Receita do dia: leite queimado

 

Que tal começar o dia com uma receita que esquenta nossos corações? Esta é uma receita de família do Manu do @meuape81 que vem desde a sua bisavó. Decidi testar por aqui e amei! Além de fácil de fazer fica uma delícia para servir logo pela manhã ou no fim da noite, quando precisamos daquele quentinho pra dormir ainda melhor.

Muito amor envolvido! Veja aqui como fazer para esquentar o seu final de semana:

Ingredientes:
3 colheres de sopa de açúcar
1 canela em pau
200ml de leite

Modo de fazer:
Derreta todo o açúcar no fogo médio até que vire uma calda dourada (cuidado para não queimar). Acrescente a canela em pau e em seguida o leite.

Continue mexendo. O leite irá cristalizar o açúcar, que aos poucos irá derreter novamente e ao se misturar ao leite virá uma líquido homogêneo com a cor de caramelo. Quando começar a formar borbulhas, desligue o fogo e leve ao copo a ser servido.

Vale acrescentar um leite espumado por cima deste leite, fica uma delícia!

Aperta o play pra conferir o passo a passo do Manu:

E aí, o que achou desta receita?
Conta aqui 🙂

    E o sofrimento, é infinito?

    Você já parou para pensar quanto tempo dura o sofrimento? Eu já. E descobri que sofrimento é infinito. Assim como a alegria também é. O que a gente talvez nunca tenha parado para refletir é que a felicidade e a tristeza entram e saem de nossas vidas o tempo todo – em ciclos – disfarçados de problemas e soluções, amores e afetos, ganhos e perdas, saudades e nostalgia, lágrimas e suspiros.

    Tudo aquilo que é bom {ou ruim} é passageiro e sempre irá ceder seu lugar para novos acontecimentos, novas emoções e expressões de tristeza ou de alegria. Talvez possa parecer até meio cinza ou pessimista esta maneira de enxergar e interpretar nossos sentimentos, mas a verdade é que de tanto se surpreender com os loopings da vida, uma hora a gente aprende e se acostuma com a pluralidade de emoções que aparecem diariamente em nossa rotina. E explora estas emoções com tudo aquilo que podemos sentir delas.

    Portanto, a melhor maneira de viver, é aproveitar intensamente cada etapa e acontecimento de nossas vidas: se jogar de cabeça na felicidade, sem nenhum receio de compartilhar os momentos de alegria com aqueles que amamos e entender que muitas vezes o sofrimento é necessário para a nossa maturidade, crescimento e evolução. A tristeza testa nossa força para chegar à felicidade. E, dependendo de como iremos caminhar nas dificuldades da estrada de tijolos, que chegaremos ao nosso merecido pote de ouro.

    Não podemos ter medo de enfrentar a vida. De viver a vida. É melhor viver intensamente do que viver pela metade. Aquele que vive pela metade nunca saberá o que é ser inteiro. Complexo. Completo.

    Porque não existe diploma sem estudo, arco-íris sem tempestade, parto sem dor, trabalho sem suor ou casa sem prestação. Sofrer faz parte; sorrir também. Faz parte da vida e devemos estar preparados para qualquer surpresa que ela possa nos reservar porque, apesar de tudo, a vida é imprevisível.

    SONY DSC

    “Não há tempo que volte, amor. Vamos viver tudo que há pra viver. Vamos nos permitir”.

      E quem não gosta de amigo secreto?

      Para todos os amigos me conhecem bem, sabem que existem algumas coisas na vida que eu simplesmente odeio: côco, cebola, passar fome, gatos, fio de cabelo no chão e acima de tudo: artesanato.

      Sim, sou uma pessoa que odeia trabalhos manuais com crochê, madeira e pedacinhos de vidro. Se você me encontrar por aí, por favor nunca me dê meu nome escrito no grão de arroz, brinco com casca de côco ou uma paisagem dentro de uma garrafa de vidro.

      E é neste cenário que participei do amigo secreto com os amigos do trabalho. Todo ano fazemos uma confraternização de final de ano, em que uma das brincadeiras é o “inimigo secreto”. E dessa vez me ferrei demais. Não só tive que ouvir o discurso que antecedia o presente como ganhei um kit artesanato com direito a revista + manual de fuxico, um porta celular de crochê e um porta recados de biscuit.

      Menos a minha cara, impossível! O jeito foi cair na risada com esse “mico” de presente. O lado bom é que o amigo secreto era um DVD do Coldplay que eu queria demais, então acabou compensando o inimigo horrível com uma das coisas que mais odeio… rsrsrs

      Agora é se preparar para a vingança do próximo ano e pensar em uma estratégia de onde mandar esses super presentes.

       Untitled

       

      Lição do dia: cuidado como você se comporta. Um dia o castigo pode aparecer 😛