Para alegrar a casa, Flor da Cidade

 

Para começar bem a semana, que tal enfeitar a casa e a vida com flores lindas e perfumadas? Na última sexta-feira recebi a primeira entrega do serviço de assinatura de flores da Flor da Cidade: um arranjo maravilhoso com um mix de flores e folhagens da estação em um vaso de vidro lindíssimo para decorar a casa.

A Flor da Cidade é um ateliê de flores online diferente das floriculturas tradicionais, com arranjos cheios de personalidade, nasceu na urbana São Paulo para deixar a casa e a vida mais alegres! Os serviços oferecidos incluem assinaturas florais, buquês de noiva, kits para presente, terrários e pequenos eventos.

É possível fazer assinaturas mensais com 4 entregas semanais a partir de R$ 250, comprar buquês avulsos a partir de R$ 70 ou encomendar o seu próprio terrário a partir de R$ 100. O frete é grátis e as flores chegam em casa lindas, frescas e impecáveis para ir direto para a decoração de qualquer ambiente.

O serviço está disponível nos seguintes bairros de São Paulo: Alto da Lapa, Alto de Pinheiros, Bela Vista, Butantã, Cerqueira César, Higienópolis, Itaim, Jardins, Pacaembu, Lapa, Perdizes, Pinheiros, Pompéia, Moema, Morumbi, Sumaré, Vila Anastácio, Vila Leopoldina, Vila Madalena, Vila Nova Conceição, Vila Olímpia, Vila Romana.

Vale a pena conferir o serviço, é pra se apaixonar!

Dicas de como manter o seu arranjo bonito por mais tempo:

  1. É aconselhável manter o arranjo em um vaso transparente para que fique mais fácil observar a quantidade e tonalidade da água. Ela deve cobrir aproximadamente três dedos (5 cm) dos caules e estar constantemente limpa;
  2. Evite que as folhas entrem em contato com a água para não causar mau cheiro e acumular bactérias; isso diminui a vida das flores;
  3. Mantenha seu arranjo em local fresco, abrigado do sol e do vento;
  4. Faça a troca de água a cada dois dias, cortando cerca de 1 cm de caule na diagonal para que a flor absorva mais água. Se possível, execute o corte dentro de uma vasilha com água, isso impede que entre ar no caule e faz com que chegue mais água aos botões;
  5. Cada flor tem uma duração diferente, por isso, mantenha apenas as flores saudáveis no vaso. É possível criar outros pequenos arranjos com as flores que tiverem maior duração.

    Vasinhos com cápsulas de café

     

    Sabe aqueles projetos que a gente testa, faz em casa e fica simplesmente apaixonada? Então, este é o caso. Vi em algum lugar pela internet vasinhos de suculentas feitos com cápsulas de café. São lindos e delicados e resolvi fazer por aqui. Resultado: vasinhos super diferentes, delicados e totalmente personalizados. O melhor de tudo, você também pode fazer por aí.

    Fiz um passo a passo para deixar o seu cantinho ainda mais colorido. Veja abaixo e teste hoje mesmo:

    • Separe as suas cápsulas usadas.

    • Abra delicadamente com uma faca ou tesoura pelas bordas e tire a ‘tampa’ da cápsula.

    • Retire o pó de café de dentro da cápsula, mas não se preocupe se ficar um pouco pelas bordas… pó de café é um ótimo adubo para as plantas.

    • Observe a parte arredondada na parte de trás da cápsula e dê uma leve empurrada para que esta parte afunde e a cápsula possa ficar mais reta, podendo ser apoiada em superfícies como mesa, balcões, etc.

    • Coloque a suculenta ou a plantinha de sua preferência na cápsula e acerte a terra com uma colher ou uma pinça.

    • Seu vasinho está pronto! É só regar de acordo com a plantinha ~ suculentas devem ser molhadas uma vez por semana com pouquíssima água ~ e enfeitar a casa!

    E aí, o que achou do resultado?
    Conta aqui 🙂

      A vida no outono

      O outono é a minha época favorita do ano. Tempo para refletir, renovar tudo aquilo que já não nos serve mais para dar lugar ao novo.

      Eu particularmente acredito que a vida tem que ser um pouco mais igual ao outono: mais desapego àquilo que já está muito antigo e mais espaço para o que pode vir. Porque só assim temos a oportunidade de florescer algo melhor, mais maduro e pleno daquilo que tínhamos anteriormente. E a gente só percebe isso quando as folhas antigas apodrecem e caem.

      Mas, não adianta querer arrancar à força qualquer folha para que uma nova apareça: isso tem que acontecer de forma natural. As folhas têm o momento certo para cair e se renovar. Chama-se processo de amadurecimento. Amadurecimento para poder suportar o frio do inverno e brilhar com charme na primavera sem ter sofrido nenhum efeito da mudança das estações.

      Muitas vezes é difícil conviver com uma folha que já não se encaixa muito bem em nossa árvore e em nossas vidas, mas acredite: uma hora ela vai cair e vai deixar de fazer parte daquele lugar que já não lhe pertence mais. E por mais que os galhos fiquem durante muito tempo vazios e secos, na hora certa as flores irão aparecer. E mais bonitas, coloridas e fortes. Porque o sol continua nascendo e iluminando tudo à sua volta – só depende de nós querer receber esta energia.

      E o outono se encaixa justamente entre o cair do velho e o florescer do novo. Talvez seja neste meio tempo que tenhamos que pensar sobre o que melhorar em nós mesmos para sermos pessoas melhores e mais fortes; é o tempo que precisamos para que um novo ciclo se inicie, sem que a gente tenha que olhar para trás ou se lamentar porque aquela folha caiu.

      O outono é tempo de superação. Vamos deixar nossas folhas velhas caírem. Quem sabe o que está por vir?

      SONY DSC

      SONY DSC

        O que fazer com o finado manjericão?

        Assim como o Pinocchio, de uns tempos pra cá eu ganhei um coração de verdade, que tem sentimentos e aprendeu a cuidar (e a gostar) de plantinhas. Ok, ele ainda não aprendeu a expressar amor pelos animais de estimação, mas acho que estou num ponto de grande evolução e um dia chegarei lá também.

        Comprei um pé de manjericão há mais ou menos três meses e fiz de tudo (tudo mesmo!) para que ele continuasse a viver – afinal, não é justo trazer um vaso da loja e simplesmente matar o pobre coitado né? Hoje tenho essa consciência. E entre indas e vindas, calor, chuva, umidade e ausências, ele se foi; começou a ficar preto, sem folhas e com aparência magrinha.

         SONY DSC

        Eu já não tinha mais o que fazer a não ser usá-lo. Todas as comidinhas de casa passaram a ter o ingrediente na receita bem como pizzas compradas pelo telefone e o vidro de azeite. E quando estava pensando em usar o manjericão para algum tipo de chá ou xampu medicinal, veio a ideia da experiência (minha mãe, é claro): colocar as folhas num potinho e congelar! Como não pensei nisso antes?
        E assim, cheia de dó no coração o meu primeiro pé de manjericão foi deixado para o moço do lixo levar embora 🙁

        SONY DSC

        SONY DSC

        Mas minha tristeza durou pouco e hoje, ganhei da minha mãe um pé de manjericão novinho e cheiroso pra enfeitar a casa e me ajudar com as receitas na cozinha 🙂 – parece um pé de alface, mas juro que é manjericão!

        SONY DSC

        Lição do dia: na natureza e no aperto de morar sozinha, tudo se transforma.

          Meu pé de jabuticaba

          E no clima de mudança de atitudes e em busca de ser uma pessoa melhor (é a semana dos pensamentos profundos…), decidi tentar mais uma vez: arranjei outra planta. Só que dessa vez fui agressiva; nada de vaso com florzinhas pra deixar na mesa… decidi comprar um vaso de jabuticaba e colocar para enfeitar a varanda.

          Confesso que aquele clima de deixar varal de pé decorando a minha varanda com toalhas e meias já estava me deixando incomodada. Além de morar no segundo andar e todo mundo que passa na rua ver o que está pendurado, chegar em casa e dar de cara com aquele monte de coisa pendurada na extensão da sala foi demais pra mim. Estou criando estratégias aqui em casa pra não deixar a roupa acumular por muito tempo, assim não tenho que usar o varal de pé. Por enquanto esta tarefa está sendo um sucesso. Se continuar assim já poderei me desfazer deste objeto de decoração horrível 😛

          E pra me ajudar a incentivar e ocupar o espaço do varal, comprei o vaso. Lindo, incrível! A paisagista que me ajudou a escolher até colocou outras plantinhas pra não deixar a raíz da árvore aparecendo. Segundo ela, a árvore não vai crescer mais do que seu tamanho atual, mas irá florescer logo e dar frutinhas – mal posso esperar! Estou estudando a respeito agora para saber em que momento isso vai acontecer e – juro! – espero que ela sobreviva para dar jabuticabas na minha casa.

          É um momento de alegria e um grande passo para a humanidade. No futuro, ainda irão escrever que até mesmo as pessoas mais desleixadas e distraídas são capazes de cuidar de outras. Preciso treinar e me preparar. Afinal, algum dia dessa vida ainda pretendo ter filhos. E atualmente, as plantas estão sendo minhas cobaias. Ainda bem que a gente pode ir tentando com elas até dar certo, porque senão eu já estaria no meu terceiro filho…

          Lição do dia: sempre é o momento de se arriscar em coisas novas.