Todo Carnaval tem seu fim

 

image2

Assim como passou um ano e começou outro, chegou o feriado de Carnaval. Aquela época em que só pensamos em alegria: cores, músicas e muitos amores. Mesmo quem não é fã da bagunça deve admitir que fica um pouco mais feliz com a animação ao seu redor durante o mês de fevereiro.

Mas, assim como todos os ciclos da vida, o Carnaval também acaba. Na quarta-feira de cinzas o que era fantasia virou ressaca e o sentimento de que o ano começou é mais forte que nunca. Acabaram-se as máscaras, as músicas e os blocos: a vida torna-se transparente, palpável e real. Sem disfarces ou personagens, esta é a hora de mostrarmos o que somos e quem realmente somos.

Confesso que usei muita fantasia neste Carnaval e em outras épocas em que não queria ser eu mesma. Usei peruca, maquiagem e outros acessórios no rosto e na alma. Escondi os meus defeitos atrás de um personagem com superpoderes para que os outros não pudessem enxergar as minhas fraquezas. E não saí do salto para não parecer cansada demais em equilibrar tantos papéis.

E, nesta quarta-feira de cinzas, quero inovar. Quero ressurgir. Deixar as cinzas de um Carnaval que se foi para trás e assumir um novo personagem: eu mesma. Sem disfarces, apenas a minha verdadeira aparência e personalidade. Tudo bem se tiver olheiras de vez em quando ou se quiser passar o dia de chinelo de dedo. A partir de hoje, revelo ao mundo aquela pessoa com defeitos e imperfeições, mas bom humor e amiga para todas as horas.

Talvez este seja o superpoder: ser verdadeiro. Com o mundo e com si mesmo. Porque o Carnaval é passageiro assim como as máscaras e abadás. Mas a personalidade de quem está por trás da fantasia é o que fica ao longo do ano e o que marca a vida das outras pessoas. Pode passar o Carnaval… eu quero é celebrar a vida com alegria e verdade para sempre.

 

    Paulista de sotaque e raízes caipiras. Aquariana, corinthiana, administradora, eterna romântica e dona de casa amante de panos de prato, potinhos e canecas. Um pouco fotógrafa, aprendiz de escritora, cozinheira em evolução e sempre otimista. Dramática e criativa, atravessando os 30 com histórias [quase] normais.

    2 thoughts on “Todo Carnaval tem seu fim

    1. Duda

      Gabii esse post está incrivel !!
      Vc conseguiu passar uma realidade de mtas pessoas !! E seria tão bom se tivessem sinceridade como vc !!
      Gostei mtooo de verdade !!

      [Reply]

      Caubi Reply:

      Ebaaaa mto obrigada pelo carinho de sempre Duda 🙂
      Bjooosss

      [Reply]

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *
    *