Comidas da horta para a mesa

Conhecendo uma horta e um pomar orgânicos

Já pensou se você pudesse levar comidas da horta para a mesa de um jeito fresquinho, saudável e orgânico? Em Monte Azul isso é possível! Aliás, dentro de casa também é. Com um pedacinho de terra ou algum vaso, é possível montar uma horta ou um pomar orgânico com muito amor e comida fresca e saudável.

Este é o tema do novo vídeo do Youtube da Caubi. Eu e mami resolvemos fazer um tour especial pelas frutas, verduras e legumes que encontramos pelo interior e então, compartilhamos um pouco dessa aventura com você.

Ou seja, foi possível encontrar dentro e fora de casa itens deliciosos, frescos e direto do pé.

As frutas do nosso pomar

Primeiramente, o tour se inicia pelo sítio. Por lá, nós temos algumas árvores frutíferas espalhadas pelo nosso quintal. Encontramos frutas como amora, limão, uma variedade de espécies de manga, romã entre outras.

Em alguns pés de fruta foi possível experimentar diretamente do pé. Que sabor!

Da horta para a mesa nossas frutas
Da horta para a mesa

Comidas da horta para a mesa

Em seguida, encontramos uma horta orgânica perto de casa. Esta horta oferece uma variedade enorme de legumes, verduras e até ovos caipira.

Tudo o que encontramos lá é muito fresco e é possível comprar um saquinho de qualquer produto por apenas R$ 5.

A horta, chamada Sabor da Roça, faz parte do Programa Jovem Agricultor, apoiado pelo Sindicato Rural e pela Prefeitura de Monte Azul.

Comidas da horta para a mesa
beterraba fresca
beterraba da terra

Então, pudemos nos aventurar pelas plantações e ficamos encantadas com a variedade e principalmente a qualidade dos alimentos. Tudo ali tem muito carinho e muita saúde para oferecer.

Foi incrível descobrir um lugar tão especial e tão perto do sítio. É possível se alimentar bem!

repolho Comidas da horta

Quer ver mais? Então, aperta o play e vem conferir o tour completo no Youtube da Caubi:

E não se esqueça de se inscrever no canal porque sua participação é muito importante 🙂

    Pink Farms, uma fazenda urbana em São Paulo

    Plantas perfeitas para uma alimentação natural e fresca

    Esta semana, recebi por aqui alguns produtos da Pink Farms e pude conhecer um pouco mais sobre a proposta de fazenda urbana em São Paulo com plantas perfeitas para uma alimentação saudável, natural e fresca.

    Criada em 2016 por engenheiros e colegas de faculdade, a Pink Farms é a maior empresa de vertical farming da América Latina, que trabalha com o conceito farm to table ~ em português, da fazenda pra mesa ~ já que o diferencial está no cultivo feito no coração das grandes cidades, bem próximo dos consumidores.

    Logo ao adentrar o galpão de 750m2, em São Paulo, a visão é surpreendente: grandes salas hermeticamente fechadas, com estruturas que abrigam todos os tipos de folhagens, como alface, rúcula, acelga, espinafre, manjericão, microgreens ~ vegetais em tamanho pequeno, colhidos em até 10 dias após o plantio, e considerados superfoods, alimentos de alto teor nutricional que trazem benefícios adicionais à saúde.

    O Pink não está apenas no nome, mas na utilização de luz de LED que, na sua composição, se torna rosa, e que faz o papel da iluminação solar.

    Uma produção sustentável

    Os vegetais não conhecem a palavra sazonalidade porque Pink Farms possui um sistema de automação que controla todas as variáveis de cultivo, independe de clima e época do ano.

    Com um ambiente totalmente limpo e controlado, aplicam-se técnicas de hidroponia, um tipo de cultura sem solo.

    Sua metodologia de produção é altamente sustentável e promove uma redução de 95% no consumo de água, em comparação às lavouras a céu aberto, isto é, sem falar do sistema vertical que diminui em 90% a utilização de espaço e garante uma capacidade produtiva 100 vezes maior.

    Com menos manejo e intervenções, contabiliza-se portanto uma redução de 30% de perda, resultando em produtos chamados de pós-orgânicos, aqueles cujo processo de produção é mais sustentável, produtivo, menos danoso ao meio ambiente.

    Plantas perfeitas para uma alimentação natural e fresca
    Pink farrms

    Sem agrotóxicos e sempre frescos

    Tanta inovação fez com que a startup Pink Farms, em tão pouco tempo de existência, recebesse o aporte de R$ 2 milhões da SP Ventures, gestora de fundos de investimento de Venture Capital especializada no agronegócio, e da Capital Lab, plataforma de investimento proprietário de capital seed e de risco.

    O investimento será utilizado na expansão da fazenda para uma escala comercial, com foco em atender parte da demanda da cidade de São Paulo, além do desenvolvimento de sua marca de consumo.

    Em paralelo, por meio de sua área de P&D, a Pink Farms busca aumentar seu portfólio com produtos como morango, tomate, entre outros, além de continuar aprimorando a tecnologia atual e de fazer novos desenvolvimentos.

    É possível encontrar Pink Farms em diversos endereços de varejo e food services, além da loja online, que está em fase de implantação.

    E então, o que achou da proposta de plantas perfeitas para uma alimentação natural e fresca? Conta aqui 🙂

      Vídeo novo: como montar uma horta em casa

      Sexta-feira é tradição: dia de vídeo novo no Youtube da Caubi! E hoje é super especial.

      Depois da obra da lavanderia, estou acertando os detalhes finais por aqui e chegou a vez de montar minha tão sonhada horta.

      No projeto, a arquiteta Natalia Salla ~ minha querida amiga ~ sabia que eu tinha esse sonho e deu um jeitinho de encaixar uma horta na lavanderia e bem pertinho da cozinha.

      Então aperta o play e vem conferir tudo por aqui:

      E me conta o que achou 🙂

        Como cultivar hortelã em casa

         

        Um dos melhores hábitos que desenvolvi aqui em casa foi ter a minha própria horta. Faz toda a diferença na cozinha ter temperos frescos, além de alegrar e colorir o ambiente né? E uma das minhas plantinhas favoritas que cultivo na minha horta é o hortelã.

        Muito versátil, o hortelã pode ir em receitas doces, salgadas e fazer aquele chá para aquecer o frio do inverno. Além disso, o seu o pé deixa o ambiente muito cheiroso. Mas não podemos apenas ter um vasinho para enfeitar; é preciso cuidar muito bem dele para que ele cresça saudável e resista bem às adversidades para ficar forte e estar sempre brotando.

        Por isso, separei algumas dicas que acho interessante compartilhar para deixar seu pé de hortelã sempre lindo:

        1. Um pé de hortelã precisa de muito espaço para se desenvolver, por isso não pode ser plantado em vasos muito pequenos ou dividir seu espaço com outras plantas. Deixe sempre ele sozinho.
        2. Escolha um vaso com furos de drenagem no fundo. A hortelã cresce muito melhor em solos bem drenados.
        3. A hortelã deve sempre estar com a terra úmida, portanto é importante regar a plantinha todos os dias. No calor, fique de olho: às vezes é preciso regar duas vezes.
        4. Ela se desenvolve muito bem na claridade. Mantenha seu pé de hortelã perto do sol mas cuidado com o sol quente do período da tarde para não exagerar na dose. Não deixe seu pé de hortelã exposto ao vento.
        5. Corte frequentemente sua plantinha para que ela continue a crescer forte e que possa manter o sabor e aroma das folhas. Mas, cuidado: não corte mais do que um terço das folhas de uma só vez.

        Com essas dicas é possível manter seu pé de hortelã próspero e saudável para que ele possa enfeitar a casa e ajudar na preparação de suas receitas culinárias.

        E aí, o que achou destas dicas?
        Conta aqui 🙂

         3,214 total views,  12 views today

          Plantas dentro de casa

           

          Quem acompanha o blog e as redes sociais da Casa da Caubi sabe que plantinhas e temperos no cantinho da varanda são minha grande paixão. Mas não foi sempre assim… moro há quase 6 anos sozinha e fui aprendendo com o tempo ~ e os conselhos de mami ~ que cada planta precisa de um cuidado diferente e depois de muitos erros, aparecem alguns acertos e elas vão durando cada vez mais.

          Portanto, resolvi compartilhar por aqui algumas dicas que aprendi ao longo desse tempo para fazer com que seu jardim e/ou hortinha dure mais, mesmo que elas fiquem dentro de casa.

          PLANTAS EM APARTAMENTO
          Eu nunca morei em casa, mas sei que o modo de cuidar das plantinhas dentro de apartamento é bem diferente. Para fazer esta adaptação é preciso verificar alguns fatores como posição do sol ao longo do dia, temperatura e umidade dentro de casa.

          Aqui em casa, todas as minhas plantas e temperos ficam na varada. O sol que bate por aqui é o sol da tarde, que é bem forte principalmente no verão e deixa o ambiente muito quente porque a varanda é fechada com vidro. Esse é um dos principais pontos para prestar atenção: plantas de sombra não se dão bem no ambiente da varanda, portanto quando eu compro orquídeas, lírios da paz ou antúrios, por exemplo, deixo na sala de jantar para não receber tanto sol diretamente. Em tempos de verão, minhas plantinhas ficam mais afastadas do calor e deixo que elas recebam a luz do sol na hora mais fresca; sol direto e muito calor podem queimar as plantas e a ausência dele deixam as plantinhas mais fracas.

          Outro ponto importante: é preciso ter plantas de acordo com o espaço que você tem disponível. Não adianta eu tentar criar uma samambaia por aqui, pois ela não irá crescer com saúde ou então irá expandir além do espaço disponível. Os temperos mais indicados para espaços pequenos são orégano, manjericão, manjerona, pimenta, alecrim, hortelã e tomilho. Para plantas, tenho bastante suculentas e algumas jibóias que se adaptam a espaços pequenos.

          O mais indicado é cultivar as plantinhas e temperos em vasos separados, para que cada uma cresça no seu próprio ambiente, seu próprio tempo e criem suas raízes separadas. Eu junto algumas delas dentro do meu caixote, mas sempre em vasos separados, pois além de tudo, os vasos com furinhos embaixo são os mais indicados para que as plantinhas possam respirar adequadamente.

          Eu raramente tiro as plantinhas do vaso que as acompanham quando eu compro do mercado ~ aquele de plástico preto, sabe? ~ mas se você quiser começar seu vaso, para os temperos o mais indicado é plantar em um solo leve, sem pedras ou pedaços de madeira para não atrapalhar o crescimento da raiz.

          Os temperos gostam bastante do clima da primavera e verão, com sol e temperatura na casa dos 25 graus. Tome cuidado para não passar muito disso senão as plantas queimam com facilidade e, se tiver muito frio, elas morrem mais rápido também.

          Vale a pena se atentar à quantidade de água para as plantinhas, para dosar bem e fazer com que elas durem por mais tempo. Por aqui, eu já compro os temperos mais ‘adultos’, então normalmente rego uma vez por dia. Para quem está começando agora, existe um teste simples e bem eficaz para ser feito e checar se a plantinha está com água o suficiente: pegue um pouquinho de terra do seu vaso e aperte. Se escorrer água pela terra, o vaso está encharcado e com muita água; se a terra esfarelar entre seus dedos, o vaso está muito seco. O ideal é ter a terra úmida, mas sem exageros. Eu sempre molho minhas plantinhas na parte da manhã.

          É importante saber que cada plantinha precisa de atenção e cuidado individual, além do seu próprio tempo. Com carinho e atenção, elas crescem e se adaptam ao seu ambiente.

          E aí, o que achou destas dicas?
          Conta aqui 🙂

           2,373 total views