Vídeo: Valparaíso e Viña del Mar

 

Continuando a série de posts pelo Chile, hoje tem mais um blog no Canal no Youtube! Eu e Carol vamos contar um pouquinho mais sobre o bate e volta à Valparaíso e Viña del Mar. Depois da aventura à Cajón del Maipo, resolvemos fazer este passeio por conta própria.

Fomos até à estação rodoviária e compramos passagem de ônibus até Valparaíso por 3.500 pesos ~ cerca de 18 reais ~ que fica a 130km de Santiago em pouco mais de 1 hora de viagem. Aperta o play pra conferir!

Valparaíso é uma cidade portuária e patrimônio da Unesco, com artes a céu aberto espalhadas por todo o canto.
Nossa primeira parada foi em La Sebastiana, uma das casas de Pablo Neruda que se tornou um museu aberto à visitação. Por 7 mil pesos é possível explorar cada cantinho de onde o escritor morou e conhecer um pouco mais de sua história. Vale a visita!

E saindo do museu, seguimos sem rumo pelos altos e baixos da cidade. Literalmente. São mais de 40 morros pela cidade: esteja disposto a caminhar bastante! O que ajuda também são os ascensores espalhados pela cidade, que são uma espécie de elevador e bondinho bem baratos e que sobem e descem até os cerros que existem na cidade.

 

 

Aproveite e curta cada cantinho e cada parede colorida de Valparaíso!
Para o almoço, fizemos uma pausa em La Concepción ~ um restaurante com vista para o porto e comida maravilhosa!

Depois do almoço, seguimos de Uber a Viña del Mar. A apenas 9 km de Valparaíso, a viagem durou cerca de 10 minutos. Caminhamos pelo calçadão

e fomos conhecer o famoso relógio de flores da cidade. Logo depois, tive que matar a vontade de colocar os pés no mar do Oceano Pacífico. Que água gelada! Mas valeu a pena.

Dá para visitar as duas cidades em um único dia, adoramos fazer este passeio.

E aí, o que achou dessa aventura?
Conta pra gente 🙂

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, acabou de chegar aos 30 com histórias [quase] normais.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *