Um final de semana em Cunha

 

Este final de semana foi super especial por aqui 🙂

Consegui reunir uma parte da família e fomos para Cunha, no interior de São Paulo. Com quase 22 mil habitantes, a cidade fica a pouco mais de 250 km da capital, na região do alto Paraíba. O município  ocupa 1.410 km² de colinas e montanhas, aninhadas entre as serras da Quebra-Cangalha, da Bocaina e do Mar. Limita-se com Ubatuba, São Luiz de Paraitinga, Lagoinha, Guaratinguetá, Lorena, Silveiras, Areias, São José de Barreiro no estado de São Paulo e Angra dos Reis e Paraty no estado do Rio de Janeiro.

Com altitude média de 1.100m, o ponto mais alto da cidade é o Pico da Pedra da Macela, a 1.840m do nível do mar; ponto super especial em que é possível avistar Angra dos Reis e Paraty com uma vista de tirar o fôlego. Infelizmente, não conseguimos fazer esta trilha desta vez. Por ser bem cansativo e exigir um preparo físico extra, deixamos para uma outra oportunidade…

Mesmo assim não faltaram atividades em meio à natureza, estúdios de cerâmica, cervejas artesanais e muita história.

Saímos de São Paulo bem cedo e seguimos em direção à Cunha pela Rodovia Dutra: com duração de pouco mais de 3 horas e 30 minutos de viagem, chegamos ao nosso destino em um sábado frio porém ensolarado e sem nuvens. Nossa escolha de hospedagem foi a pousada Cheiro da Terra. Com ótima localização e atendimento super cordial, cada parte da família ficou hospedada em um chalé diferente super aconchegante e confortável.

Em seguida, saímos para explorar a cidade e fomos conhecer o Ateliê da Cerâmica, a igreja matriz e almoçamos por ali mesmo (em breve irei escrever especialmente sobre os lugares que fizemos nossas refeições e recomendar comidinhas deliciosas para quem está planejando uma viagem para Cunha, não deixe de acompanhar os próximos posts!).

A pausa para o café da tarde ficou por conta do Moara Café: um dos lugares mais fofos que já fui com uma mistura de plantinhas, comida caseira, empório e exposição de antiguidades… tudo muito lindo e super especial. Esta é uma parada obrigatória!

Em seguida fomos ao Contemplário e depois ao Lavandário. Ambos ficam na mesma estrada e é possível visitar os dois locais no mesmo dia. Primeiro fomos ao Contemplário para conhecer as plantações de lavanda, alecrim e outras ervas. Em seguida, fomos ao Lavandário para admirar o por do sol, um dos mais lindos da região (que eu já vi na vida!).

Se você está procurando um lugar para descansar e conectar-se à natureza, Cunha é o lugar. Em todos os lugares que passamos, é possível sentir a paz e a tranquilidade de uma cidade que vive do turismo e do seu comércio local de cerâmica, pinhão e shitake.

Além disso, a hospedagem e as refeições oferecem um ótimo custo x benefício em um lugar bem pertinho de São Paulo.

Esse foi só o primeiro post, pra dar aquele gostinho de ‘quero mais’. Irei compartilhar por aqui sobre as comidinhas e vem aí um vlog com mais detalhes dos passeios.
Não perca 🙂

5 total views, 1 views today

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    2 thoughts on “Um final de semana em Cunha

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *