A vida é um sopro.

Clichê.

Ultimamente, esta é uma das frases que mais tenho ouvido. No elevador do prédio, no café do trabalho, no corredor do shopping, no grupo de mensagens entre amigos.

Mas, será que paramos para pensar que a ‘vida é um sopro’ ou só falamos por falar? O quanto vivemos a nossa vida para que este sopro um dia se espalhe pelo vento pela última vez?

Você vive a sua vida plenamente, intensamente? Se hoje fosse o seu último dia, como você seria lembrado pelo mundo? Qual o legado você está construindo para deixar como memória?

Nunca tinha pensado sobre isso, até hoje. Presenciamos muitas tragédias em nosso país, com vidas jovens sendo encerradas, sorrisos calados e sonhos interrompidos. E, nesse momento de tristeza, vem a reflexão: você está realmente buscando seus sonhos?

O que estamos esperando para ir atrás do que queremos? Porque nos falta coragem para seguir em frente e encarar os desafios? Se hoje fosse o seu último dia, você teria orgulho da sua história? Se hoje fosse o seu último dia, você iria fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para realizar seus desejos?

O ponto é: nós não sabemos quando será o nosso último dia. Então, porque postergamos tanto nossos sonhos, nossos desejos? Preguiça, medo de falhar ou ficar na zona de conforto são alguns do motivos que nos impedem de realizar nossos sonhos.

Que a gente não deixe para amanhã o que podemos realizar HOJE. Esta é a palavra que importa: HOJE. É o dia, o momento. Para criar, trabalhar, amar e sonhar sem arrependimentos.

Que a gente possa adotar a brevidade da vida como lema para viver. Com sentimento e com vontade. Com verdade. Ame, chore, abrace, sorria, coloque tudo para fora.

Não sabemos quando será a nossa última vez. E é justamente esta a graça da vida.


E você, o que está esperando para ser feliz?

    Receita da Mimimi na cozinha: pudim de pistache

    E depois da produção e decoração da mesa, vamos à receita! Na confraria da comida e mesa posta, a @mimiminacozinha ficou responsável pela sobremesa e fez para mim e para a @villapano seu pudim de pistache.

    Nem preciso falar o quanto a gente aproveitou né? Afinal, amigas queridas em um ambiente incrível da Villa Pano com um doce desse e um vinho pra acompanhar… precisa de mais alguma coisa? Sim, precisa do passo a passo da receita. Coloquei aqui a receita e a Mi também compartilhou em vídeo. Só apertar o play e conferir.

    Ingredientes:
    Para a calda:
    60g de açúcar doçúcar
    Água o suficiente para cobrir o açúcar

    Para o pudim:
    3 gemas
    150 g de leite condensado
    250 g de creme de leite fresco
    25 g de pasta de pistache
    Uma porção de pistache torrado e moído

    Modo de fazer:
    A calda:
    Derreta o açúcar e a água e deixe em fogo médio até formar uma calda de caramelo. Leve a uma fôrma redonda de buraco do meio e deixe esfriando.

    O pudim:
    Bata no liquidificador o creme de leite, o leite condensado e a pasta de pistache até formar um creme homogêneo. Em seguida, acrescente as gemas e bata só para misturar.

    Despeje o pudim na forma com o caramelo e leve ao forno em banho maria a 180 graus por mais ou menos 60 minutos.

    Depois, leve à geladeira por pelo menos 6 horas. Desenforme e sirva em seguida com o pistache torrado e moído. Aproveite: 🙂

    O pudim fica realmente ~ muito ~ cremoso! Com uma textura bem leve, este é um dos melhores pudins que já provei na vida. Vale a pena provar!

    E aí, alguém está servido?? 🙂
    Me conta o que achou desta receita!

      Sobre receitas de amor

      Começando a semana com Marisa Monte:
      “Há um vilarejo ali
      Onde areja um vento bom
      Na varanda quem descansa
      Vê o horizonte deitar no chão
      Pra acalmar o coração
      Lá o mundo tem razão

      Lá o tempo espera
      Lá é primavera
      Portas e janelas ficam sempre abertas
      Pra sorte entrar
      Em todas as mesas pão
      Flores enfeitando
      Os caminhos, os vestidos
      Os destinos e essa canção
      Tem um verdadeiro amor
      Para quando você for”

      Eu e @mimiminacozinha nos juntamos à Villa Pano em um projeto incrível: receitas feitas com amor em um ambiente acolhedor e peças exclusivas à mesa para te inspirar, receber e compartilhar.

      E a nossa primeira produção combinou peças rústicas com alguns toques de cor para dar charme e versatilidade às receitas que seriam servidas ali.

      O menu escolhido foi: risoto de queijos com limão siciliano e pudim de pistache ~ em breve as receitas serão compartilhadas por aqui e em nossas redes sociais, não perca 🙂

      E para combinar com comidas mais coloridas, optamos pelos tons de bege e madeira na decoração e nos jogos americanos com louças brancas para destacar as receitas.

      O toque divertido e informal ficou por conta dos guardanapos. Misturamos o bege com pompom e o turquesa.

      E o resultado ficou incrível e muito versátil. Essa mesa posta pode ser montada para um café da manhã, um brunch ou um almoço em família, no campo ou na cidade. Com alguns toques rústicos dá pra sentir o clima de amor e simplicidade para celebrar momento especiais com quem a gente ama.

      Esta foi a nossa proposta: simples e com carinho em uma combinação de cores e texturas para servir e admirar.

      E aí, o que achou deste resultado? Durante a semana iremos apresentar os pratos e as receitas que foram servidas neste cenário.
      Não perca <3

        Os símbolos do Natal: guirlanda

         

        Com o Natal cada dia mais perto, é natural que a gente fique mais nostálgico, feliz e com o coração cheio de sentimentos bons.

        Por aqui, a casa está repleta de decorações de Natal cheias de símbolos e significados. Você sabia que os principais itens natalinos representam alguma coisa especial?  Vai começar aqui no blog uma série de postagens especiais com o tema Os símbolos do Natal. E nada melhor que começar com o símbolo de entrada do nosso lar, a guirlanda.

        O uso da guirlanda é conhecido desde a Roma Antiga em que os romanos enrolavam ramos de plantas em suas coroas para fazer um voto à saúde.
        Atualmente ela é utilizada na porta de entrada de casa para representar sorte e um convite para o espírito natalino entrar.

        Além disso, a guirlanda também pode ser considerada um símbolo de proteção para impedir que maus espíritos entrem em nosso lar. Assim, todo o mal fica de fora e só boas energias entram.

        A guirlanda pode ter vários formatos e enfeites; o que mais importa é o que ela representa. Tanto no último evento que eu fiz no Shopping Garden quanto no Youtube da Caubi, mostrei como é simples fazer este enfeite em casa de forma personalizada e muito simples a partir de um porta retrato e utilizando enfeites emprestados da própria árvore de Natal.

        O ponto principal da decoração de Natal é o que ela representa e não precisamos de muito luxo ou gastos para deixar a casa linda para receber a família, os amigos e esperar o papai noel.

        Que venha o Natal e tudo o que ele representa para nós 🙂

          Seguindo em frente

           

          Ontem assisti ao filme “O casamento do meu melhor amigo” talvez pela milésima vez. Não me lembro quando foi que decorei as falas, as músicas e as cenas mas desta vez foi diferente. E comecei a pensar porque este é meu filme favorito de todos os tempos.

          Com mais de 20 anos de existência e sempre atual, este filme nunca ganhou um Oscar ou outro prêmio de relevância, não possui efeitos especiais nem um grande orçamento mas talvez a lição de vida seja uma das mais importantes. Pelo menos para mim.
          Não é um filme sobre heróis, príncipes ou final feliz. É um filme sobre saber perder, aceitar a derrota e seguir em frente porque nem sempre nos filmes ou na vida real o final feliz é do jeito que a gente sonha ou planeja. E mesmo assim não signifique que não seja feliz. Pode ser feliz, basta a gente enxergar com outros olhos.

          Esta é a vida. Sempre surpreende e na maioria das vezes acontece diferente de tudo aquilo que sonhamos. Mas e daí? Porque não podemos construir nosso próprio final feliz com as ferramentas que o destino nos proporcionar ao longo do caminho? Quem inventou a receita para a felicidade com certeza não soube aproveitá-la da forma mais simples: criando a inventando a sua própria história.

          E daí se o noivo é apenas o seu amigo e decidiu ser feliz com outra pessoa? É preciso aceitar os fatos e a realidade e construir o seu próprio caminho de felicidade. Sem rancor, sem mágoas. Apenas seguindo em frente. Com tranquilidade e serenidade. Outras oportunidades sempre irão aparecer e a pergunta é: você estará pronto para recebê-las de coração aberto? 

          Uma vez que você fizer as suas escolhas, não pode olhar pra trás. Por isso pense com o coração, a alma e a cabeça… apenas para garantir que não haverá arrependimentos. E leve o tempo que for necessário pois cada um tem a sua velocidade para tomar decisões da sua vida. Cada um tem o seu tempo e este sim precisa ser respeitado.

          Nós somos o resultado de nossas escolhas. Portanto, faça muito bem a sua. E siga em frente. Sempre.

          “Talvez não haja casamento. Talvez não haja sexo. Mas, com certeza, haverá dança.”

          112 total views, no views today