarias que levam a um mirante, o qual é possível aproveitar uma linda vista de Santiago.

      Tentamos fazer outros passeios também mas segunda-feira grande parte dos museus e atrações estavam fechados. Seguimos então para o Parque Arauco, um shopping a céu aberto bem estilo americano.

      Dia 4: dia de passeio cultural. Começamos pelo Museo de la Memoria y los Derechos Humanos, que conta histórias e memórias da ditadura chilena; um passeio incrível pela cultura do país, o qual foi possível entender um pouquinho mais sobre essa parte da história tão marcante na América Latina. A entrada é gratuita e para quem curte arte e história esta é uma parada obrigatória.

      Em seguida fizemos uma breve visita à Catedral Metropolitana de Santiago e seguimos o passeio e o almoço para o bairro Itália, repleto de arte e gastronomia.

      Dia 5: um dos sonhos realizados foi a visita à vinícola Concha y Toro, uma das marcas mais amadas deste blog <3  vai ter post detalhando tudinho sobre a visita, mas já adianto: é um passeio SENSACIONAL para os amantes de vinho! É possível passear, conhecer a vinícola, degustar, comer bem e ainda levar os principais vinhos da marca por preços bem mais acessíveis. Fizemos o passeio por conta própria em transporte público e foi super tranquilo. Em breve postarei os detalhes de como fazer a reserva e chegar à vinícola com tranquilidade e diversão.

      Depois desta visita seguimos para o Sky Costanera ~ o prédio mais alto da América Latina, com 300m de altura ~ para observar o pôr do sol nas alturas. Simplesmente sem palavras!

      Dia 6: um dos passeios mais aguardados era a mini viagem para Cajon del Maipo e Embalse el Yeso. Depois de duas horas de viagem de ônibus, foi possível encontrar esta vista maravilhosa. Muito frio e muito perrengue para chegar até o topo, mas o azul da água e a neve da montanha compensaram qualquer esforço.
      Este é um passeio que precisa ser bastante estudado na hora da contratação. Em breve vou postar – e mostrar mais detalhes – desse backstage rsrsrs…

      Dia 7: em nosso último dia de passeio, fomos até a rodoviária e pegamos um ônibus para Valparaíso. Para quem curte turistar sem pressa e observar cada detalhe de arte e arquitetura vai amar a cidade! Ela é famosa por abrigar La Sebastiana, uma das casas de Pablo Neruda que virou museu e vale muito a pena ser visitado.

      Além disso, a cidade abriga infinitos grafites nas paredes de casas nas subidas e descidas. Impedível!

      Terminando o passeio em Valparaíso, pegamos um Uber em 10 minutos estávamos em Viña del Mar, a famosa cidade do relógio de flores. Não perdi a oportunidade e coloquei os pés no – SUPER gelado – oceano Pacífico para renovar as energias e voltar para casa com o coração cheio de alegria e gratidão.

      Dia 8: retorno para São Paulo com muita emoção, já que com a mudança no peso das malas para despachar, 23 kg ficou pouco para o tanto de coisas que trouxemos rsrsrs… vale ficar atento a isto, principalmente em relação a quantidade de garrafas de vinho para não perder o controle. Voltamos pela Latam e é permitido transportar até 4 garrafas na mala de mão. Eu consegui trazer algumas garrafas na mala, então valeu muito a pena porque o preço realmente compensa 🙂

      Fique ligado por aqui, a partir da próxima semana irei compartilhar mais detalhes da viagem com passeios, trajetos, valores, o que fazer e principalmente: o que não fazer para não entrar em roubadas…. espero que gostem. Me contem aqui o que estão achando ok?!

        O pôr do sol em Key West

         

        Para quem gosta de praia, verão e tranquilidade, Key West é o lugar perfeito! Fui pra lá conhecer em fevereiro em uma viagem pela Flórida com a família e pretendo voltar em breve: Key West é realmente um paraíso!

        E uma das principais atrações da cidade é o seu pôr do sol. Como Key West é uma ilha, a vista é linda em todas as partes… mas existem alguns pontos super especiais para curtir o fim da tarde. Ficamos duas noites por lá, então foi possível aproveitar o pôr do sol em dois lugares diferentes.

        Mallory Square
        No primeiro dia fomos ao pôr do sol mais famoso de Key West, na Mallory Square, onde é chamado de “Sunset Celebration” ou Celebração do Entardecer. Na cidade, as pessoas sabem exatamente o horário que o sol irá se por e então se reúnem para apreciar o fim do dia. Nessa praça, o pôr do sol é realmente um evento.

        Há um calçadão com música ao vivo, feirinha de artesanato, sorvete, cerveja e diversas comidinhas boas… em fevereiro o pôr do sol acontecia por volta das 18h e então, quando o horário se aproximava as pessoas se encostavam na beira da praça à margem do mar, para ficar bem pertinho do espetáculo. O que era literalmente um espetáculo: o sol mudando de cor com o mar no horizonte, barcos passando e aves voando. Uma das cenas mais bonitas que já vi na vida!

        Píer do hotel (The Reach – Waldorf Astoria)
        No dia seguinte, os passeios turísticos pela ilha foram intensos: alugamos bicicletas e passamos o dia todo explorando Key West. No final do dia estávamos super cansados, então decidimos ficar descansando no hotel. Sorte a nossa, pois o pôr do sol foi maravilhoso!

        No post anterior sobre Key West contei um pouquinho sobre o hotel que ficamos hospedados. Ele fica numa ponta da ilha bem próximo ao ponto mais ao sul dos Estados Unidos. E o hotel tem um píer enorme que avança ao longo do mar (no site, dá pra ver que acontecem até casamentos nesse píer… dá pra imaginar que incrível??!). Não preciso nem falar sobre a vista né?

        Este é um daqueles momentos que a gente agradece a Deus pela oportunidade. Vi o sol se por ao mar junto com a minha família, em silêncio. Era possível ouvir as ondas, os pássaros e o sol se despedindo. Key West é algo surreal.

        Se você curte essa paisagem, acrescente a viagem à Key West no seu destino. É realmente imperdível 🙂

          Be Our Guest: o restaurante de A Bela e a Fera

           

          Para quem está com viagem programada para a Disney em Orlando, eis aqui uma parada obrigatória: o restaurante Be Our Guest ~ que fica na área do Fantasyland ~ no Magic Kingdom! Inspirado no filme de A Bela e a Fera, tudo ali é muito mágico para te fazer sentir como se estivesse realmente dentro do filme.

          Este é um dos restaurantes mais concorridos da Disney portanto, recomendo que faça a reserva com bastante antecedência – assim que eu soube da minha viagem, já fui reservar o almoço para a família. Apesar de ter que colocar os dados do cartão de crédito na reserva, fique tranquilo que você não será cobrado. Ah, e também não existe taxa para reserva! Minha dica é: se você souber direitinho qual dia ir em cada parque, vale a pena dar uma olhada nos restaurantes de cada um deles e reservar antes de ir; os melhores costumam ser bem cheios e com difícil acesso para entrar sem reserva #ficaadica.

          O restaurante é ambientado no Castelo da Fera. Juro que é IGUAL a tudo o que a gente viu no filme, de arrepiar de emoção <3
          As mesas de refeição se dividem entre o salão de baile ~ “tale as old as time” ~ e o quarto da Fera onde ele guarda a rosa. Nós conseguimos uma mesa no salão de baile e se puder, recomendo escolher este ambiente que é bem mais claro e convidativo.

          O restaurante é aberto para café da manhã, almoço e jantar porém o cardápio muda bastante entre as refeições. Para o almoço, antes de entrar no salão, você é atendido em ‘totens’ e já seleciona o que vai comer ali mesmo: entrada, prato principal e sobremesa. Efetua o pagamento na máquina e ao entrar no salão, é livre para escolher onde sentar. Bem ao canto, tem um balcão para que você possa se servir livremente com a bebida que escolheu: refil de refrigerante, bules de chá e café. Em seguida, seu prato é servido rapidamente, mais parecido com o esquema fast food. A comida é bem gostosa, mas confesso que esperava um pouco mais de magia a esta refeição.

          Já no jantar, o atendimento muda um pouco. Você recebe um cardápio em um estilo mais chique e refinado. Além disso, é servido bebida alcoólica também. O Magic Kingdom é o único parque da Disney que não vende bebida alcoólica; apenas no jantar do Be Our Guest é possível tomar vinho; quem curte passear e tomar uma cerveja, vá preparado para não se decepcionar neste passeio.

          Não é o lugar mais barato da Disney para comer, mas vale muito a experiência. Para 4 pessoas com bebida e refeição gastamos cerca de USD 65 (cerca de 225 reais). O cardápio com os preços está disponível aqui.

          Como era meu aniversário no dia que fomos ao Magic Kingdom ~ depois vou contar por aqui como é passar o aniversário por lá ~ a garçonete me deu os parabéns e me trouxe uma sobremesa grátis. Gentilezas que a gente encontra muito por lá 🙂

          Para quem é muito fã do filme, este é um passeio imperdível! Recomendo!