Seguindo em frente

 

Ontem assisti ao filme “O casamento do meu melhor amigo” talvez pela milésima vez. Não me lembro quando foi que decorei as falas, as músicas e as cenas mas desta vez foi diferente. E comecei a pensar porque este é meu filme favorito de todos os tempos.

Com mais de 20 anos de existência e sempre atual, este filme nunca ganhou um Oscar ou outro prêmio de relevância, não possui efeitos especiais nem um grande orçamento mas talvez a lição de vida seja uma das mais importantes. Pelo menos para mim.
Não é um filme sobre heróis, príncipes ou final feliz. É um filme sobre saber perder, aceitar a derrota e seguir em frente porque nem sempre nos filmes ou na vida real o final feliz é do jeito que a gente sonha ou planeja. E mesmo assim não signifique que não seja feliz. Pode ser feliz, basta a gente enxergar com outros olhos.

Esta é a vida. Sempre surpreende e na maioria das vezes acontece diferente de tudo aquilo que sonhamos. Mas e daí? Porque não podemos construir nosso próprio final feliz com as ferramentas que o destino nos proporcionar ao longo do caminho? Quem inventou a receita para a felicidade com certeza não soube aproveitá-la da forma mais simples: criando a inventando a sua própria história.

E daí se o noivo é apenas o seu amigo e decidiu ser feliz com outra pessoa? É preciso aceitar os fatos e a realidade e construir o seu próprio caminho de felicidade. Sem rancor, sem mágoas. Apenas seguindo em frente. Com tranquilidade e serenidade. Outras oportunidades sempre irão aparecer e a pergunta é: você estará pronto para recebê-las de coração aberto? 

Uma vez que você fizer as suas escolhas, não pode olhar pra trás. Por isso pense com o coração, a alma e a cabeça… apenas para garantir que não haverá arrependimentos. E leve o tempo que for necessário pois cada um tem a sua velocidade para tomar decisões da sua vida. Cada um tem o seu tempo e este sim precisa ser respeitado.

Nós somos o resultado de nossas escolhas. Portanto, faça muito bem a sua. E siga em frente. Sempre.

“Talvez não haja casamento. Talvez não haja sexo. Mas, com certeza, haverá dança.”

    Sobre o dia 12 de junho

     

    12 de junho: dia dos namorados. Se você vai passar esta data desacompanhado, não desanime. Você não está sozinho. Este texto é para você.

    Você, que chegou até aqui com uma bagagem repleta de aventuras e desilusões amorosas tão pesadas que nem sabe como foi capaz de carregá-las e que com o tempo elas só ficaram mais pesadas e as costas começaram a doer. Você não é o único: todos nós carregamos nossa própria história e sim, em alguns trechos da nossa caminhada e da nossa vida, ela vai machucar as pernas, os pés e o coração. Em muitos momentos você pensou em desistir, mas uma força – que você nem sabia que existia dentro de você – foi capaz de te manter vivo e te fez continuar andando e olhando para frente. E acreditando.

    Acreditando porque mesmo nos momentos de tristeza, você olha para aquele casal de velhinhos andando lado a lado de mãos dadas na rua e sabe que ainda há esperanças. E comédias românticas.

    Atualmente a sua bagagem se tornou um punhado de antiguidades, histórias e memórias as quais não podemos jogar fora ou desfazê-las pois elas já fazem parte da nossa história. Não precisamos olhar sempre para elas, basta apenas saber que elas existem e que são as grandes responsáveis por ter formado a pessoa que somos hoje e os valores os quais acreditamos.

    E, mais importante do que querer ter alguém nesta data, é saber que aquilo que não te agrega não vai ter fazer completamente feliz. Sabe aquela frase “antes só do que mal acompanhado”? adote-a para o dia de hoje e para a sua filosofia de vida. Porque enquanto aceitamos migalhas dos outros, estaremos sempre insatisfeitos, cansados e com fome.

    Isso foi o que a vida me ensinou e está guardado junto com a minha bagagem: eu sou completa, eu sou inteira e devo ser feliz por mim mesma. Não deixe ninguém te convencer do contrário. Ninguém tem este direito e você não pode ceder isto a ninguém. Sua história é só sua e só você deve permitir com quem compartilhá-la.

    Por isso hoje – e sempre – joguei o meu destino para o que o universo se encarregue de trazer para mim o que eu mereço e não necessariamente o que eu preciso. Porque a vida sabe o que somos capazes de carregar.

    E enquanto esse dia não chega, serei feliz, plena e tranquila porque precisamos aproveitar o passeio sem pensar no ponto final.

      Uma mensagem do futuro

       

      Oi. Eu sou você do futuro e estou aqui para te contar que no fim, enfim deu tudo certo.

      Todos os seus sonhos, planos e desejos tornaram-se realidade. Pode acreditar que toda esta luta foi recompensada.
      Claro que tiveram pedras no caminho e muitos momentos de dificuldade. E muitos dos seus problemas vieram juntos, só para testar suas forças para continuar em pé. Sabe quando você pensou em desistir e mesmo assim continuou a persistir? Na batalha. Na fé. Na esperança. Valeu a pena.

      Não há vitória sem suor e a sorte só existe para aqueles que trabalham duro. Portanto, tenha calma, respire fundo e não desanime… seu trabalho ainda vai te levar para longe ~ onde você quis chegar ~ e quando você chegar onde eu estou hoje, vai perceber que aquelas lágrimas de desespero foram transformadas em choro de alegria.

      Pare de se comparar com as outras pessoas porque cada um está num momento diferente da vida e não podemos julgar a história de cada um pela sua aparência. Cada um sabe das dores e dificuldades de sua própria vida e quando despejamos nosso tempo querendo entender a realidade da outra pessoa, perdemos tempo para construir a nossa história. Deixe as comparações de lado. Deixe o que não é relevante de lado. Vamos ser felizes do nosso jeito, cercado das pessoas que a gente ama. Isso sim é importante.

      E quando você achar que tudo está perdido, sente. Tome um café e repense seu caminho. Talvez seja possível mudar a rota mas desistir jamais. Nunca pense em deixar para trás o que te faz feliz. Você é único. Não deixe as outras pessoas dizerem como fazer. Segure as rédeas da sua vida e siga seu coração porque ele sim saberá o que fazer. Desistir não é uma opção.

      E eu te garanto: seu futuro será lindo. Confie. Acredite. E siga em frente.

        Bolo fofo com Maizena: bolo prático de milho

         

        Temos arraiá? Tem sim senhor!
        Hoje o blog foi convidado pela Unilever para participar de um workshop julino da Maizena. Pudemos colocar a mão na massa e aprender receitas deliciosas usando esse ingrediente tão querido.
        Eu não pude ir ao evento, mas minha irmã ficou com a missão de cozinhar e experimentar as delícias feitas com Maizena. Ela fez dupla com a minha querida amiga Bru Calderon e elas reproduziram uma receita de um bolo prático de milho, para mostrar como qualquer bolo fica mais fofinho com Maizena.
        E se você quiser comprovar por aí, veja como é fácil fazer ~ e o resultado final fica simplesmente delicioso ~ e já teste este final de semana.

        Ingredientes:
        1 lata de milho, escorrido
        1 xícara de chá de óleo
        3 ovos
        1 xícara de chá de açúcar
        1 e meia xícara de chá de farinha de trigo
        ½ xícara de chá de Maizena
        ½ xícara de chá de fubá
        1 colher de sopa de fermento em pó

        Para untar e enfarinhar: óleo e farinha de trigo

        Modo de fazer:
        Pré-aqueça o forno em temperatura média, 180 graus. Unte e enfarinhe uma fôrma com buraco no meio.
        No copo do liquidificador, coloque o milho, o óleo, os ovos e o açúcar e bata rapidamente até ficar homogêneo.
        Transfira para uma tigela, junte a farinha de trigo, a Maizena, o fubá e o fermento e misture.
        Disponha a massa na fôrma reservada e leve ao forno por cerca de 40 minutos ou até que o palito espetado saia limpo.
        Retire o bolo do forno, espera amornar, desenforme e está pronto para servir!

          Isso também vai passar

           

          Tenha calma. Respire fundo. Isso também vai passar. Aliás, tudo na vida é passageiro e não há nada que dure pra sempre: nem felicidade nem tristeza. Ainda bem.

          Já pensou em ser feliz sempre, todos os dias e todos os minutos? Sem problemas, preocupações ou decepções? Como seria possível amadurecer ou tirar lições se não existissem momentos de dificuldade? Por outro lado, já pensou em ser infeliz o tempo todo? Uma vida sem cores ou motivos para sorrir? Talvez a graça da vida seja o equilíbrio entre emoções e sentimentos porque precisamos de todos eles para conseguir percorrer o caminho da evolução.

          Portanto, quando você achar que tem um problema tão grande que não possa ser resolvido, tenha calma. Nada aparece por acaso e nunca é maior do que aquilo que podemos enfrentar. A vida nos dá o peso que merecemos e que somos capazes de suportar. Nem menor, nem maior. Simplesmente o suficiente. Sou extremamente grata por todas as dificuldades que passei para chegar até aqui: são elas que me tornaram a pessoa que sou hoje. As lágrimas de ontem se transformaram na energia que me fez seguir em frente hoje. Não desista.

          E se a felicidade estiver batendo à sua porta, abra. Deixe entrar totalmente. Completamente. Agarre a oportunidade para ser feliz HOJE. A vida é muito curta para ser feliz amanhã. Não deixe para depois as palavras de amor, os abraços, as risadas pois nunca poderemos prever quando teremos novos momentos de alegria de novo. Não desperdice.

          Aos poucos a vida vai dando certo, as coisas se encaixam e parece que tudo acontece no seu tempo. Tempo o suficiente para aprendermos as nossas lições e colhermos os bons resultados de cada uma delas. Tudo passa. Inevitavelmente. Portanto, abra a janela, sente em um lugar confortável e aproveite o passeio.

          Nada é para sempre. Ufa!