Aceita. E ponto.

 

Tristeza por ver alguém partir e incapacidade para mudar a situação. Porque nos sentimos tão fracos e derrotados quando as ações fogem de nosso controle? Eu sei que muitas vezes nem tudo sai como planejamos, mas quando o final é completamente diferente do imaginado, a frustração é ainda maior.

Colocar expectativas em algo que não depende de nós, só torna tudo ainda mais difícil, complicado e doloroso. Como lidar com a perda, com o desapego e com as mudanças? Somos muito acostumados {e acomodados} com o trem que anda em linha reta no trilho. Basta fazer uma curva, que aparece o desespero e o medo do que virá pelo caminho. O desconhecido e o novo assustam e muito. E junto com eles, vem a insegurança de não saber como lidar com o que vem por aí.

E resolve alguma coisa ter medo? Ficar imaginando como será? Ficar pensando nas possibilidades? “E se”? Não. Não resolve absolutamente nada. Só nos resta aceitar. Aceitar o que não podemos mudar. E nos adaptar ao que vem por aí.

Só conseguimos mudar aquilo que depende de nós. O resto, cabe a nós aceitar, respirar e viver com aquilo que a vida nos dá. Mudar alguém está fora de nosso alcance; ou você ama as diferenças, as qualidades e os defeitos ou você deixa ela ir embora da sua vida. Simples assim. É cansativo, desgastante e inútil tentar mudar. Não sabemos a história, os desejos e os sonhos das pessoas para se intrometer e querer que aceitem as nossas verdades e o nosso ponto de vista.

Só eu sei por tudo o que passei, em tudo o que eu acredito e o que eu posso mudar em mim mesma. Tenho manias que pretendo mudar mas outras… é melhor deixar pra lá. Se nem minha mãe conseguiu mudar, porque alguém irá conseguir?

Aceita e ponto. Não existe na vida apenas uma verdade e uma crença. Cada um é responsável pela sua própria história e não cabe a ninguém julgá-la ou tentar mudar. Se você ficou triste com as decisões do outro, aceite a verdade e deixa ir. Dói menos e fica mais fácil para seguir em frente.

SONY DSC

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    2 thoughts on “Aceita. E ponto.

    1. Maria Cleo Goulart

      Lindo seu Texto . Aceitar ,que palavra simples e ao mesmo tempo complexa …..envolve
      milhares de sentimentos , e aí ………….

      [Reply]

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *